Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLíTICA

Cassação de vereador na Câmara Municipal de BH foi aprovada de goleada

Antonio Rivas Palacios destacou que, desta forma, as negociações a respeito voltam à estaca zero. O jeito é encerrar antes de tomar um choque elétrico


postado em 02/08/2019 06:00 / atualizado em 02/08/2019 09:48

Homenagem aos 28 anos da TV Asa Branca foi feita na quinta-feira na Câmara dos Deputados(foto: Câmara dos Deputados/Divulgação)
Homenagem aos 28 anos da TV Asa Branca foi feita na quinta-feira na Câmara dos Deputados (foto: Câmara dos Deputados/Divulgação)

Em dia com a política municipal monopolizando a cassação de vereador com direito a ameaças e queixa na Polícia Civil no meio na sessão, tirem as crianças da sala. Pois foi tudo isso o que aconteceu na Câmara Municipal de Belo Horizonte, com direito a chamar o delegado Thiago Pacheco, da 1ª Delegacia de Polícia Civil Leste, para pôr ordem na Casa, já que até uma criança e um adolescente estavam também sendo ameaçados.

Assunto: Representação para verificação da quebra de decoro parlamentar em face do vereador Cláudio Donizete Duarte. Autoria: Mariel Márley Marra. Quórum: 2/3 dos membros da Câmara (28). Votação: Nominal. Parecer da comissão processante: pela procedência parcial da denúncia e a cassação do mandato do vereador Cláudio Duarte pela caracterização de quebra de decoro parlamentar.

O jornal The New York Times garante que o governo dos Estados Unidos teve participação direta na morte de Hamza bin Laden, nada menos que um dos filhos do comandante jihadista Osama bin Laden, aquele que provocou pânico nos Estados Unidos no ataque às torres gêmeas de Nova York e matou quase três mil norte-americanos e foi morto depois de uma caçada do serviço de inteligência dos EUA. A caça de agora, o Hamza, era tido como o seu sucessor.

Deve ser por isso que a presidente da Câmara Municipal de BH, vereadora Nely Aquino (PRTB), e o 2º vice-presidente da Casa, vereador Jair de Gregório (PP), optaram por pedir a presença de policiais da Patrulha Metropolitana Unificada de Apoio. Precisava mesmo. “Meu filho tem 6 anos, senhor. É muita crueldade. Meu coração de mãe está doendo muito, mas não temerei, pois quem me guia é Deus”. A dor de uma mãe fala por si, assim como o placar de 37 votos a zero.

Melhor tratar da política nacional. Afinal, é simplesmente ridículo querer mudar o nome do programa Mais Médicos para programa Médicos pelo Brasil só por causa de o anterior ter sido lançado pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT). É pura falta de inspiração. Criasse um outro nome mais pomposo, do tipo Mais Médicos na Medicina Avançada ou que tal Programa Novo, já que o partido homônimo virou o queridinho no Palácio do Planalto.

Se teve curto-circuito, o que agora é fato na Usina de Itaipu, diante da ameaça de impeachment do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, é que seu ministro das Relações Exteriores, Antonio Rivas Palacios, destacou que, desta forma, as negociações a respeito voltam à estaca zero. O jeito é encerrar antes de tomar um choque elétrico.

As carteiradas
Foi sancionada ontem a Lei 13.862/2019 que torna válida como documento civil em todo o país as carteiras de identidade funcionais de senadores, deputados federais, estaduais e distritais e vereadores. Qual é a novidade que traz o senador Romário (Pode-RJ)? É que a nova MP teve origem em 2015, quase igual agora, mas só para os parlamentares do Congresso, deputados federais e senadores. Detalhe interessante: em caso de renúncia, perda de mandato ou afastamento para exercício de cargo em outro poder, as carteiras de senadores e deputados deverão ser devolvidas à Mesa da Casa legislativa a que pertencer. Ah! E o uso indevido das identidades sujeitará o infrator às penalidades legais.

Solenemente
Homenagem aos 28 anos da TV Asa Branca. Começa a partir das 9h desta quinta-feira (ontem) uma sessão solene (foto) em homenagem aos 28 anos da TV Asa Branca, no Agreste de Pernambuco. Quem requereu foi o deputado federal Fernando Rodolfo (PL), que encheu o plenário com funcionários e diretores da emissora. Se bastar, a solenidade foi transmitida ao vivo pela TV Câmara. E só o deputado usou a tribuna para fazer um discurso durou exatos 18min59 – isso mesmo, dezoito minutos e cinquenta e nove segundos contados no relógio. Vale dar o registro de que Fernando Rodolfo está em seu primeiro mandato.

Essa é teatral
O ministro da Cidadania, Osmar Terra, recebeu ontem o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB-DF). Em reunião, eles trataram sobre alternativas para o contraturno escolar de instituições públicas e articulações para a reabertura do Teatro Nacional. De acordo com Osmar Terra, uma das propostas para o teatro é que passe a funcionar como um teatro-escola. Para deixar claro, o contraturno, é o turno fora do horário normal, especialmente relacionado com o tempo para as atividades extracurriculares, que são realizadas posteriormente às aulas obrigatórias e estabelecidas por lei. Uai, o ministro da Educação não é o Abraham Weintraub?

#RecadodoLula
“Desde março, o governo Bolsonaro cortou o envio de água da transposição do Rio São Francisco até Monteiro, na Paraíba. A obra, pronta desde 2017, e Bolsonaro simplesmente interrompe o fluxo de água para o sertão. É incompreensível e desumano. E silêncio na imprensa. #RecadodoLula”, disse o ex-presidente. Disse a quem? Ou quem disse por ele? São perguntas sem respostas, já que a informação registra como perfil do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Leia-se ghost writer.

“Pessoas idosas”
Falta só a Câmara dos Deputados e se for aprovado será em caráter conclusivo depois de passar pelas comissões de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e na de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), por onde tudo que tem passar mesmo.  “Assim como outros termos masculinos, a palavra idoso é usada para designar genericamente todas as pessoas idosas, sejam homens ou mulheres – embora mulheres sejam maioria na população de mais de 60 anos”, ressalta o senador Paulo Paim. É diante do Projeto de Lei 3.646/19, que altera o nome do Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03) para Estatuto da Pessoa Idosa.

pingafogo

 Só faltou a trilha sonora, cantada e eternizada pelo saudoso Luiz Gonzaga, “quando ouvi a terra ardendo/ Qual fogueira de São João/ Eu perguntei a Deus do céu, ai/ Por que tamanha judiação/. Por falta d'água/ Perdi meu gado/, Morreu de sede meu alazão”.

 Perdeu Bolsonaro! E de goleada. O placar foi 10 a zero. Isso mesmo, foi o que aconteceu no Supremo Tribunal Federal (STF) que manteve suspenso, como não poderia deixar de ser, o trecho da transferência das terras indígenas para o Ministério da Agricultura, tirando-as da Fundação Nacional do Índio (Funai).

 Foi por unanimidade, só faltando o voto do ministro Alexandre de Moraes. Votaram o relator Luís Roberto Barroso, acompanhado por Edson Fachin, Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e o presidente Dias Toffoli.

 Se a prestigiada  revista The Economist coloca na capa em sua edição desta semana “O velório para a Amazônia: a ameaça do desmatamento descontrolado” e diz que suas políticas podem precipitar com mais intensidade nas fronteiras de seu país, mas iria muito além delas…

 … O jeito é ficar por aqui e esperar que o governo Bolsonaro caia na real e crie um colapso ecológico, capaz de crescer ainda mais as intenções veladas que pairam sobre a sua internacionalização.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade