Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Locadoras de carros ganham com a troca do transporte público na crise

O sucesso tem razão de ser: na pandemia, as pessoas trocaram viagens de ônibus e avião pelo carro


09/04/2021 04:00 - atualizado 09/04/2021 07:06

As locadoras compraram 360 mil carros zero-quilômetro no ano passado(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press 31/4/20)
As locadoras compraram 360 mil carros zero-quilômetro no ano passado (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press 31/4/20)

Enquanto a indústria automotiva enfrenta tempos difíceis, as locadoras (foto) circulam pela direção oposta. No ano passado, elas venderam 250 mil veículos seminovos, acréscimo de 24% em relação a 2019, quando negociaram 190 mil unidades. As locadoras também cumprem um papel importante para as montadoras.

Em 2020, compraram 360 mil carros zero-quilômetro, o que corresponde a 20% dos automóveis e comerciais leves negociados no ano. O sucesso tem razão de ser: na pandemia, as pessoas trocaram viagens de ônibus e avião pelo carro.

As fabricantes, por sua vez, continuam com o pé no freio. Depois do fechamento das plantas em março, algumas unidades retomaram as atividades nesta semana, mas há quem siga parado.

É o caso da fábrica da General Motors em Gravataí (RS). Segundo a empresa, a operação permanecerá paralisada até maio. Faltam componentes para a produção do Onix, carro que liderou o mercado brasileiro durante muito tempo, mas que perdeu o posto por causa da interrupção das linhas.

Google doa R$ 5,5 mi para o combate à fome

Se as autoridades pouco fazem, as empresas ao menos se mobilizam para combater os efeitos perversos da crise do coronavírus. O Google anunciou a doação de R$ 5,5 milhões à Gerando Falcões, rede de organizações não governamentais que atua nas favelas brasileiras.  A iniciativa consiste principalmente no apoio à campanha “Corona no paredão, fome não”, que prevê a entrega de cartões com R$ 150 mensais de crédito para a compra de alimentos. Segundo o Google, a intenção é auxiliar 7 mil famílias.
 

Brasília precisa pensar mais no Brasil. Caso contrário, vamos ter mais um ano difícil na economia

Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea, associação que representa as montadoras

 

Safra de grãos será recorde

O agronegócio jamais decepciona: a produção brasileira de grãos na safra 2020/2021 chegará a recordistas 273,8 milhões de toneladas, o que significa avanço de 6,5% na comparação com a temporada anterior. Além do aumento da área plantada, a produtividade também avançou, o que se deve sobretudo ao desenvolvimento tecnológico. Como sempre, o destaque ficou com o bom desempenho da soja (foto) e do milho. Os dados foram apresentados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

C&A lança roupa sem gênero

A C&A é a primeira rede de varejo a lançar  no Brasil vestidos unissex, uma tendência surgida nos Estados Unidos, mas que começa a se espalhar para diversas partes do mundo. A empresa também pretende trazer ao país, ainda em 2021, sapatos de salto alto que podem ser usados tanto por homens quanto mulheres. Até pouco tempo atrás, as roupas e acessórios sem gênero estavam restritos ao público de nicho, mas agora começam a aparecer nas vitrines de grandes redes.

5%

é a projeção do banco BTG Pactual para o IPCA em 2021. A estimativa anterior era 4,7%. Inflação em alta é mais um risco para a economia brasileira

RAPIDINHAS


  • A pandemia trouxe novos desafios para o setor de logística. A necessidade de manter as operações em funcionamento, mesmo que de forma remota, acelerou a transformação digital nas empresas. Nesse cenário, ganham espaço as plataformas tecnológicas que otimizam processos. É o caso da Cobli, logtech de gestão para frotas que utiliza recursos como internet das coisas (IoT).

  • Em 2021, a Cobli vai investir R$ 21 milhões em tecnologias de big data e IoT. A ideia é montar um ecossistema logístico integrado com parceiros de combustível, pedágio, manutenção e seguros, conectando os sistemas e municiando as empresas com informações sobre as suas frotas.

  • Pioraram as perspectivas para o mercado de trabalho brasileiro. O Indicador Antecedente de Emprego medido pela Fundação Getulio Vargas caiu 5,8 pontos em março, chegando a 77,1 pontos – é o menor nível desde agosto de 2020. Segundo a FGV, a queda do índice é resultado sobretudo do agravamento da pandemia do coronavírus.

  • Os shoppings têm feito de tudo para atrair consumidores. Há alguns dias, o Shopping Cidade São Paulo, localizado numa das regiões mais nobres da capital paulista, lançou o serviço de “personal shopper” por WhatsApp. O profissional auxilia o cliente na escolha de produtos, faz a curadoria de lojas e indica opções de compras.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade