SIGA O EM

Eleito para o segundo turno, Aécio busca união de forças

Candidato do PSDB vai ao segundo turno com promessa de 'decência e eficiência' no governo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/10/2014 07:34

Flávia Ayer

Chico Siqueira/Estdão Conteúdo

O candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, vai disputar com a presidente Dilma Rousseff o segundo turno das eleições presidenciais. O tucano recebeu 34.433.031 votos, 33,78% do total registrado em todo o país (*com 97,8% das urnas apuradas). Em Belo Horizonte, onde Aécio votou, a contagem dos votos foi acompanhado por populares, em clima de Copa do Mundo, em telão instalado pelo PSDB em frente ao comitê central da campanha, no Centro da cidade. “A partir de amanhã de amanhã já estamos em campanha. A razão de nosso êxito foi a verdade”, afirmou Aécio, depois de confirmada sua vitória na primeira fase das eleições. “É hora de unir as nossas forças. Esse é o sentimento mais puro de todos os brasileiros que têm a capacidade de se indignar e sonhar”, prometendo um governo que “una decência e eficiência” caso seja eleito.

Já apontado como favorito para chegar ao segundo turno nas últimas pesquisas de intenção de voto divulgadas no sábado, Aécio Neves, afagou Marina Silva, candidata do PSB e terceira colocada nas pesquisas, em entrevista coletiva realizada na manhã de ontem, em um hotel de Belo Horizonte, após votar em um colégio no Bairro de Lourdes. “Marina é extremamente competitiva, tenho enorme respeito por ela. E ela, assim como eu, está disputando oportunidade de representar a mudança”, disse o tucano.

Quando questionado se procuraria o apoio de Marina no segundo turno, Aécio preferiu deixar para falar sobre isso, depois do fechamento das urnas. “Vamos aguardar que os brasileiros definam quem estará no segundo turno. Se couber a mim essa honra falarei disso no final do dia. Estou pronto”, disse.

O presidenciável do PSDB disse ainda que nunca perdeu a confiança de chegar ao segundo turno e voltou a creditar à morte de Eduardo Campos (PSB) a reviravolta nas pesquisas nos últimos meses. “Tivemos duas eleições em uma só. Mas temos que aguardar com humildade. O que temos até o momento são pesquisas”, declarou.

Ele comentou que fez uma campanha de um projeto para o Brasil “à altura das tradições de Minas Gerais” e que o sentimento de mudança é amplo e não significa somente a derrota do PT, mas “a introdução de um projeto que permite que o Brasil volte a crescer e atrair capital privado”. O presidenciável agradeceu aos outros candidatos e disse que campanha foi uma oportunidade de aprendizado.

Antes de votar ao lado de sua esposa Letícia Weber, que é gaúcha e transferiu domicílio eleitoral para Belo Horizonte, Aécio acompanhou o voto dos candidatos Antonio Anastasia, que concorre a uma vaga ao Senado, e Pimenta da Veiga, que disputa o governo do Estado. Aécio passou o dia em seu apartamento na capital mineira e fará um pronunciamento após a apuração dos resultados.

Numa avaliação sobre a dificuldade de crescer nos dois maiores colégios eleitorais do Brasil, São Paulo e Minas Gerais, onde o PSDB comanda os governos, Aécio disse que a troca de Eduardo por Marina teve um impacto muito grande nesses locais, mas que sempre enxergou “volatilidade” nos votos. "O eleitor demorou um pouco mais para consolidar o seu voto”, afirmou.

O presidenciável falou com a imprensa após votar, na Zona Sul de Belo Horizonte. Acompanhado da mulher, Letícia Weber, foi muito saudado por eleitores. Aécio foi o último dos integrantes da cúpula do PSDB mineiro a votar. Antes, ele acompanhou os aliados Antonio Anastasia, candidato ao Senado, e Pimenta da Veiga, seu nome para o governo, até a urna.

Logo depois de acompanhar o voto de Pimenta, no caminho para sua zona eleitoral, enquanto aguardava a mulher chegar à van que levava seu staff, Aécio pegou a bicicleta de um apoiador, Gabriel Azevedo, e deu uma volta pedalando em frente à sede do Cruzeiro, seu time. Azevedo é ex-secretário da Juventude da gestão de Antônio Anastasia.

Candidato a vice-presidente na chapa de Aécio, Aloysio Nunes (PSDB) disse na manhã desse domingo que no segundo turno o tucano conseguirá mostrar os pontos fortes de suas propostas com o maior tempo disponível no horário eleitoral. “Agora, com o segundo turno, as atenções (dos eleitores) se concentram para a eleição presidencial”, disse Nunes, após votar em São José do Rio Preto (a 438 km de São Paulo). “A situação será mais favorável para que a gente consiga mostrar os projetos de campanha do Aécio que, dessa forma, vai conseguir mostrar quem está melhor preparado para governar o país”, disse.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.