Publicidade

Estado de Minas

Dicas de português


postado em 07/07/2019 04:00

Recado
“Saudades, só portugueses conseguem senti-las bem porque têm essa palavra para dizer que as têm.”

Fernando Pessoa


O deus da metalurgia
Era quarta-feira. Milhares de turistas circulavam pelas ruas de Stromboli. De repente, bummmmmmmm! Vulcão entrou em erupção e cobriu a ilha italiana de fumaça e cinza. Uma pessoa morreu. Nos comentários que se seguiram, pintou uma pergunta. Por que vulcão se chama vulcão? Vulcão se chama vulcão porque homenageia Vulcano. O deus da metalurgia veio ao mundo na Grécia. Lá se chamava Hefesto. Filho de Zeus e Hera, o garoto nasceu tão feio que a mãe decidiu livrar-se dele. Jogou-o do alto do Olimpo. Ele caiu dentro de um vulcão. Lá continuou a exercer a profissão que brinca com fogo. Os romanos o adotaram e lhe deram o nome de Vulcano. Viva! Ele enriqueceu a língua portuguesa.

Acertar ou acertar
Ora vejam! Foi em São Paulo. Catorze chinesas eram exploradas em caraoquê de fachada. As moças vieram pra cá enganadas. Os aliciadores lhes ofereciam trabalho e qualidade de vida. Quando elas chegavam, descobriam a verdade. Destinavam-se à prostituição. Ao escrever a notícia, a dúvida surgiu na redação do jornal. Catorze ou quatorze? Tanto faz. A alternativa é acertar ou acertar.

Irmãzinhas
Ter duas caras e um significado não é privilégio de catorze ou quatorze. O numeral tem irmãzinhas. É o caso de percentagem e porcentagem, ouro e oiro, louro ou loiro, cota e quota, diabete e diabetes, caminhante e caminheiro. Ufa! 

Por falar em caraoquê...
A japonesinha karaokê ganhou forma portuguesa. É caraoquê. Uma e outra têm o mesmo sentido. Querem dizer espaço vazio. A razão? Trata-se de casa noturna em que os clientes podem cantar acompanhados de músicos ou gravações. A voz deles preenche o vazio do espaço.

De olho no futuro
Quem fica parado é poste? É. Por isso, o Enem vai entrar na era digital. Em 2026, todas as provas vão ser aplicadas pela internet. Até lá, a transição será gradual. Este ano nada muda. “Serão impressas 6 milhões de provas”, disse a repórter da GloboNews. Nem notou que, no caminho, atropelou a concordância. Milhão, bilhão, trilhão & cia. são masculinos. Convictos da macheza, avisam: “Não temos nenhuma intenção de mudar de sexo”. Melhor respeitar-lhes a vontade e fazer a correção. Assim: Serão impressos 6 milhões de provas”. Os milhões de provas vão atender todo o território nacional. Repito isso um milhão de vezes.

Escurão festivo
“Considerado por muitos cientistas o acontecimento astronômico do ano, o eclipse do sol escureceu a tarde de ontem durante pouco mais de dois minutos”, escreveu o jornal de quarta-feira. Esqueceu-se de pormenor importante. Sol se escreve com a inicial maiúscula quando a referência for especificamente ao astro: Há projetos de explorar o Sol. O eclipse do Sol escureceu a tarde de ontem. No sistema solar, os planetas giram em torno do Sol. A inicial minúscula tem vez? Claro que sim. Recorra a ela para designar a luz, o lugar iluminado pelo astro ou na acepção figurada: Você é o sol da minha vida. Tomar sol requer cuidados. Cuidado com o sol do meio-dia. O sol da liberdade brilhou no céu da pátria.

Proteção
A garota do tempo do Jornal Nacional estava no Chile para ver o eclipse do Sol. Ao entrar no ar, disse mostrando o objeto com charme e sedução: “Aqui está meu óculos para proteger os olhos”. Tropeçou. Óculos é substantivo plural. Artigo e pronome que o acompanham fazem o que têm de fazer – concordam com ele: Aqui estão meus óculos para proteger os olhos. Você comprou óculos escuros? Nunca sei onde guardo os óculos.

Leitor pergunta
A Confederação Nacional da Agricultura divulga esta nota na tevê: “Excelentíssimo senhor presidente da República Jair Bolsonaro parabenizamos Vossa Excelência pela conclusão do acordo Mercosul-União Europeia”. Falta vírgula, não?

 Tereza Carmelo, Santos

Falta. O Brasil só tem um presidente da República. Jair Bolsonaro, por isso, é termo explicativo. Como só tem ele, vem isolado por vírgula. Veja exemplos: Excelentíssimo senhor presidente da República, Jair Bolsonaro, parabenizamos Vossa Excelência. A capital do Brasil, Brasília, tem 3,5 milhões de habitantes. O maior porto do Brasil, Santos, precisa ser modernizado.


Publicidade