Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Osteoporose atinge 10 milhões de brasileiros. Saiba se prevenir

Manter alimentação balanceada e praticar exercícios físicos regularmente são hábitos importantes


postado em 28/10/2019 04:00


 
 
Na semana passada, foi celebrado o Dia Mundial de Combate à Osteoporose. A data chama a atenção para a doença que atinge mais de 10 milhões de brasileiros, de acordo com a International Osteoporosis Foundation (IOF). A boa notícia é que muitas medidas podem ser adotadas para prevenir e diagnosticar a osteoporose, que já é uma condição amplamente tratável. Com a combinação de mudanças no estilo de vida e tratamento médico adequado, fraturas podem ser evitadas.
 
A manutenção óssea é algo delicado. Nos adultos, a remoção diária de pequenas quantidades de mineral ósseo, processo chamado reabsorção, deve ser equilibrada por reposição igual de novo mineral para preservar a força óssea. Quando há reabsorção excessiva, os ossos enfraquecem (osteopenia) e, com o tempo, podem se tornar quebradiços e propensos a fraturas (osteoporose).
Por ser uma doença silenciosa, ou seja, que não apresenta sintomas muito perceptíveis, a prevenção é fundamental. Muitas vezes, só é descoberta em estágios já avançados, quando ocorre uma fratura, por exemplo. O diagnóstico se dá por meio do exame de densitometria óssea. O estrogênio, hormônio feminino que protege os ossos, diminui acentuadamente quando as mulheres atingem a menopausa, o que pode causar perda óssea. Por isso, a chance de desenvolver a doença aumenta à medida que as mulheres atingem a menopausa.
 
Em todo o mundo, uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens com 50 anos ou mais estão em risco de fratura osteoporótica. Estima-se que uma fratura osteoporótica ocorra a cada três segundos. As fraturas mais comuns associadas à doença ocorrem no quadril, coluna e punho.
Manter alimentação balanceada e praticar exercícios físicos regularmente são hábitos importantes, que fazem a diferença. Em termos de nutrição óssea, é fundamental garantir a ingestão adequada de cálcio e vitamina D. O cálcio é um mineral essencial para diversas funções metabólicas. Quando não ingerimos a quantidade recomendada, o corpo a retira dos ossos, que podem ficar fracos e sofrer fraturas. Nem sempre é possível consumir a quantidade suficiente de cálcio ou absorver tudo o que ingerimos, por isso a suplementação com cálcio e vitamina D pode ser avaliada.
 
Você pode seguir cuidados fáceis para fortalecer seus ossos: a alimentação balanceada deve ser privilegiada e é importante dar preferência a alimentos ricos em cálcio e vitamina D. O cálcio é encontrado especialmente em leites e derivados, além de vegetais com folhas verdes. Já a vitamina D está presente, sobretudo, em alguns tipos de peixe, como sardinha, salmão e atum, mas sua principal fonte é a luz solar.
 
O Sol é o principal responsável pela produção de vitamina D em nosso organismo. É importante arrumar um tempinho para sair de casa ou do trabalho e ver a luz do dia, 15 minutos já são suficientes. Os melhores horários são antes das 10h ou depois das 16h. Dificuldade é parar de fumar e de ingerir álcool. Bebida e cigarro prejudicam o estoque de cálcio no corpo humano. Estudos mostram que esses dois hábitos também podem provocar osteoporose, pois ativam mecanismos de inflamação que levam à eliminação óssea exagerada.
 
Praticar exercícios físicos regulares é importante. O sedentarismo está entre as causas de diversas doenças, como diabetes, obesidade, problemas cardiovasculares e osteoporose. E não é preciso virar frequentador assíduo de academias. Começar com uma caminhada leve, pelo menos três vezes na semana, já faz diferença. Suplementação de cálcio e vitamina D são importantes para a boa manutenção dos ossos, pois ajudam a preencher as lacunas nutricionais. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade