SIGA O EM

Campanha pró-Dilma em BH foi com manifestação na Afonso Pena

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2014 06:00 / atualizado em 26/10/2014 07:44

Jorge Macedo - especial para o EM

Leonardo Augusto e
Pedro Rocha Franco


 Beto Magalhaes/EM/D.A Press

No último ato da campanha pró-Dilma em Belo Horizonte, milhares de petistas coloriram a Avenida Afonso Pena de vermelho. Em clima de carnaval, com direito a bloco, bateria e bandeira na mão, os militantes entoaram jingles de apoio à candidata Dilma Rousseff, pedindo voto hoje para a candidata petista. A passeata desceu da Praça Tiradentes até a Praça da Estação, coordenada por uma bateria que entoava marchinhas de carnaval que faziam alusão ao candidato tucano Aécio Neves (PSDB). Segundo estimativa da organização do evento, cerca de 5 mil pessoas participaram da caminhada.

Uma bandeira do Brasil foi aberta na avenida, cobrindo os manifestantes de verde e amarelo. Além dos tradicionais adesivos e broches, os militantes desenharam corações na bochecha para, segundo eles, pregar o amor na campanha. Camisas com a imagem da ficha de Dilma Rousseff no antigo Departamento de Ordem Política e Social (Dops), onde ela foi registrada na época da ditadura, também marcaram o ato.

Em clima pacífico, não houve registro de vandalismo, segundo a PM. Nem mesmo os eleitores tucanos que passaram pelo local foram hostilizados pelos militantes. Os carros que cruzavam a rua eram encobertos pelas bandeiras petistas e motoristas recebiam broches e adesivos. No percurso, em frente a um prédio próximo ao Palácio das Artes, enquanto um eleitor tucano balançava a bandeira do seu apartamento, embaixo os petistas gritavam tradicional jingle de Lula (Lula-lá) adaptado para o nome de Dilma.

O ex-prefeito e deputado federal eleito Patrus Ananias (PT) era um dos militantes históricos mais festejados, por vezes parado para ser fotografado ao lado de jovens. O político disse que a campanha poderia ter sido melhor aproveitada. “O candidato adversário focou demais em denúncias não comprovadas. É uma eleição de dois lados: um projeto de inclusão com importantes políticas sociais e outro neoliberal, de um estado mínimo”, afirmou.

Além dele, outras figuras relevantes do PT participaram do ato pró-Dilma. Entre eles, o deputado federal Nilmário Miranda, os deputados estaduais André Quintão e Rogério Quintão, os vereadores Pedro Patrus e Arnaldo Godoy e o ex-vice prefeito Roberto Carvalho. Assessores próximos ao governador eleito Fernando Pimentel também participaram, entre eles o ex-procurador da Prefeitura de Belo Horizonte, Marco Antonio Rezende, que ocupou o cargo durante o mandato do petista no Executivo municipal e integra a comissão de transição do governo.

A concentração teve início às 11 horas em frente ao comitê central da campanha do governador eleito Fernando Pimentel (PT). Os militantes aguardaram até meio-dia para iniciar a caminhada rumo ao Centro. Com o aumento do número de pessoas, a avenida foi fechada em um dos sentidos.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600