SIGA O EM

Financial Times fala em avanço de neonazismo no Brasil e cita Bolsonaro

O deputado federal brasileiro é apontado como político de extrema direita conhecido por opiniões controversas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1097767, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Lula Marques / AGPT', 'link': '', 'legenda': 'Bolsonaro causou pol\xeamica ao defender o torturador Brilhante Ustra', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/01/11/838665/20170111110118513170a.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}, {'id_foto': 1097768, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o da FT', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/01/11/838665/20170111111135476173u.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 11/01/2017 10:51 / atualizado em 11/01/2017 14:11

Juliana Cipriani /

Lula Marques / AGPT

O polêmico deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ), criticado por uns e amado por outros, ganhou fama internacional como político da extrema direita brasileira. Desta vez, ele virou personagem de uma matéria do jornal britânico Financial Times publicada nesta terça-feira. O artigo enfoca o avanço do neonazismo no Brasil. A publicação lembra a defesa que ele fez do torturador Brilhante Ustra, durante a votação da admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo o texto do Financial Times, Bolsonaro negou ser neonazista, mas os críticos o acusam de compartilhar “muitos pontos de vista do movimento, como o racismo e a intolerância”.

O jornal lembra que o deputado é de extrema-direita e ex-capitão do exército brasileiro e conquistou manchetes no ano passado ao “elogiar um conhecido torturador da era da ditadura”. Na votação da admissibilidade do processo de impeachment contra a ex-presidente do Brasil, Bolsonaro enalteceu o coronel Brilhante Ustra, ex-chefe do antigo DOI-CODI.

Pavor de Dilma

Ao justificar o voto pela derrubada da petista, Bolsonaro disse que o fazia "pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff", se referindo ao fato de a ex-presidente ter sido uma das torturadas na ditatura militar.

A reportagem do Financial Times fala sobre o avanço de uma onda neonazista no Brasil e do avanço da extrema-direita e dos políticos ultraconservadores diante de um vácuo político causado com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
Reprodução da FT

A matéria lembra o episódio em que um grupo invadiu o Congresso Nacional com faixas pedindo a volta da ditadura militar.

O texto cita ainda um estudo da Unicamp que mostra que, dos 200 milhões de brasileiros, há 150 mil simpatizantes do neonazismo. Segundo a publicação, a revelação de que integrantes do movimento neonazista brasileiro estariam sendo convocados por forças extremista da Ucrânia causa preocupação.

O artigo lembra crimes cometidos por grupos extremistas no Brasil, como o caso de skinheads que atacaram um negro no metrô de São Paulo e um grupo gaúcho que invadiu uma festa judaica.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
jose
jose - 12 de Janeiro às 09:11
O Brasil é um país sem futuro........ Olha nível dos comentários.....
 
GILBERTO
GILBERTO - 11 de Janeiro às 21:55
MAIS UM PERIODICO ESQUERDOPATA NORTE AMERICANO. LA , TAMBEM, EXISTEM JORNAIS QUE ADORAM O COMUNISMO E DESPREZAM A BASE DE UMA SOCIEDADE QUE A FAMILIA.
 
Adalberto
Adalberto - 11 de Janeiro às 21:48
Antes de comentar sobre o Bolsonaro, vamos falar do Lula. Porque o Lula surgiu e porque ele ganhou eleição? Alguém "deixou" que ele crescesse,o momento daquela epoca. Agora acontecesse o mesmo, porque surge com chances um Bolsonaro (voto nele), porque o povo não aguenta mais corrupção, privilégios, politicos, assim o momento é de Bolsonaro, se deixar ele ganha, depois é outra estória.
 
Adilson
Adilson - 11 de Janeiro às 17:14
Os bandidos (sejam os armados, os de terno e gravata, os com carteiras da OAB, os eleitos pelo povo, os com carteira de "jornalista" ... todos eles PIRAM, ao ver Bolsonaro ser citado ou aclamado ... vai ser assim até 2018. De um lado, bandidos com e sem "carteiras" ... do outro as pessoas de bem ... envergonhadas de tanta safadeza e manipulação. Vamos parar de praticar tolerância e praticar "respeito" ... isso, sim, muda um país ... Tolerância, em pais subdesenvolvido, é matéria prima para os mau intencionados e sem caráter criarem seus "impérios" particulares.
 
Full
Full - 12 de Janeiro às 15:17
Adilson, vc não sabe nem escrever em português, vai arriscar no inglês, anta?
 
Adilson
Adilson - 12 de Janeiro às 10:39
"mal" intencionado e sem caráter ... DETECTED !!! \^o^/
 
SAMUEL
SAMUEL - 12 de Janeiro às 08:52
é preciso tolerância, sim, mas com os analfabetos políticos e de português, como vc, seu jegue. É "mal" intencionados, sua anta!
 
FelipeGuerra
FelipeGuerra - 11 de Janeiro às 13:30
Pelo nível dos comentários e da extrema exaltação a Bolsonoro, conclui-se que o país investe muito pouco em cultura e educação. Se investissem mais em educação neste país, o nível de esclarecimento seria outro e não haveria lugar para comentários imbecis e idiotas como estes aí abaixo, Eita paisinho de gente burra e mal esclarecida, cruz credo.
 
Bruno
Bruno - 11 de Janeiro às 13:09
Só faltaram colocar as provas e os comentários racistas dele.
 
Marco
Marco - 11 de Janeiro às 13:02
Também acho que faltou uma compreensão melhor do texto do Financial Times ou houve má intenção na edição da matéria.
 
Marcelo
Marcelo - 12 de Janeiro às 10:45
É, claramente, uma matéria ideologicamente viciada. Esse tipo de jornalismo que não se pauta pela verdade dos fatos é um vírus contra a democracia.
 
SAMUEL
SAMUEL - 11 de Janeiro às 14:35
ô mané, pelos comentários que vc anda postando aqui, posso te dizer uma coisa com certeza: se vc cair de quatro numa área verdinha vc não levanta mais.
 
Marcos
Marcos - 11 de Janeiro às 13:00
BOLSONARO PRESIDENTE EM 2018!!!!!!!!!!!!!!! SE PUDESSE VOTARIA 10 VEZES NELE...
 
José
José - 11 de Janeiro às 12:48
Sendo o único candidato digno a ser PRESIDENTE dessa bodega, é natural que se façam tais críticas e tais acusações. A única realmente errada em Bolsonaro é acreditar que essa banania é administrável. Isso aqui é uma torre de babel com todo mundo querendo o máximo prá si e o mínimo para os outros. A melhor prova disso é que o nosso comunismo é o mais ladrão e usurpador da história mundial. Se ser Bolsonaro de carteirinha é ser neonazista, podem me pendurar no poste...
 
fred
fred - 11 de Janeiro às 12:44
Voltaremos ao poder e vamos ceifar os vagabundos do pais. O Brasil voltara aos trilhos. Lugar de bandido e corrupto e o incinerador!!!
 
Julio
Julio - 11 de Janeiro às 12:35
"O deputado federal brasileiro é apontado como político de extrema direita conhecido por opiniões racistas e intolerantes" Mídia suja. Que nojo de vocês!
 
Julio
Julio - 11 de Janeiro às 12:24
Não adianta, mídia suja. Assim como vcs tentaram e tentam destruir a imagem de Donald Trump, vcs nao conseguirão destruir a imagem de Bolsonaro! Ninguém confia mais na grande mídia. Vocês cavaram a própria cova.
 
Paulo
Paulo - 11 de Janeiro às 12:18
Ele, ainda, não é o meu candidato, estou esperando um cara mais inteligente e progressista, mas não deixa de ser uma opção para 2018, até o pais dar uma acalmada, pois do jeito que tá, não dá mais para continuar. Violência e impunidade estão ditando os rumos do país. Se der uma melhorada na segurança e melhorar um pouco as sacanagens do legislativo e nomear (não sei se pode), novos juízes menos corporativistas, o resto o país fará sozinho.
 
Andre
Andre - 11 de Janeiro às 12:15
BOLSONARO JÁ.....
 
Marcelo
Marcelo - 11 de Janeiro às 12:12
Sai, esquerda, sai!! Esse corpo chamado Brasil não te pertence!!!
 
Edson
Edson - 11 de Janeiro às 12:11
Vergonha! Reportagem esquerdista! E outra; opinião de imprensa estrangeira, que não conhece nossa realidade? Não tem moral para falar do Brasil! FT falar do contexto político no Brasil, seria o mesmo que o EM publicar artigo sobre a eleição de Trump!
 
Full
Full - 11 de Janeiro às 12:07
Não se combate violência elegendo figuras imbecis e esdrúxulas como este Bolsonaro. Existem medidas mais efetivas, inteligentes e democráticas de se combater a violência sem temos que apelar para a ignorância. Bolsonaro é uma figura a ser extirpada da vida política deste país.
 
JANE
JANE - 12 de Janeiro às 08:50
Felipe, é "há" 13 anos, analfabeto! Vá se alfabetizar primeiro, depois volta aqui para dar seus pitacos idiotas.
 
Felipe
Felipe - 11 de Janeiro às 14:16
É isso ai, mesmo discurso que escuto a 13 anos, estou até hoje esperando essas medidas mais efetivas... Passa a mãozinha na cabeça de bandido.
 
Rafael
Rafael - 11 de Janeiro às 11:52
Bolsonaro Presidente é o que o Brasil quer. Reportagens plantadas não enganam mais ninguém. Cade os heróis da "ditadura" eu digo presos por todos os tipos de corrupção...
 
ALFREDO
ALFREDO - 11 de Janeiro às 12:08
Olha o nível de raciocínio desta besta.
 
Eric
Eric - 11 de Janeiro às 11:36
Acho que faltou uma compreensão melhor do texto do Financial Times hein... Ta merecendo uma visita da Caneta Desesquerdisadora aqui UAI
 
José
José - 11 de Janeiro às 12:51
O E.M. nunca foi uma fonte de virtudes no que diz respeito a atribuir a CESAR o que é de Cesar e a DEUS o que é de Deus. Se Bolsonado topar o desafio encarar esse boi de chifres do capeta que é a banania, agradeçam a Deus....
 
Luiz
Luiz - 11 de Janeiro às 11:27
Com o foco da propaganda empreendida pela Direita e, principalmente, pela Imprensa Golpista, há dois anos eu já avisava que o Brasil estava chocando o Ovo da Serpente. Pouca gente acreditou no que eu disse. Agora, tudo está se concretizando...
 
Leon
Leon - 11 de Janeiro às 13:03
Quem disse que o ovo dá serpente está chocando? Já nasceu a muito tempo, que se autodenominou Jararaca? Ela está aí livre e solta.
 
Marco
Marco - 11 de Janeiro às 13:02
O Ovo da Serpente foi chocado desde o Governo Militar depois de 1964. Nasceu em 2002 com Lula na presidência. Quanto à "imprensa golpista", você se refere à midia mainstream que teve como maior cliente o próprio estado petista brasileiro durante mais de 15 anos???
 
José
José - 11 de Janeiro às 12:50
A cobra vai fumar, professor. Sabe aquela maconhazinha ecológica de viçosa? Agora vai ficar mais difícil de conseguir....
 
Vítor
Vítor - 11 de Janeiro às 12:45
Que coincidência, tinha 12 anos que eu vinha falando que o PT ia quebrar o Brasil. Olha no que deu! Acabou com a dívida externa e quintuplicou a dívida interna.
 
Edson
Edson - 11 de Janeiro às 12:13
Alô esquerdopatas! Muda o disco! Mudem o discurso! Chega de mi mi mi! Lula foi uma farsa! Dilma, um poste! Aceitem que a era da mamata de vocês acabou! O Brasil se levantou com milhões nas ruas, exigindo a queda de vocês! Faça-nos um favor, vão pra Cuba, Coréia do Norte e outros países comunistas! Aqui, não, ok?
 
Marcelo
Marcelo - 11 de Janeiro às 12:11
Cuide mais do seu cérebro, alienado. E pare de ler brasil247, NYT, assistir CNN e por aí vai. Esforce-se, e sua vida vai melhorar, pelo seu próprio trabalho.