Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Crise política compromete reformas para a volta do crescimento

Com a piora da relação entre o Executivo e o Congresso, país perde chances de levar adiante projetos importantes, passada a pandemia do coronavírus, como a alteração da tributação e as privatizações


postado em 29/05/2020 04:00 / atualizado em 05/06/2020 11:14

Manifestações estimuladas pelo conflito entre poderes atrasam oportunidades para o país estruturar reação da economia (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press 19/4/20)
Manifestações estimuladas pelo conflito entre poderes atrasam oportunidades para o país estruturar reação da economia (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press 19/4/20)

Os radicais (foto) que teimam em incendiar o Brasil deveriam levar em conta uma questão primordial: ao estimular o conflito entre poderes, eles aniquilam o ambiente pró-reformas que marcou o início do governo Bolsonaro. Com a piora da relação entre o Executivo e o Congresso, qual é a chance de projetos importantes seguirem adiante? O aumento das tensões políticas também obriga o governo a gastar energia defendendo-se, em vez de se preocupar com uma agenda propositiva. Se as reformas empacarem, o país seguirá à deriva e não haverá perspectiva de crescimento mesmo depois de superada a crise do coronavírus. Não é hora de desengavetar a reforma tributária? E a administrativa, como fica? Em que pé estão os programas de desburocratização? Por que as privatizações estão demorando para sair? As discussões acima deixaram a cena política para dar lugar ao debate encarniçado dos radicais. Isso é péssimo para o presente e o futuro do Brasil.

Maple Bear investirá R$ 20 mi em Minas

A Maple Bear, rede canadense de ensino bilíngue, vai dobrar a presença em Minas Gerais nos próximos anos. Atualmente, são 10 escolas em operação no estado e cerca de 1,5 mil alunos. A rede pretende implantar mais 14 unidades em cidades estratégicas, o que deverá resultar em investimentos de R$ 20 milhões e 700 empregos diretos gerados. Nas próximas semanas, representantes da franqueadora irão se reunir virtualmente, via webinar, com investidores locais interessados em participar do projeto.

Decisão do BC aumenta saques de consórcios

A autorização do Banco Central para saques em dinheiro de cotas contempladas de consórcios de imóveis mal completou um mês e já impacta o setor. Segundo a Ademilar, empresa com 75 unidades no país, os saques diários cresceram 600% desde então. “Clientes que precisavam aguardar 180 dias agora obtém o valor do crédito imediatamente”, diz Maria Fernanda Gruber, diretora de crédito da empresa. A executiva esclarece que a retirada em espécie só é possível para clientes que já foram contemplados.

 

''Eu acredito muito que o Facebook não deveria ser um árbitro da verdade de tudo que as pessoas dizem na internet. Companhias privadas provavelmente não deveriam estar na posição de fazer isso''

Mark Zuckerberg, presidente e fundador do Facebook, ao criticar o Twitter por checar informações publicadas pelo presidente Donald Trump



Fogo de Chão desiste de cobrar do governo rescisões trabalhistas

A rede de churrascarias Fogo de Chão desistiu de cobrar dos governos estaduais a conta das demissões causadas pelo coronavírus. A empresa dispensou 400 funcionários e pagou 80% dos direitos trabalhistas. Os outros 20%, chegou a argumentar, deveriam ser bancados pelos agentes responsáveis pela paralisação das atividades – os governos. A ideia não vingou. “Dadas as questões jurídicas levantadas e o impacto financeiro para os membros das equipes, reconsideramos a decisão”, disse a empresa.

125 mil

funcionários da Amazon que trabalharam em regime temporário durante a crise do coronavírus serão contratados definitivamente pela empresa. As vendas crescentes da gigante de tecnologia justificam o aumento da força de trabalho

RAPIDINHAS


  • Até companhias que tinham presença discreta no ambiente digital se adaptaram rapidamente às mudanças impostas pela quarentena prolongada. A C&A viu o número de usuários de seu aplicativo crescer duas vezes durante a crise do coronavírus. No final de março, a empresa contabilizou 900 mil clientes ativos no app.
  • A C&A reabriu 43 de suas 286 lojas no Brasil, a maioria delas no sul do país. Algumas regras foram definidas para a volta ao trabalho: os funcionários usam máscara e a temperatura deles é medida no momento da entrada. Para reduzir os riscos de contaminação, os provadores permanecem fechados.
  • O crescimento do comércio eletrônico levou os supermercados Extra e Pão de Açúcar a reformular os aplicativos Clube Extra e Pão de Açúcar Mais. Atualmente, a cada R$ 10 comprados no e-commerce dessas marcas, R$ 5 são transacionados pelo celular. Juntos, os dois aplicativos somam 12 milhões de downloads e recebem15 milhões de visitas por mês.
  • A Boeing vai retomar a produção do modelo 737 Max, que estava paralisada desde janeiro. Nesse período, os engenheiros trabalharam na reformulação do sistema automatizado de controle – sua falha teria provocada a queda de duas aeronaves, em outubro de 2018 e março de 2019. Embora a produção tenha sido retomada, o 
  • 737 Max continua proibido de voar.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade