Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Golpes aplicados na internet ganham a versão quarentena

Espertinhos oferecem de tudo: de camarão VG que encolhe depois de descongelado a fortunas deixadas por mulheres com cânce


postado em 27/05/2020 04:00

Curiosidade: e-mails oferecendo todos os tipos de remédios, poções, fórmulas e novidades para melhorar o desempenho masculino praticamente desapareceram do dia a dia de quem costuma receber uma leva interminável de atividades inúteis em seu computador. Não posso entender a razão do sumiço, pois como o tempo livre é maior para todos nesta época terrível de quarentena, tal ajuda deveria ser bem maior e mais consistente. O certo é que novidades assim sumiram de minhas comunicações diárias.

Outro sumiço foi a oferta de vinhos de todas as procedências, preços e localizações. Tenho uma certeza: quem acessa esse tipo de e-mail e faz a encomenda costuma receber o pedido em casa. Tenho uma amiga que toma uma taça de vinho antes de cada refeição e está usando tal expediente com toda a segurança. Por causa disso, confere as informações de que a venda de bebidas alcoólicas cresceu 93% nos últimos meses. Avaliando: o sexo está em baixa e o álcool está em alta?. Pode até ser verdade, pois o vinho serve muito mais para aliviar as tensões destes tempos terríveis.

Entre os e-mails, outro sumiço é da oferta de grandes somas de dólares por parte de mulheres que estão nas últimas, com câncer, e querem deixar como herança a dinheirama. Não sei quem tem tempo para se ocupar desse tipo de tolice, sempre escrita em inglês e vinda não se sabe de onde. Na verdade, o coronavírus acabou com esse tipo de mensagem que lota nosso computador sem nenhuma serventia.

Em compensação, a cobrança de dívidas inexistentes continua firme – quem cai na mentira (ou deve mesmo) pode pagar para o espertalhão. Como há pessoas que não pensam no dia de amanhã, os trotes terríveis continuam.

Fiquei sabendo de uma conhecida que acabou tendo um baita infarto porque recebeu um telefonema, alta madrugada, dizendo que a filha estava sequestrada e os bandidos precisavam de x de grana para soltá-la. Aflita, conseguiu se lembrar de que a filha mora no prédio em frente. Atravessou a rua, na maior tensão, e quando chegou ao apartamento, constatou que a moça estava lá. Porém, sucumbiu à pressão. Poderia ter morrido, só se curou porque, por sorte, a filha é médica e diagnosticou logo o problema, tomando as providências necessárias.

No prosaico dia a dia doméstico, o tempo que sobra dá para que tomemos conhecimento de alguns truques que já deviam funcionar há tempos, sem que percebêssemos. Como o golpe do camarão. A moda, agora, é criar camarão VG, aquele tipo maior e mais caro, usando sucessivas camadas de gelo. Acredito que os bichinhos são congelados várias vezes e por isso ficam grandes. Degelados, minguam e ficam no tamanho médio, muito mais barato. Esse tipo de esperteza era mais comum com o marisco sem casca; naquele vendido com a casca o truque parece mais difícil de ser aplicado. Ando procurando um ponto de venda onde o truque não seja aplicado, mas está difícil encontrar vendedor honesto.

Mesmo com toda a campanha que ocupa todos os meios de comunicação lembrando que devemos pensar e respeitar o próximo, o máximo que conseguimos é obrigar o uso de máscaras. Não se aproveitar dos tempos apertados, dos cortes de salário, do dinheiro curto e da falta de poder aquisitivo da maioria é algo que não entra na cabeça dos espertos por natureza. Eles se aproveitam de qualquer ocasião para tirar o que podem do próximo.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade