Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Mercado S/A

Pessimismo dos empresários é recado para o governo de Jair Bolsonaro

No setor produtivo, o que se quer agora é vacinação em massa, o único antídoto capaz de frear a expansão do coronavírus


01/04/2021 04:00 - atualizado 01/04/2021 07:44

Vacinação em massa da população é o que pedem os empresários para economia voltar ao normal (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 22/3/21)
Vacinação em massa da população é o que pedem os empresários para economia voltar ao normal (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 22/3/21)

Como não poderia deixar de ser em um cenário de pandemia sem controle, a confiança empresarial sofreu forte queda em março. O índice caiu 5,6 pontos e chegou a 85,5 pontos – é o menor nível desde julho de 2020 e o sexto recuo consecutivo, segundo levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas. O pessimismo é um obstáculo para a retomada, freando contratações e investimentos, e também um forte recado dos empresários para o governo, que fracassou na gestão da crise do coronavírus.

No setor produtivo, o que se quer agora é vacinação em massa, o único antídoto capaz de frear a expansão do coronavírus. Lembre-se de que os consumidores também estão descontentes. Há alguns dias, a Associação Comercial de São Paulo informou que a confiança na economia alcançou em março os patamares mais baixos desde o início da pandemia. Enquanto isso, Brasília continua a ser uma usina geradora de crises em vez de trazer soluções.

Brasil faz feio em ranking de igualdade de gênero

As empresas brasileiras e as diversas esferas de governo deveriam acelerar seus programas de inclusão. Segundo estudo elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, o Brasil ocupa o vergonhoso 93º lugar – foram pesquisados dados de 156 países – no ranking global de igualdade de gênero. Entre os critérios considerados na elaboração da lista estão “participação econômica e oportunidades”, “educação”, “saúde” e “empoderamento político.” A Islândia lidera a relação, à frente de Finlândia e Noruega.

O novo enrosco de Eike Batista

Eike Batista continua fazendo barulho na bolsa. Depois de ser condenado à prisão por ocultar informações negativas sobre a OGX – o que foi considerado manipulação de mercado –, ele agora enfrenta um novo enrosco. A Associação Brasileira de Investidores protocolou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) uma denúncia sobre a mineradora MMX, controlada por Eike. Segundo a entidade, um fato relevante divulgado pela empresa sobre uma eventual negociação com chineses lesou investidores.


O exemplo da Nova Zelândia

Alguns países foram exemplares no combate à pandemia. Na Nova Zelândia, o vírus sumiu de circulação e todas as atividades voltaram ao normal. Desde o início da crise, foram contabilizados apenas 26 óbitos provocados pelo coronavírus. Um ano atrás, a Nova Zelândia fechou fronteiras e aeroportos por seis semanas. O lockdown foi o mais rígido do mundo: só farmácias, hospitais, supermercados e postos de gasolina funcionaram e o governo liberou recursos para empresas e trabalhadores. Deu certo.

"Quem desindustrializou o Brasil foi o imposto"

Abilio Diniz, presidente do Conselho da Península Participações

7,2 milhões

É o total de carros elétricos em circulação mundo, o que corresponde a apenas 1% da frota global. O setor é promissor, mas tem demorado para emplacar

Rapidinhas

  • Depois de resistir durante anos e se envolver em diversas disputas judiciais, o Google pagará para que notícias selecionadas de sites jornalísticos apareçam em destaque no aplicativo Google Notícias. A mudança foi anunciada por um dos vice-presidentes da companhia, Richard Gingras, e já vale para o Brasil, Alemanha, Austrália e França.
  • O polêmico “tênis do Satanás”, que contém uma gota de sangue humano nas solas, foi parar nos tribunais. A americana Nike decidiu processar o coletivo de arte MSCHF, que criou o calçado em parceria com o rapper Lil Nas X. O modelo foi inspirado no Nike Air Max, o que obviamente leva a uma associação imediata com a marca.
  • A indústria da Cannabis é uma colecionadora de boas notícias. Nesta semana, parlamentares de Nova York aprovaram proposta que legaliza o uso da maconha por adultos. É o 15º estado americano a permitir o uso recreativo da droga. O setor movimenta estimados US$ 50 bilhões por ano, mas o potencial para a geração de receitas é muito maior.
  • O Grupo Iguatemi, dono de 16 shoppings no país, é um exemplo sobre como a pandemia acelerou o processo de digitalização das empresas. Com o fechamento das lojas, o grupo decidiu criar uma plataforma de comércio eletrônico, o Iguatemi 365. O projeto vingou: atualmente, 900 marcas integram a ferramenta.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade