SIGA O EM

Horário eleitoral: PT foca debate e PSDB, educação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/10/2014 14:31 / atualizado em 15/10/2014 15:19

Agência Estado

A candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) usou a maior parte da propaganda eleitoral da TV para mostrar trechos do debate da terça-feira, 14, à noite, na Bandeirantes, enquanto Aécio Neves (PSDB) ignorou o embate televisivo - diferentemente de seu programa de rádio exibido mais cedo - e manteve o tema educação até o fim da peça. O Dia dos Professores, comemorado nesta quarta-feira, 15, também foi lembrado na abertura dos programas dos presidenciáveis.

"Quero dizer aos queridos educadores do Brasil que a educação é e será cada vez mais nossa maior prioridade", disse Dilma, citando programas como o Pronatec e o maior acesso às universidades. "Nosso compromisso é trabalhar cada vez mais na valorização desse parceiro que é o professor", ressaltou.

No programa de Aécio, uma apresentadora destacou o Dia dos Professores e disse que eles são referência de bons valores. "Com nossos professores, a gente aprende desde cedo que é errado mentir", afirmou, acusando o PT de desrespeitar e iludir. "Atacaram Eduardo Campos, atacaram Marina Silva e agora atacam Aécio. O PT, assim, está deseducando o Brasil", disse a apresentadora.

Debate

O restante do programa de Dilma foi dedicado a trechos do debate. Os apresentadores afirmaram que Aécio mostrou um "lado desconhecido" no encontro. "Irritado com alguns questionamentos, ele chegou a ofender Dilma. Dilma não perdeu a compostura e não fugiu de nenhum tema", afirmaram.

Em seguida, foram apresentados trechos nos quais Dilma criticou seu adversário por nepotismo, propostas de programas sociais e, principalmente, corrupção, com questionamentos sobre qual a punição para envolvidos em escândalos ocorridos em governos do PSDB. Foram citados os casos da Pasta Rosa, do Sivam, a compra de votos para reeleição, o mensalão mineiro e o cartel de trens em São Paulo. "Estão todos soltos. Quero todos aqueles culpados presos, candidato. Essa é a minha indignação e o senhor não enxerga", disse a presidente.

O aeroporto de Cláudio, em Minas Gerais, também foi citado. "Como o senhor explica ter construído um aeroporto que na época custava R$ 13,9 milhões e que agora custa R$ 18 milhões, a preços de hoje? Como explica que esse aeroporto foi construído num terreno do seu tio e a chave fica em poder dele?", questionou.

"No final do debate, Dilma mostrou ao Brasil que há uma grande diferença entre o que Aécio fala e o que ele faz", disseram os apresentadores. O desempenho do tucano à frente do governo de Minas ganhou espaço novamente, com críticas à saúde e à educação do Estado, além de acusações sobre censura à imprensa. O programa petista utilizou ainda depoimentos de mineiros e de jornalistas.

Educação

Já a propaganda tucana se manteve no tema educação e não citou o debate de ontem. "A educação é o único caminho para uma cidadania que seja verdadeiramente plena. Nos últimos anos, todos os governos estaduais e municipais têm tido enormes dificuldades para garantir uma educação de melhor qualidade para crianças e jovens", disse Aécio, acrescentando que, no seu governo, Minas passou a ter a melhor educação fundamental do Brasil.

"Se todos os Estados e municípios estão hoje padecendo do mesmo mal, é sinal de que está faltando uma política efetiva, corajosa, para valorizar a educação em todas as partes do Brasil", afirmou.

O tucano disse que, se eleito, gostaria de ser lembrado como o presidente que revolucionou a educação no Brasil. "Quando governei Minas, eu estabeleci uma prioridade: educação." Aécio citou ações como o pagamento de bônus para professores, a recuperação da rede física das escolas e a entrada de crianças mais cedo nas aulas.

"Podemos fazer isso em todo o Brasil, dar essa oportunidade às crianças de todo o Brasil. Vou ser um grande parceiro, parceiro verdadeiro, dos Estados e municípios para melhorar a educação", afirmou. O programa do PSDB destacou ainda a proposta do Poupança Jovem Brasil, que começaria em 2015 nos dez Estados com maior taxa de abandono escolar, chegando a todo o País em 2017.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.