Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Cantora volta a Belo Horizonte quase 15 anos depois de seu último show

Nila Branco marcou para 7 de dezembro, no teatro de bolso do Sesc Palladium, o lançamento do novo disco, Azul anil


postado em 30/11/2019 04:00 / atualizado em 29/11/2019 20:05

Nila Branco (foto: Priscila Prade/Divulgação)
Nila Branco (foto: Priscila Prade/Divulgação)

NO SESC PALLADIUM
O RETORNO DE NILA

Quatorze anos depois de seu último show em Belo Horizonte, no lançamento do seu quatro disco, Tudo o que eu quis, a mineira Nila Branco volta à cidade para apresentar Azul anil. “As músicas foram chegando por e-mail, pelas redes sociais, enviadas por compositores de variados estilos. E eu sou uma cantora que, mais do que nunca, quero me divertir ao cantar, fazer minhas escolhas livremente para poder experimentar sempre. O Azul anil é isto: um balaio de sons que me permitiu sair da minha zona de conforto”, define a cantora

***

Natural de Unaí, Nila se mudou ainda criança para Goiânia com a família, onde fez a sua carreira na música. O show, em 7 de dezembro, no Teatro de Bolso do Sesc Palladium, é apenas o início de uma longa passagem por Minas. “Cantar em BH é um encontro com meu passado, com minhas raízes, é reviver as minhas referências musicais do Clube da Esquina, a minha mineirice que eu nunca perdi, de fato”, conta a cantora, que estará acompanhada do músico Eduardo Filizzola, com quem tem uma relação muito próxima. “O Eduardo havia me convidado para participar do seu Sarau no Rio de Janeiro, mas, na ocasião, tive que viajar para shows. Então, resolvi retribuir o convite. Ele é um artista incrível, que tem uma trajetória linda de amor e envolvimento com a música. Estar com o Eduardo é uma forma de homenagear a música mineira e estreitar as relações com artistas da minha terra.”

***

Sobre o nome do disco, Nila conta que fez uma pesquisa na internet sobre azul anil e sobre o seu meio artístico e teve uma surpresa: “Me deparei com um texto em blog jornalístico que dizia que Nila em sânscrito significa azul-escuro, azul anil. O jornalista cita algumas pessoas e figuras de destaque, como uma cantora angolana, Nila Borja, e cita a cantora mineira Nila Branco como destaques do nome Nila. Achei incrível! E se havia alguma dúvida, elas foram rapidamente deixadas de lado, o nome estava fechado: Azul anil”.

Felipe Vorcaro e Karina Resende (foto: Fotos: Eduardo Profeta/divulgação)
Felipe Vorcaro e Karina Resende (foto: Fotos: Eduardo Profeta/divulgação)
Tatiana Gontijo, Samuel Rosa e a filha, Ninoca
Tatiana Gontijo, Samuel Rosa e a filha, Ninoca


10...9...8...7..
Virada antecipada

Tatau, ex-vocalista da banda Araketu, um dos maiores sucessos das décadas de 1990 e 2000 do axé baiano, vai animar o pré-réveillon da comunidade digital Mommys, no Mercado do Cruzeiro. A abertura do show fica com a Charanga das Padês, grupo musical da comunidade digital Padecendo no Paraíso.

NO 3 IRMÃOS
FESTA PARA MARILU

Como não abre mão de reunir a família e os amigos, Marilu Verdolim recebe a turma para comemorar mais um aniversário. O encontro será a partir das 14h no sítio 3 Irmãos, na BR-040, próximo a Sete Lagoas.



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade