SIGA O EM

PT quase some do mapa nas eleições de 2016

Partido dos Trabalhadores perde o apoio dos eleitores em praticamente todas as capitais do país. Só conquistou a Prefeitura de Rio Branco e segue na disputa pelo 2º turno em Recife

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 03/10/2016 06:00 / atualizado em 03/10/2016 12:14

Estado de Minas

No novo mapa da política brasileira, 18 capitais de Norte a Sul do país vão ter disputa de segundo turno nas eleições municipais.

Em oito delas, os novos prefeitos já foram definidos e na briga pelas prefeituras o Partido dos Trabalhadores (PT) enfraquece sua participação, praticamente saiu do mapa, mostrando que a crise que atingiu a legenda no âmbito federal teve repercussões nas eleições municipais. Para o partido, o resultado pode ser o pior desde 1996.


Nas eleições de ontem, o PT fez apenas uma das oito prefeituras definidas no primeiro turno, com a reeleição de Marcus Alexandre, em Rio Branco, no Acre.

O partido também disputa o segundo turno no Recife, onde Geraldo Julio (PSB) enfrenta João Paulo (PT) no fim do mês.

Em 2004, o PT elegeu nove prefeitos de capitais brasileiras, número que caiu para cinco em 2008, quatro em 2012, e poderá se reduzir a duas prefeituras em 2016, o mesmo resultado de 1996.

A perda de prefeituras nas cidades mais representativas do país reflete um momento de crise e denúncias de corrupção. Nas eleições de ontem, o PT poderia ir para o segundo turno em quatro capitais, resultado que se concretizou apenas em Recife. Em São Paulo, a derrota foi para João Doria (PSDB), em Porto Alegre, Raul Pont (PT) não seguiu para o segundo turno; e em Fortaleza, a petista Luizianne Lins também não partiu para a segunda fase da disputa.

  Blog Comunicação e Poder: dez saldos da eleição que fortaleceu Aécio e Alckmin para 2018


“Não quero nacionalizar a campanha, mas não vou negar que a vitória contribui para o PSDB nacionalmente. A capital do país é a cidade mais importante. É uma reafirmação do PSDB em território do PT. O berço do PT é aqui”, chegou a dizer João Doria na véspera da votação, quando as pesquisas já indicavam sua larga vantagem em relação aos adversários. Além de São Paulo, cidade mais industrializada do país, o partido também perdeu a prefeitura de São Bernardo do Campo, em São Paulo, berço do partido e reduto do ex-presidente Lula.

Desempenho ruim

O Nordeste também é um tradicional reduto petista, mas a figura de Lula não ajudou. Entre as nove capitais, o PT só vai para o segundo turno no Recife. João Paulo (PT) recebeu 23,76% dos votos dos pernambucanos.

No primeiro turno o PSDB fez duas prefeituras, os demais partidos, PT, PSB, DEM, PSD, PDT e PMDB elegeram um prefeito cada. Já no segundo turno o PSDB segue na liderança, disputando oito prefeituras. O PMDB concorre em seis estados, o PSD e PMN em dois, e os demais partidos disputam uma prefeitura: PT, PDT, PHS, PP, PPS, SD, PSOL, PSB, REDE, PR, PTB, PSB, PRB e PSOL.

Entre as capitais que não terão segundo turno, além de São Paulo e Acre, estão Palmas, no Tocantins, com Paulo Amastha (PSB), e Salvador, com ACM Neto (DEM). No Piauí, a Prefeitura de Teresina ficou com Firmino Filho (PSDB); em João Pessoa venceu Luciano Cartaxo (PSD), em Natal, foi eleito Carlos Eduardo (PDT), e, em Boa Vista, Teresa Surita (PMDB).

Em Aracaju, disputam o segundo turno Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares Filho (PSB). Em Belo Horizonte, estão no segundo turno João Leite (PSDB) e Kalil (PHS); em Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) enfrenta Rose Modesto (PSDB); em Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB) e Wilson Santos (PSDB) estão na disputa, e em Curitiba, a briga pela prefeitura será entre Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD).

No Sul do país, em Florianópolis, se enfrentam no segundo turno Gean Loureiro (PMDB) e Angela Amin (PP). Em Belém. Zenaldo Coutinho (PSDB) e Edmilson (PSOL) continuam na disputa. Em Goiânia, Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan (PSB) seguem tentando conquistar os eleitores. E no Macapá, a briga é entre Clécio (Rede) e Gilvam Borges (PMDB).

Em Maceió, a disputa é entre Rui Palmeira (PSDB) e Cícero Almeida (PMDB). Em Manaus, vão se enfrentar Artur Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR). Em Porto Alegre, o segundo turno vai contar com Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB); em Porto Velho, com Dr. Hildon (PSDB) e Leo Moraes (PTB). No Recife, vão se enfrentar Geraldo Julio (PSB) e João Paulo (PT). No Rio de Janeiro, o segundo turno é entre Crivella (PRB) e Marcelo Freixo (PSOL); em São Luís, entre Edivaldo Holanda Jr. (PDT) e Eduardo Braide (PMN) e em Vitória, Luciano (PPS) enfrenta Amaro Neto (SD).

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Carlos
Carlos - 03 de Outubro às 10:42
Tem que ser muito bronco e sem vergonha para votar no PT.
 
Erlon
Erlon - 03 de Outubro às 14:22
Bronco e sem vergonha é quem acha que é só o PT que rouba nesse país. Se você é contra a corrupção, que seja sem distinção de partido político, afinal, políticos envolvidos em corrupção no Brasil são de todos os partidos.