Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Bolsonaro faz pedido de desculpas da Arabia

Presidente se retrata por vídeo e 'vende' o Brasil em encontro com príncipe


postado em 30/10/2019 06:00 / atualizado em 01/11/2019 08:12

NELSON JR./SCO/STF
Ministro Celso de Mello repreendeu Bolsonaro pelo vídeo com um leão e hienas postado em sua rede social (foto: NELSON JR./SCO/STF)
A busca na internet fala por si. Bastam alguns registros. Vai da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) ao Supremo Tribunal Federal (STF). Da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aos principais partidos políticos, da esquerda petista ao seu próprio ainda PSL, o Partido Social Liberal. E tem mais no mundo do faz de conta: “Erramos e haverá retratação”. Se não foi de propósito, mudou de nome.

  “O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinha alguns símbolos que apareciam por frações de segundos. Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que os focos são as nossas viagens”.

De fato, viajou mesmo, na gíria já antiga, o próprio presidente da República, Jair Bolsonaro. E nem precisou da maionese da velha gíria.

Do jeito ministerial de ser o decano do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello deixou a dúvida no ar: “A ser verdadeira a postagem feita pelo senhor presidente da República em sua conta pessoal no Twitter, torna-se evidente que o atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura que um chefe de Estado deve demonstrar no exercício de suas altas funções”.

E finaliza assim, o ministro Celso de Mello: “É imperioso que o Senhor Presidente da República – que não é um ‘monarca presidencial’, como se o nosso país absurdamente fosse uma selva na qual o Leão imperasse com poderes absolutos e ilimitados – saiba que, em uma sociedade civilizada e de perfil democrático, jamais haverá cidadãos livres sem um Poder Judiciário independente, como o é a magistratura do Brasil”.

''O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinha alguns símbolos que apareciam por frações de segundos''



Então, é melhor encontrar logo um tamborim, embora o carnaval propriamente dito só no ano que vem, e aproveitar a fala do presidente em exercício, general Hamilton Mourão (PRTB), que foi econômico ao explicar o motivo de não ter cumprimentado o presidente peronista eleito da Argentina, Alberto Fernández: “Não vou atravessar o samba nisso aí”. Pena que o vice-presidente não deu uns conselhos ao presidente. Veja só.

“Acho que todo mundo gostaria de passar uma tarde com um príncipe, principalmente vocês, mulheres. Vou ter essa oportunidade hoje. Nós dois temos certa afinidade”. O fuso horário deve estar atrapalhando os miolos do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A frase é dele, antes de passar ao que realmente interessa mesmo: “O Brasil é um mar de oportunidades e eles descobriram isso. É um novo governo que está transmitindo confiança para eles e que os encoraja a investir no Brasil. Estamos muito bem com a Arábia Saudita”.

Tomara mesmo que renda bons frutos econômicos. Chega por hoje.

Resta acatar

Já que foi feito o registro do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vale destacar que ele voltou ao Brasil bem desanimado, ao dizer que a reação do governo brasileiro à eleição do oposicionista Alberto Fernández na Argentina não atrapalhe a relação entre os dois países. Mesmo lamentando, ressaltou: “eu já mandei a minha carta parabenizando o novo presidente. Nós precisamos aceitar as eleições democráticas. Infelizmente, o político no campo centro-direita foi derrotado e nós temos que aceitar o resultado da eleição”.


TSE inspirado

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou, com o objetivo de deixar claro aos eleitores a força de sua escolha nas urnas, a hashtag #SeuVotoTemPoder, com a intenção de reforçar a importância da participação de todos nas eleições. O argumento faz todo sentido: “as diversas caixas de diálogos sobrepostas que remetem à pluralidade de ideias e ao conceito de que todos podem chegar a uma convergência por meio da conversa e da troca de informações”. Só resta acrescentar todo poder aos eleitores.

Afinal…

… “Todo o conceito visual da logo é focado na importância do diálogo para a democracia e na pluralidade da sociedade brasileira. Para marcar essa multiplicidade de ideias e de pessoas, inovamos nas cores tradicionalmente usadas, com uma proposta mais moderna e arrojada, para chamar a atenção do eleitor”. Quem ressalta é a assessora-chefe de Comunicação (Ascom) do TSE, Ana Cristina Rosa, que participou do processo de desenvolvimento da marca. Ela explica que as caixas de diálogo, cada uma de uma cor, fazem referência à diversidade da sociedade brasileira.


The lions out

Coitadas das hienas, elas não têm descanso. Desta vez, é o assessor especial da presidência para Assuntos Internacionais quem se mete. Foi Filipe Martions quem trouxe de volta a polêmica no twitter: “o establishment não gosta de se ver retratado, mas ele é o que ele é: um punhado de hienas que ataca qualquer um que ameace o esquema de poder que lhe garante benefícios e privilégios às custas do povo brasileiro. Isso só mudará quando o Brasil se tornar uma nação de leões”. Como se diz, tirem as crianças da sala.

Falou e disse

Gratidão não é virtude, é obrigação. Quem cumpriu a regra foi o senador Rogério Carvalho (PT-SE), isso mesmo, em agradecimento no plenário do Senado, isso mesmo, com direito a discurso na tribuna, ao vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB). O parlamentar petista destacou: “neste momento, o mais importante não é a gente saber se o óleo é venezuelano, se o óleo é norueguês, se o óleo é de que nacionalidade, mas impedir que este óleo produza os danos”. E ressaltou ainda a edição de uma medida provisória para ajudar os municípios atingidos pelo óleo.

Pinga-fogo

Boletim médico: o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) recebeu ontem a primeira dose de quimioterapia para o seu tratamento de um câncer. Ele trata um tumor localizado entre o esôfago e o estômago, com lesões no fígado. Boa sorte a ele.

Os advogados dele não desistem, ao contrário, fazendo o seu papel, insistem. Trata-se do pedido de suspensão do julgamento marcado pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre (RS). Insistiram tanto que conseguiram suspender.

É claro que se trata do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O objetivo da defesa é anular a condenação imposta ao petista no caso do sítio de Atibaia (SP). Resta esperar ainda a novela das tais alegações finais serem feitas pela defesa.

A Comissão de Desenvolvimento Urbano faz hoje a cerimônia de entrega da 5ª edição do Prêmio Lucio Costa de Mobilidade, Saneamento e Habitação. O prêmio presta homenagem ao arquiteto Lucio Costa (1902-1998) nada menos que o criador do Plano Piloto de Brasília.

Já que se trata do Plano Piloto, melhor levantar voo por hoje e encerrar a coluna por hoje. Já basta mesmo, né? Quem sabe no resto da semana dá para encontrar notícias mais interessantes pelo Brasil afora. Em falta, elas estão.


Publicidade