SIGA O EM

Russomanno afirma que Uber atua na 'ilegalidade'

Candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo se posicionou contra o aplicativo em entrevista, alegando que o serviço contraria o código de trânsito

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 02/09/2016 07:31 / atualizado em 02/09/2016 12:44

Agência Estado

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, líder nas pesquisas de intenção de voto, é o único entre os principais concorrentes a se posicionar contra o aplicativo Uber como transporte de passageiros. Na quinta-feira, 1º, à rádio CBN, Russomanno disse que o aplicativo funciona "na ilegalidade".

O candidato argumentou que o serviço está em desacordo com o Código Brasileiro de Trânsito. "Para o transporte individual, coletivo ou de cargas, os veículos têm de transitar com placas vermelhas", disse ele, lembrando que os carros Uber transitam na cidade com placas particulares.

Em São Paulo, o Uber funciona com respaldo de um decreto municipal assinado pelo prefeito e candidato à reeleição, Fernando Haddad (PT).

Para Russomanno, a Prefeitura discute judicialmente a prestação de serviço do Uber e não a legalidade do transporte à luz do CBT. Segundo ele, enquanto não for dada uma concessão pública, o Uber estará na ilegalidade. "Não vou permitir que isso aconteça", disse.

Na entrevista, na quinta-feira, o candidato chegou a ser questionado se esse posicionamento não iria de encontro ao interesse do consumidor, sua principal bandeira. Ele argumentou que defender a legalidade era estar do lado do consumidor.

Apoio de taxistas

Com esse posicionamento, Russomanno busca apoio dos taxistas, principais críticos do aplicativo.

Concorrentes. Na quarta-feira, 31, durante caminhada no Itaim Paulista, Haddad voltou a defender a regulamentação dos aplicativos de transporte. "A melhor maneira de o taxista se proteger é se aliar à Prefeitura."

O empresário João Doria, candidato do PSDB, considera que o atual modelo pode ser o "ponto de partida" para regular o mercado. "Tem lugar para táxi e Uber, desde que regulamentados e com igualdade de competição", disse. A candidata do PMDB à Prefeitura, Marta Suplicy, defende o diálogo entre os dois lados para se chegar a uma situação "que seja boa para todos".

Uber responde

Em nota, a assessoria do Uber informou que "os motoristas parceiros prestam o serviço de transporte individual privado, que tem respaldo na Constituição Federal e é previsto em lei federal". Alegou ainda que uma série de decisões judiciais confirmam a legalidade da atividade.

"Em São Paulo, o prefeito Fernando Haddad publicou um decreto e tornou-se a primeira cidade do Brasil a reconhecer os benefícios que essa nova alternativa de mobilidade pode trazer para a cidade, optando por criar uma nova regulamentação para o serviço de compartilhamento de veículos", informa.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
fernando
fernando - 02 de Setembro às 14:29
Parabéns Russomanno !!!!