SIGA O EM

Romário comemora vitória e reclama do PSB

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/10/2014 12:49 / atualizado em 06/10/2014 13:52

Agência Estado

Rio - Cobiçado pelos candidatos a presidente e a governador que chegaram ao segundo turno, o ex-jogador e deputado Romário (PSB-RJ), eleito senador com 4,8 milhões de votos (63,4% do total), comemorou a vitória com um desabafo nas redes sociais: "Um ex-favelado virou senador da República!"

Em entrevista, na noite de domingo, 5, Romário disse que ainda tomará uma decisão sobre segundo turno, mas indicou que a presidente Dilma Rousseff, de quem é crítico ferrenho, não terá seu apoio.

"Fora a Dilma, tive contato com todos os outros (o presidenciável tucano Aécio Neves e os candidatos ao governo Luiz Fernando Pezão, do PMDB, e Marcelo Crivella, do PRB) e tenho relação muito boa com eles", afirmou o senador eleito.

"Faço parte de um grupo que tinha Marina Silva candidata a presidente e Lindbergh Farias a governador. A política é bastante dinâmica, vamos discutir possível ajuda a um dos grupos, tanto nacional quando estadual", disse o ex-jogador.

Romário deixou clara a insatisfação com o PSB, embora tenha dito que não pretende deixar a legenda. "Minha relação com o partido não é das melhores", reconheceu. Romário lembrou que conseguiu ser candidato ao Senado graças ao aval, dado em setembro do ano passado, pelo então presidente do PSB, Eduardo Campos, que morreu em um acidente aéreo no dia 13 de agosto, quando disputava a Presidência da República.

"Agradeço ao Eduardo por ter me dado oportunidade e ao meu partido por ter me dado a legenda, apesar de minha relação com o partido não ser das melhores. Temos muitas coisas para acertar. Mas fui eleito pelo PSB e espero continuar no PSB", afirmou.

Romário reclamou que alguns acordos que firmou com o partido não foram respeitados, mas não quis dizer a que se referia. Questionado se ficou em situação instável na legenda, respondeu: "Não sei se instável, mas não ficou exatamente como eu gostaria que ficasse. Algumas coisas aconteceram fora do que tinha sido combinado". O ex-craque disse que, com a eleição para o Senado, vai adiar o plano de disputar a prefeitura do Rio. A candidatura em 2016 está descartada, afirmou.

Nas redes sociais, Romário agradeceu a vitória em tom emocional e lembrou a infância em uma favela da zona norte do Rio. "Meus pais, nem no melhor dos cenários, imaginariam que aquele menino que saiu da maternidade numa caixa de sapatos, ocuparia um dos cargos mais altos da República. Driblei a pobreza jogando futebol e, apesar de muitos torcerem o nariz, eu me orgulho muito disso", concluiu.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.