20°/ 35°
Belo Horizonte,
20/OUT/2014
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Tudo pronto para a exumação do corpo de João Goulart Governo federal criou um grupo de trabalho para acompanhar a exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart

Ana D'angelo -

Publicação: 08/11/2013 06:00 Atualização: 08/11/2013 07:14

O governo federal criou um grupo de trabalho para acompanhar a exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart, a realização dos exames e as perícias necessárias, para apurar se ele foi assassinado por envenenamento, em 1976, durante o exílio na Argentina. Coordenada pelo perito da Polícia Federal Amaury de Souza Junior, a comissão é formada por representantes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e da Comissão Nacional da Verdade. O grupo chegará a São Borja, na fronteira oeste do Rio Grande do Sul, na segunda-feira. Na quarta-feira, será aberto o jazigo do ex-presidente, que está resguardado por uma tampa que pesa 500 quilos.

De lá, no mesmo dia, os restos mortais de Jango seguem para Santa Maria de helicóptero. Na manhã seguinte, os despojos chegam a Brasília, onde fica a sede do Instituto Nacional de Criminalística, e serão recebidos com honras de chefe de Estado. Os restos só retornarão a São Borja em 5 de dezembro, quando se reverencia a morte do ex-presidente, passando antes por Porto Alegre.

Peritos da Argentina, Uruguai e de Cuba auxiliarão nos exames. O cubano Jorge Perez Gonzalez está no grupo a pedido dos familiares do ex-presidente. Ele participou da exumação dos restos mortais do guerrilheiro argentino Ernesto Che Guevara e do venezuelano Simón Bolivar, considerado herói da independência das colônias espanholas sul-americanas.

Em Brasília, serão feitos exames de DNA e outras avaliações para verificar se os restos mortais realmente são de João Goulart. O corpo do ex-presidente foi enterrado em São Borja por determinação do governo militar brasileiro, sem que tenha sido feita autópsia.

Oficialmente, Jango morreu de ataque cardíaco. Mas a suspeita é de que ele tenha sido envenenado. Ele teria sido morto, na Argentina, onde se exilou, a pedido do governo militar brasileiro, por agentes da ditadura uruguaia durante a Operação Condor, uma aliança que reuniu, na década de 1970, os governos ditatoriais do Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, com ajuda norte-americana.
Tags:

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: alberhto souza
Conhecer a verdade histórica, faz parte da agenda de todo civilizado, por isto o brasileiro é um país sem memória, elege políticos que a cada mandato ficam piores! falta de memória! Não sejam ridículos!! | Denuncie |

Autor: James Stuart
Nossa história tem que ser escrita baseada nos fatos como eles aconteceram, acobertar prováveis crimes da ditadura militar extrapola nossas suscetibilidades; verdade ainda que tardia! | Denuncie |

Autor: Angelo Goulart
A exumação do presidente Jango, podera elucidar a Historia do Brasil, porque foi o Presidente João Goulart que prôpos as reformas politicas para o Brasil e foi cassado com o golpe de 1964 , reformas estas de base que aplicadas teriamos hoje um Brasil muito melhor em tôdos aspectos. | Denuncie |

Autor: Cláudio Limeira
Muito bom dia ! Palhaçada ficar gastando dinheiro e tempo com grupo de trabalho para um assunto que não vai melhorar a vida de ninguém, isso de ficar mexendo na história, procurando pelo em ovo. Ridículo, Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridículo,Ridícu | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.