Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Em francês ou inglês, a notícia é Amazônia

'O ministro da Educação, Abraham Weintraub, deveria ter estudado pelo menos um pouco antes de publicar no Twitter'


postado em 24/08/2019 04:00 / atualizado em 23/08/2019 21:30

General Pujol alertou que 'os soldados do Exército de Caxias estarão sempre atentos e vigilantes'(foto: Ed Alves/CB/DA.Press)
General Pujol alertou que 'os soldados do Exército de Caxias estarão sempre atentos e vigilantes' (foto: Ed Alves/CB/DA.Press)
O presidente da França, Emmanuel Macron, convocou ontem os países integrantes do G7 – Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido – para a reunião de hoje que estremece a política brasileira e é notícia pelo mundo afora. Necessário incluir ainda os demais países da União Europeia, que não estão incluídos.

“No G7, já existe uma mobilização de diplomatas e assessores para decidir sobre iniciativas concretas para a Amazônia, que poderão se materializar”, declarou oficialmente um porta-voz do Champs Palais de l'Élysée, onde está localizado o gabinete do presidente francês e onde ele se reúne com o Conselho de Ministros.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também entrou na roda. “Os incêndios que assolam a floresta amazônica são desoladores, mas também uma crise internacional”, ressaltou o inglês, acrescentando ainda, por outro lado, estar disposto a “a fornecer toda a ajuda que puder para controlá-los e ajudar a proteger uma das maiores maravilhas da Terra”.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, deveria ter estudado pelo menos um pouco antes de publicar no Twitter: “A crise amazônica falsa é fruto do acordo comercial fechado com a Europa. O lobby dos agricultores europeus reagiu diante da iminente invasão de produtos brasileiros”. Até ai estava tudo bem, mas o argumento… “Isso, combinado com ONGs, esquerda e ‘artistas’, revoltados com o fim da mamata e que podem prejudicar os brasileiros”.

Se tem a esquerda, o artista ontem foi o ex-ministro e ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT), continuando o seu périplo em Minas Gerais. “Impeachment não é remédio para governo ruim”, declarou em evento ontem na Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), em Divinópolis.

E como não poderia deixar de ser, Ciro Gomes, ainda que rapidamente, comentou a notícia do dia:  as queimadas na Amazônia. Ressaltou temer um boicote da Europa na área econômica, deixando mais claro que os incêndios podem afetar as exportações para os países europeus. A ameaça é real de fato.

Para encerrar, um dado histórico sobre Duque de Caxias. Quem trouxe foi o comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, que fez questão de alertar aos “incautos que insistem em tutelar os desígnios da brasileira Amazônia” e que “os soldados do Exército de Caxias estarão sempre atentos e vigilantes”.

''Não se pode dizer que porque temos um incêndio ou queimada acontecendo na Amazônia o agronegócio brasileiro é o grande destruidor e vamos fazer barreiras comerciais''
Tereza Cristina, ministra da Agricultura

''Estamos vivendo um momento de barbárie ambiental no Brasil, promovida pelo governo Bolsonaro. A Amazônia está sendo queimada por uma mistura de ignorância com interesses truculentos''
Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente

Fundo de Segurança

O deputado Sargento Rodrigues (foto) (PTB) considerou uma grande vitória a aprovação em três comissões – Constituição e Justiça, Segurança Pública e Fiscalização Financeira e Orçamentária – do Projeto 1.013/19, de iniciativa do governador Romeu Zema (Novo), que teve o do parlamentar anexado. O projeto cria o Fundo Estadual de Segurança Pública. Ele garante ao estado captar R$ 120 milhões no Fundo Nacional de Segurança Ppública. “Foi uma vitória da Assembleia Legislativa (ALMG) que está respondendo, em tempo hábil, a uma demanda que é da sociedade e foi acatada pelo governador Romeu Zema, que está de parabéns ao encaminhar à Casa o projeto.”

Será rápido

“Fizemos um apelo para o presidente da Assembleia, Agostinho Patrus (PV), e na próxima quarta-feira ele vai colocar em votação primeiro turno do nosso projeto e rapidamente ele irá para o segundo turno”, anunciou o deputado Sargento Rodrigues, destacando que os beneficiados com os recursos serão a Secretaria de Estado de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. “São mais recurso para trabalhar no combate à criminalidade e na prevenção do crime”, afirmou o parlamentar.

Portal oficial

A estimativa é de que o portal Gov.br vai economizar 60 milhões de horas anuais para o cidadão brasileiro, que fica livre de filas e da necessidade de deslocamento. Quem garante é o secretário Especial de Desburocratização, Paulo Uebel. Ele acrescenta ainda que o portal “é um trabalho de equipe que honra cada centavo do contribuinte”. Vale só um detalhe: o ambiente já reúne 315 novos serviços que podem ser acessados totalmente pela web, entre eles, procedimentos para importação de vinhos.

Pinga-fogo

Investigado na Operação Lava-Jato da Polícia Federal (PF), em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), o senador Fernando Collor de Mello (Pros-AL), desta vez não sofreu impeachment. Muito antes pelo contrário, se deu bem.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) o arquivamento da denúncia contra o ex-presidente envolvendo R$ 800 mil e a Odebrecht. O motivo: não foi possível obter elementos concretos de crimes.

“Quando a noite caiu sobre a cidade de São Paulo, às 3 da tarde, sendo uma de suas possíveis causas o encontro da frente fria com a fumaça das queimadas, muita gente se assustou com o que parecia um anúncio do fim dos tempos.”

O texto acima é de 20 de agosto, terça-feira. E continuava o texto que havia sido publicado: “Era algo parecido, se recuperarmos o sentido original da palavra holocausto. Tudo queimado no sacrifício dos tempos antigos entre os hebreus”.

Sendo assim, diante das manifestações sobre a questão envolvendo a Amazônia, o melhor a fazer é manifestar de uma vez o encerramento da coluna por hoje. E ela continua a já cansativa busca de melhores notícias.
 


Publicidade