SIGA O EM

Lula diz que se depender dele não concorrerá à Presidência em 2018

O ex-presidente ponderou que em 2018 estará com 72 anos e disse ter expectativa de que até lá surjam quadros mais jovens para disputar a eleição

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/10/2014 18:19 / atualizado em 20/10/2014 18:43

Estado de Minas

REUTERS/Odair Leal

Em entrevista à Rádio Jornal de Recife, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não está disposto a concorrer à Presidência da República em 2018, mas não descartou totalmente a possibilidade. Lula afirmou que seria "leviano" discutir a próxima sucessão presidencial neste momento. "Se depender de mim não. Eu não poderia pensar em eleições agora", respondeu.

O petista ponderou que em 2018 estará com 72 anos e disse ter expectativa de que até lá surjam quadros mais jovens para disputar a eleição. "Acho que já cumpri minha missão", afirmou para, em seguida, deixar a possibilidade no ar. "Mas a única coisa é que eu não posso dizer é que não. Não sei qual será a circunstância política de 2018. Estou dizendo da minha vontade pessoal", declarou. Após enfrentar um câncer na laringe, Lula afirmou que sua saúde está melhor "do que quando tinha 40 anos" e que hoje se cuida mais do que antigamente.

O ex-presidente revelou não ter o hábito de assistir aos debates dos presidenciáveis no momento da transmissão porque fica "muito nervoso", mas que muitas vezes vê as disputas no dia seguinte. "Ex-presidente assistindo debate é que nem torcedor de futebol ver jogador batendo pênalti", justificou.

Favorável à reeleição, Lula observou que todos os países desenvolvidos adotam o sistema, lembrou que quatro anos não são suficientes para implantar obras estruturantes e que a reeleição é positiva "porque é a aprovação ou não de quem está no governo". Lula também se disse favorável a uma Assembleia Constituinte exclusiva para se debater a reforma política e "tentar moralizar a política". "Não é possível 28 partidos, 30 partidos, partidos de aluguel, partido laranja para se vender na eleição", disse.

 Com Agência Estado
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.