SIGA O EM

'Não há sordidez que vença a verdade', diz Aécio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/10/2014 15:07 / atualizado em 25/10/2014 14:16

Agência Estado

São João Del Rei - Em seu último ato oficial de campanha, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, reclamou dos institutos de pesquisas e disse que está confiante na vitória nas urnas neste domingo, 26, dia da votação no segundo turno, em que ele disputa o Palácio do Planalto com a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff. "Amanhã vencerei estas eleições porque não há sordidez que vença a verdade", destacou.

Em entrevista concedida neste sábado, 25, dentro do Solar das Neves, como é conhecida a residência da família Neves em São João Del Rey, no interior de Minas Gerais, o presidenciável tucano disse que esta eleição será lembrada pela sordidez com que ele e outros adversários foram tratados pelo PT. E disse se sentir revigorado ao final desta caminhada, apesar da campanha dura que enfrentou.

"Termino este combate de maneira honrada, acreditando que a política deve ser feita com honradez. Já me sinto vitorioso pela caminhada correta, mostrando um Brasil generoso e ético."

Sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Aécio voltou dizer que ele se "apequenou". "O ex-presidente Lula se apequenou nesta campanha. Sai muito menor do que entrou. Como sou um homem generoso, vou buscar sempre na minha memória os rasgados elogios que ele fez a mim no nosso convívio".

O tucano creditou as críticas que vem recebendo de Lula, que chegou a chamá-lo de filhinho de papai em um comício, ao "desespero final da campanha". "Perceberam que, pela primeira vez em 12 anos, há uma possibilidade real de derrota", afirmou Aécio.

O candidato falou também sobre os números divergentes das pesquisas de intenção de voto. "Todos os institutos terão que se reciclar. Os erros foram grosseiros no primeiro turno". Sobre o debate da TV Globo, ele disse que saiu feliz e satisfeito porque conseguiu apresentar sua plataforma de governo. E desejou que neste domingo, nas urnas, os brasileiros escolham o melhor para o Brasil, porque acredita na política feita com honradez.

No final da entrevista, ele agradeceu mais uma vez "a calorosa acolhida que teve dos brasileiros nesta campanha", agradeceu "à amiga Marina Silva que oxigena e traz esperança à política brasileira" e a Renata, viúva de Eduardo Campos. Aécio afirmou que o pior momento que teve nesta caminhada foi a morte de Campos.

O tucano disse ainda que encerrava sua campanha à Presidência da República onde tudo começou, na cidade de seu avô, São João Del Rei, uma tradição que ele mantém em todas as suas disputas políticas. Ele chegou à cidade acompanhado da mulher Letícia e dos filhos gêmeos, acenou da sacada para um grupo de pessoas que se acotovelaram em frente à casa de seus avós para vê-lo, concedeu entrevista coletiva à imprensa e encerrou suas atividades visitando o túmulo de Tancredo Neves, no cemitério ao lado das Igreja São Francisco de Assis.

Após essa visita, ele seguiu para sua residência em Belo Horizonte, para esperar ao lado da família - sua filha mais velha também está chegando à cidade - o dia da votação deste segundo turno, neste domingo.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.