Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

A vacinação dos caminhoneiros em Minas e o luto por um político tradicional

Parlamentares lamentam a morte do ex-vice-presidente Marco Maciel, que também exerceu vários outros cargos públicos


13/06/2021 04:00

Marco Maciel foi vice-presidente nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (foto: WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO %u2013 3/10/10)
Marco Maciel foi vice-presidente nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (foto: WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO %u2013 3/10/10)

Um dos primeiros a receber uma aplicação de vacina no Posto de Saúde São Francisco, o carreteiro Cássio Alves Gomes alerta, com conhecimento de causa: “A vacina para o caminhoneiro é essencial, porque nós somos a linha de frente. Somos nós que transportamos o Brasil nas costas, para baixo e para cima, faça chuva ou faça sol, com pandemia ou com saúde”.
Os caminhoneiros estavam em grupo prioritário desde janeiro, mas só agora foram liberados para receber as doses. Eles reclamavam do atraso e alegavam que o trabalho nas estradas aumenta o risco de contaminação.
 
Só que, agora, o Ministério da Saúde estima que 1,24 milhão de caminhoneiros serão alvos da campanha de vacinação. Desta vez, não vão fechar as rodovias. Desta vez, caminhoneiros de Belo Horizonte já podem se vacinar contra a COVID-19 com a primeira dose da vacina Astrazeneca.
Melhor então não derrapar com a notícia triste do dia, já que meio mundo político, deixando pra lá uma parte da mal-educada esquerda que não se pronunciou diante da morte do ex-vice-presidente da República Marco Maciel. A trajetória dele fala por si.
 
Além da passagem pelo Palácio do Planalto, ele foi deputado, senador e governador de Pernambuco. Presidiu a Câmara dos Deputados, foi ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro da Educação.
 
Para lembrar, ocupou o cargo de vice-presidente. Foi no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). E ele lamentou a sua morte: “Exerceu a vice-presidência nas duas vezes em que fui presidente. Se me pedirem uma palavra para caracterizá-lo diria: lealdade”.
 
“Viajei muito, sem preocupações: Marco exercia com competência e discrição as funções que lhe correspondiam. Deixa saudades.” É ainda de FHC. Para registro, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, decretou luto oficial de sete dias.
 
Teve mais registros, um deles vale destacar: “O Brasil se despede do ex-vice-presidente Marco Maciel. Político com extrema capacidade de negociação e dotado de espírito público, contribuiu para o engrandecimento do Brasil, sempre pautado pela ética e probidade. Meus sentimentos aos familiares e amigos”. Partiu do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão.
 
O jeito é encerrar do jeito mineiro: “Recebi com tristeza a notícia do falecimento do ex-vice-presidente e ex-senador Marco Maciel. Tivemos uma relação muito próxima e cordial em Brasília, durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Marco Maciel era a educação em pessoa, gentil e generoso, preocupado com o país e com seu desenvolvimento, dedicado ao povo brasileiro”. O registro foi do senador Antonio Anastasia (PSD-MG).

Bom exemplo

Como tudo passa por Minas, vale o registro: a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados realiza visita técnica, hoje, ao Campo Experimental da Embrapa Gado de Leite, em Coronel Pacheco. A deputada paranaense Aline Sleutjes (PSL-PR) é autora do requerimento para conhecer a experiência mineira da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Ela diz que a ideia é colher subsídios e informações sobre problemas enfrentados no setor leiteiro no país. Já o sobrenome não sei soletrar.

Bem cedinho

A entrega da boina é feita após os estudantes passarem pelo período de adaptação no Colégio Militar. A cerimônia marcou a incorporação dos estudantes à instituição. O fato que interessa é que o presidente Jair Bolsonaro participou, ontem, antes de outros compromissos, da cerimônia de entrega das boinas aos alunos do 6º ano do ensino fundamental no Colégio Militar de São Paulo. Ele estava acompanhado do ministro-astronauta da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes. Detalhe: o presidente entregou pessoalmente a boina a um dos estudantes.

A medicina

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não participou da “motociata” protagonizada pelo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. Mas faz todo sentido. Enquanto os motores roncavam, ele participou, ontem, de um evento médico, o Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita. “Este ano, a despeito das condições ainda complexas, o Ministério da Saúde já contratou 600 milhões de doses de vacina, de tal maneira que a população acima de 18 anos será vacinada até o fim do ano. Isso eu posso assegurar”, ressaltou o médico Queiroga.

Teve mais…

…do ministro Queiroga, já no início da noite de ontem. O registro de casos da COVID-19 na delegação venezuelana que desembarcou no Brasil para competir na Copa América. Aos números: foram oito jogadores e mais quatro integrantes da comissão técnica que testaram positivo. Ou seja, estão infectados pelo novo coronavírus. Melhor esperar o fim da novela, já que política e futebol não se devem misturar. E muito menos ainda com a medicina.

Mais Minas

“Tive a satisfação de ver atendidas as minhas solicitações, especialmente feitas junto ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que engrandece a nossa política. Lutamos, agora, para aprovação do projeto de lei do Congresso Nacional (PLN) e liberação deste novo aporte de R$ 50 milhões, que se somará aos R$ 70 milhões garantidos no Orçamento de 2018 e 2019, totalizando R$ 120 milhões”, ressaltou o deputado estadual Gil Pereira (PSD), agradecendo o empenho também aos senadores Antonio Anastasia e Carlos Viana (foto), bem como à bancada mineira na Câmara dos Deputados.

pingafogo


  • Em tempo, sobre a nota A medicina: “Este ano, a despeito das condições ainda complexas na assistência à saúde, o Ministério da Saúde já contratou 600 milhões de doses de vacina, o que permite que a população acima de 18 anos será vacinada até o fim do ano”.

  • E acrescentou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga: “Isso eu posso assegurar”. Ele lembrou ainda que a transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fiocruz já foi firmado. Isso traz a certeza de que nós vamos vacinar a nossa população e pôr fim ao caráter pandêmico dessa doença”.

  • Mais um registro necessário, que veio de Gil Pereira: “Foi realizada licitação para inventário florestal e supressão da vegetação da área de inundação da barragem, que teve empresa já devidamente contratada pela Codevasf”.

  • Paralimpíada: Lauro Chaman é bicampeão mundial no ciclismo de estrada. Ele se tornou bicampeão mundial na prova de estrada no Campeonato Mundial de Paraciclismo disputado em Cascais, em Portugal.

  • Lauro Chaman (foto) concluiu os 92 quilômetros distribuídos no circuito, que é bastante técnico, em 2h05min47. Sendo assim, só resta acelerar por hoje e desejar a todos um bom domingo. FIM!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade