Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Bolsonaro e Lula trocam críticas em ritmo de campanha eleitoral

''O presidente Jair Messias Bolsonaro (PL) publicou: 'Soube que o PT agora reza o pai-nosso e usa bandeiras do Brasil em seus eventos. É um bom começo...''


06/08/2022 04:00 - atualizado 06/08/2022 07:48

Lula defendeu mais investimentos no SUS
Lula defendeu mais investimentos no SUS (foto: EVARISTO SÁ/AFP)

“Nós não podemos continuar usando a palavra gasto quando se trata de cuidar da saúde do povo brasileiro. A gente tem que avaliar quanto custa para um país uma pessoa com saúde. A capacidade produtiva dessa pessoa cresce muito. E melhora a capacidade produtiva do país”, disse, fugindo um pouco do discurso que havia preparado com antecedência.
 
O fato é que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou, ontem, da 17ª Conferência Nacional da Saúde, em São Paulo. E assumiu o compromisso de transformar o cuidado da saúde do povo em um desafio central do seu governo, caso venha a ser eleito em outubro.
Um pouco adiante, o ex-presidente petista completou: “Para cumprir a missão de garantir saúde para todos e todas, das vacinas ao transplante, é preciso ampliar o investimento na saúde pública”.
 
Já, pelo tweet, o presidente Jair Messias Bolsonaro (PL) publicou: “Soube que o PT agora reza o pai-nosso e usa bandeiras do Brasil em seus eventos. É um bom começo. Só falta parar de defender aborto, drogas, ideologia de gênero, desencarceramento, controle da mídia/internet, ladrões de celular, financiamento de ditaduras e diálogos cabulosos”.
 
E tem o pedido de desculpas feito por Bolsonaro, depois de fazer críticas a banqueiros pela decisão da Febraban, a dos bancos, de aderir ao manifesto em defesa da democracia. Ele optou por distensionar a relação com o setor e acionou interlocutores da área econômica e política para negociar um encontro com a entidade.
 
Diante do risco de um maior isolamento do presidente, assessores da área política e econômica decidiram entrar em contato com banqueiros e a direção da Febraban para contornar o mal-estar e agendar um encontro na entidade.
De volta a Lula, para o ex-presidente, a saúde pública agora pode ser dividida em dois momentos históricos: um antes da pandemia e outro depois. “Precisaremos lutar muito para colocar o SUS no patamar que precisa estar pronto para garantir aos quase 220 milhões brasileiros a total e plena saúde”, afirmou.
 
Para entrar no túnel do tempo, antes de finalizar, em entrevista ao programa do Jô, Lula apresentou o programa Fome Zero. O apresentador questionou o candidato como um país de tanta riqueza precisa de programa para acabar com a fome. Em conversa descontraída, Jô Soares questionou Lula sobre o álcool ser o combustível do futuro e brincou com as caipirinhas do ex-presidente.

REPERCUSSÃO POLÍTICA/MORTE DE JÔ SOARES

"O Brasil perde Jô Soares, um dos maiores comunicadores de nossos tempos. Sua trajetória é parte da cultura brasileira. Meus sentimentos e solidariedade aos familiares, amigos, colegas e fãs"

Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado 

“O Brasil perdeu hoje um artista multifacetado, de talento reconhecido, que conquistou o público e marcou seu tempo. Meus sentimentos aos familiares e amigos”

Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados 

“Independentemente de preferências ideológicas, Jô Soares foi uma grande personalidade brasileira que conquistou a todos com seu modo cômico de discutir assuntos profundos”

Jair Bolsonaro, presidente da República

“Jô Soares foi um dos atores, autores, comediantes e entrevistadores mais talentosos da história do Brasil. Seus talentos e atividades eram tantos que desafiam categorias”

Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à Presidência pelo PT 

“Em nome do Supremo Tribunal Federal, lamento a morte do humorista, ator, jornalista e intelectual Jô Soares. Grande nome da televisão brasileira, deixará uma marca eterna na cultura do nosso país. Desejo conforto aos amigos e familiares"

Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal 

“O Brasil amanheceu muito triste, com menos motivo para rir e menos ágil no pensar. Perdemos Jô Soares, uma das nossas maiores referências de inteligência, talento e humor''

Ciro Gomes, candidato à Presidência pelo PDT

“Jô Soares foi um dos símbolos da minha primeira juventude, com seu humor inteligente. Depois, tornou-se um culto e espirituoso entrevistador”

Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal 

“O ator, diretor, escritor, humorista e brilhante Jô Soares nos deixou nesta manhã aos 84 anos. Seus personagens marcaram nossas vidas”

Simone Tebet, candidata à Presidência pelo MDB

“Quando eu estava sob intenso ataque da mídia e dos adversários políticos, pouco antes do processo de impeachment, em abril de 2016, Jô Soares abriu seu programa para me entrevistar”

Dilma Rousseff, ex-presidente da República

“Hoje perdemos uma das mais ilustres personalidades brasileiras: José Eugênio Soares. Jô Soares, nos deixa um legado de devoção à literatura, ao teatro, à música e ao entretenimento''

Geraldo Alckmin, candidato a vice-presidente da República 

“Ele sempre fez-nos rir e pensar durante anos, um grande obrigado a Jô Soares, que hoje saiu de cena, mas não dos nossos corações, nem das nossas memórias”

Marcelo Rebelo de Souza, presidente de Portugal






*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade