Publicidade

Estado de Minas BOLA MUNDI

Injustiça à vista no The Best

"Que muita gente repense e entenda: um zagueiro ser eleito o melhor do mundo não é demérito algum para o futebol"


postado em 01/08/2019 04:00


>> fredericoteixeira.mg@diariosassociados.com.br
 
 
Mais uma vez sem o brasileiro Neymar, a Fifa divulgou ontem a lista dos 10 candidatos ao The Best, que premiará o melhor jogador da temporada. Mesmo com a presença dos ‘eternos’ Messi e Cristiano Ronaldo, a jovem estrela Mbappé e os garotos de ouro do Ajax (De Jong e De Ligtt), penso que é hora de mudar o paradigma do troféu. Para fazer mesmo justiça, meu favorito ao prêmio seria o holandês Van Dijk. Alguns podem alegar que Messi seria o mais indicado, pois fez 51 gols (faturando a chuteira de ouro pela oitava vez) e deu 22 assistências em 50 partidas. Mas nem de longe brilhou como em outras temporadas. No Barça, não conseguiu chegar ao título das principais competições. Na Argentina, foi figura opaca na Copa América.

Cristiano Ronaldo então teria mais chances? Com ele, Portugal faturou a recém-criada Liga das Nações. Mas a realidade é que o torneio não foi tão valorizado assim. Como a Juve também foi eliminada precocemente da Champions, os 28 gols do gajo acabam sendo trunfo pequeno. Já Mbappé fez muitos gols (39 em 43 jogos), mas acabou prejudicado pela temporada sem rumo de seu PSG.

Um dos pilares do Liverpool campeão da Champions, Van Dijk manteve a regularidade em toda a temporada, tendo enfrentado – e muitas vezes anulado – os até então favoritos Messi, CR7 e Mbappé. Não à toa foi eleito o melhor da Premier League, desbancando outros candidatos ao The Best: seus companheiros de clube Salah e Mané, Hazard e Harry Kane.

Seu único problema? Não ter a mesma ‘mídia’ dos demais, já que a votação popular corresponde a 25% dos votos do prêmio. Os outros votos são de técnicos e capitães de seleções e de jornalistas (um de cada país). Que muita gente repense e entenda: um zagueiro ser eleito o melhor do mundo não é demérito algum para o futebol.


Deu ruim!
A segunda pré-eliminatória da Liga dos Campeões decretou a queda de uma equipe tradicional: o PSV. Depois de vencer o Basel por 3 a 2 em casa, os holandeses perderam a volta por 2 a 1 e acabaram eliminados pelo critério de gols fora de casa. Pior não poderia ser para quem teve que engolir o sucesso do arquirrival Ajax na temporada passada. Semifinalista da última Champions, o Ajax começa sua campanha na próxima semana, na última fase eliminatória, ao lado de times de mais peso como Porto e Brugge.


Novo Mané?
Anunciado pelo Arsenal por 80 milhões de euros (R$ 336 milhões), o atacante marfinense Nicolas Pepé, de 24 anos, se tornou a contratação mais cara da história do clube. Destaque do Lille na temporada passada – foi vice-artilheiro da Ligue 1, com 22 gols – o jogador, que na verdade nasceu na França, também havia sido sondado por Inter, Napoli e Liverpool. O objetivo é repetir o sucesso alcançado pelo senegalês Sadio Mané nos Reds. Arrisco a dizer que tem grandes chances...


‘Matinê’ sem brilho
Após a série de amistosos internacionais nesta pré-temporada, finalmente começam a ser disputadas as primeiras competições oficiais, as chamadas Supercopas. Entretanto, elas não têm mobilizado tanto a torcida – e nem mesmo treinadores. Técnico do Liverpool, Klopp afirmou que o torneio “não significa nada” e chegou a pedir sua extinção. Mesmo assim, promete ir com o que tem de melhor para encarar o Manchester City, revivendo o duelo que marcou a temporada passada. Na França, o PSG é superfavorito diante do Rennes. Na Alemanha, diante do Borussia Dortmund, o ‘novo Bayern’ começará a colocar à prova a reformulação de seu elenco: Robben aposentou, Ribery não renovou, Rafinha e Hummels saíram.


Mais concorrência
Depois do sucesso da competição disputada neste ano na França, a Fifa confirmou ontem que o próximo Mundial feminino será ‘vitaminado’, saltando de 24 para 32 equipes participantes. Além de abrir mais espaço para seleções de todos os continentes, a decisão aumenta também a concorrência pela disputa da Copa de 2023. Até então, nove candidaturas haviam sido registradas (inclusive do Brasil), mas agora o prazo será estendido até o final de agosto. Quem mais se habilita?


De olho
Georgi Chakvetadze
Com bom porte físico e dotado de boa técnica, o armador georgiano Giorgi Chakvetadze, que completa 20 anos neste mês, desponta como um dos bons nomes do Leste Europeu. Depois de começar a carreira no modesto Norchi Dinamoeli, se transferiu para o Dinamo Tbilisi em 2010 e se destacou, chegando ao time principal em 2016, antes de completar 17 anos. No ano seguinte, já se transferiu para o Genk, da Bélgica. Na seleção desde o Sub-17, também já defende a equipe principal. Estaria na mira de olheiros de Liverpool, Tottenham, Hoffenheim e Bayer Leverkusen.


Publicidade