Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Bolsonaro, um presidente infantil e vira-folha em visita a BH

Agenda de Bolsonaro dedicou espaço à lembranças de armas de brinquedo e a imagens que se tornaram repetitivas do mandatário usando camisas de times de futebol


01/10/2021 04:00 - atualizado 01/10/2021 07:30

Bolsonaro (C) sancionou projeto de lei que abre crédito de R$ 2,8 bilhões para dar continuidade às obras do metrô
Presidente Bolsonaro em BH (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A. PRESS)

“Estou com quase 70 anos. Quando era moleque, brincava com arma, flecha, estilingue. Assim foi criada minha geração. E crescemos homens fortes, sadios e respeitadores. Meu cumprimento aos pais desse garoto, por tê-lo emprestado para dar um exemplo de civilidade, patriotismo e respeito. Obrigado, Polícia Militar de Minas Gerais”.

Uma criança chamou a atenção por estar vestida de policial e com uma metralhadora de brinquedo nas mãos. A farda que ele usava era da Rotam. Rondas Ostensivas Tático Móvel, tratada como tropa de elite, o grupo tático especializado em ações de Patrulhamento Tático Móvel dos Batalhões, usada como forma de auxílio às unidades de radiopatrulha.

Criança vestida com a farda da Polícia Militar de Minas Gerais e com uma arma de brinquedo nas mãos subiu ao palco, ao lado do presidente Jair Messias Bolsonaro (ainda sem partido), durante uma cerimônia realizada na manhã de ontem.

Um presidente vira-folha esteve ontem em Belo Horizonte. Isso mesmo, Jair Messias Bolsonaro já vestiu a camisa do Atlético, do Cruzeiro e do América Futebol Clube. Já que este último também é verde, ele torce mesmo é para o Palmeiras. Costuma até ir ao estádio de vez em quando.

Para explicar o vira-folha, Bolsonaro já apareceu com uniformes de times como o Corinthians, seu rival, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco, América-RJ, todos cariocas, Além de Grêmio, Internacional, Brasil-RS, Esportivo-RS, Athletico-PR, Londrina, Cascavel-PR, Operário-PR, Chapecoense, Tubarão-SC, Palmeiras, Santos, Bahia, Ceará, Fortaleza, Ferroviário-CE, Paysandu, Remo, Sport, Goiás, Sampaio Corrêa, River-PI, que não é o River Plate argentino e o Campinense.

Chega então de molecagem, porque teve o tom político. O aporte da União será feito por meio da capitalização da Veículo de Desestatização MG (VDMG), empresa que será criada exclusivamente para o processo de desestatização da filial mineira da CBTU, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

O fato é que, aqui em Belo Horizonte, o presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, sancionou, ontem, o projeto de lei que abre crédito de R$ 2,8 bilhões para dar continuidade às obras do metrô e concluir o processo de desestatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Agora é oficial, a novela deve ter os últimos capítulos. Ou seja, será privatizada.

Farra de voos

Aeronaves oficiais de Minas Gerais estão sendo usadas, neste ano, pelo governador Romeu Zema (Novo) para uma viagem a cada três dias, segundo o portal de notícias G1. Deputados estaduais e federais eleitos pelo estado integraram 81 voos entre 2019 e 2021 e até mesmo os filhos de Zema, Catharina e Domenico, viajaram com veículo mantido por dinheiro público, de acordo com a reportagem. Em nota, o governo de Minas justificou que a frequência dos voos aumentou devido à melhora do cenário da pandemia, levando a maior número de compromissos oficiais do governador. Ainda segundo a nota, as autoridades são convidados do governo.

Assento preferencial

Entre os caroneiros mais frequentes do governador de Minas, desde que ele assumiu o governo em 2019, está o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe. Acompanhando Zema, o empresário ocupou bancos de aeronaves oficiais do governo 13 vezes, sendo seis em 2019, a mesma quantidade em 2020 e uma oportunidade em 2021. A Fiemg justifica que Roscoe viajou para atuar pela “melhoria do ambiente de negócios no estado”, trabalhando pela atração de investimentos e empregos.

Só rezando

“Estamos voltando ao caminho das Índias Orientais.” Quem diz é o ministro da Economia, Paulo Guedes, que estava acompanhado do ministro das Relações Exteriores, Carlos França, tanto que a entrevista foi no Palácio do Itamaraty, aquele projetado por Oscar Niemeyer. “É essa vantagem competitiva que o Brasil tem de transformar, sem destruir a natureza, a matriz energética mais limpa do mundo. É um país que está com dois terços do território da mesma forma do que quando Jesus Cristo caminhou entre nós… É, só rezando mesmo.

Improbidade como ela é

Sócios da Mudrovitsch Advogados, os advogados Rodrigo Mudrovitsch e Guilherme Pup lançaram a primeira edição do livro “Comentários à Lei de Improbidade Administrativa e ao projeto de sua reforma” pela editora Lumen Juris. Eles apresentaram suas visões acerca do tema em textos inéditos publicados nos últimos dois anos na coluna “Improbidade em Debate”, do Consultor Jurídico. A meta é transformar a obra em projeto vivo e contínuo, com aprimoramento e atualização.

E traz vacinas

Para clarear, na mesma solenidade, foi lançada a pedra fundamental do Centro Nacional de Vacinas, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Parque Tecnológico de Belo Horizonte e o governo mineiro. Ele servirá de espaço para o desenvolver projetos de inovação nas áreas de vacinas, kits para diagnósticos e fármacos. O foco é transferência tecnológica para empresas e instituições na área de saúde.

PINGA FOGO

  • Em tempo, desta vez para a nota Bela Lembrança: nascido em Itaúna (MG), Dias Corrêa também foi deputado federal por três mandatos, além de ministro da Justiça, advogado, jurista, professor e secretário de Educação de Minas Gerais.

  • Mais um Em tempo, sobre as notas Concessões e Traz vacinas: o Centro Nacional de Vacinas dominará todas as etapas do desenvolvimento desses produtos, incluindo as pesquisas, testes com pacientes até a criação de protótipos.

  • O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, restabeleceu o decreto da Prefeitura do Rio de Janeiro que exige a apresentação da comprovação de vacinação contra a COVID-19 para acessar locais fechados, aquele conhecido como passaporte da vacina.

  • O decreto havia sido suspenso por uma decisão do desembargador Paulo Rangel, do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio de Janeiro (RJ), em habeas corpus de uma pessoa que alegou como argumento ter sido cerceada de liberdade de locomoção.

  • É o jeito carioca mesmo, mesmo para um desembargador. Diante disso, só resta um remédio, encerrar por hoje, já que é sexta-feira. FIM!
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade