18°/ 28°
Belo Horizonte,
17/ABR/2014
  • (13) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Candidatos ao governo de Minas em 2014 já estão em campanha De um lado PT e PMDB, de outro PSDB e seus aliados em Minas. Partidos começam a pôr os nomes na mesa pela sucessão no estado, mas cenário nacional pode embolar as cartas

Bertha Maakaroun -

Publicação: 09/02/2013 00:12 Atualização: 09/02/2013 07:36

Palácio Tiradentes, sede do governo mineiro na Cidade Administrativa, terá novo ocupante já a partir de abril de 2014, quando o governador Anastasia deve se desincompatibilizar para se candidatar ao Senado  (Marcelo Castello/Esp. Em/D.A Press)
Palácio Tiradentes, sede do governo mineiro na Cidade Administrativa, terá novo ocupante já a partir de abril de 2014, quando o governador Anastasia deve se desincompatibilizar para se candidatar ao Senado


A menos de dois anos das eleições ao governo de Minas, está aberta a temporada da construção de candidaturas. Partidos alinhavam possíveis nomes para serem convocados ao mesmo tempo em que os interessados começam a se posicionar. Se no campo dos aliados do governo de Minas a sucessão de Antonio Anastasia (PSDB) está vinculada à construção da candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República, no PT e no PMDB, principais legendas opositoras, estão colocados os nomes de Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e do senador Clésio Andrade (PMDB). “Pimentel só não será se não quiser. Mas ele quer. Já me disse várias vezes. Vamos construir as condições para isso”, afirma o deputado federal Reginaldo Lopes, presidente do PT de Minas. O PSDB terá pela frente dois nomes fortes, que virão com máquinas azeitadas, fato inédito nos últimos 11 anos.

Se PT e PMDB, que no plano nacional repetirão a aliança pela reeleição da presidente Dilma Rousseff, estarão juntos em Minas desde o primeiro turno, é cedo para dizer. Petistas e peemedebistas poderão, fiando-se no exemplo da campanha à Prefeitura de Belo Horizonte do ano passado – quando a polarização da disputa impediu um segundo turno –, optar por lançar chapas independentes. O que essa estratégia tem de perigosa é que os dois partidos de oposição também dividiriam o tempo de televisão para o enfrentamento de uma ampla coligação com potencial para abocanhar, sozinha, mais da metade da propaganda gratuita.

Em Minas, PSDB, PP, PDT, PV, PR, PSD, PSB, PTB, PPS e legendas menores como o PSL, o PSC, o PSDC, o PTdoB estão na base do governo do estado e tendem a engrossar o leque de apoios ao candidato do Palácio Tiradentes, ainda que pelo menos o PSD sofra pressão nacional para apoiar a oposição, como ocorreu na sucessão de Marcio Lacerda (PSB) no ano passado. Já o PSB tenderá a dar sustentação ao candidato do Palácio Tiradentes e à candidatura de Aécio Neves, a menos que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), também concorra ao Palácio do Planalto. Se Campos não disputar e apoiar a reeleição de Dilma Rousseff, a expectativa dos tucanos mineiros é de que Marcio Lacerda abra uma dissidência no plano nacional, puxando outros socialistas insatisfeitos.

LEQUE ABERTO Enquanto na disputa do governo de Minas a projeção de cenários para a oposição se afunila em torno de Pimentel e de Clésio Andrade, no campo da situação, a escolha do nome para concorrer ao Palácio Tiradentes converge, principalmente, para o vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP), o presidente estadual do PSDB, Marcus Pestana, e o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Dinis Pinheiro (PSDB). Ainda lembrados são os tucanos Danilo de Castro, secretário de Estado de Governo, e Nárcio Rodrigues, secretário de Estado de Ciência e Tecnologia. A opção Andréa Neves (PSDB), em Minas, estaria vinculada a um cenário cada vez menos provável: Aécio Neves não concorreria ao Planalto.

Com as definições atreladas ao arco de alianças que Aécio buscará construir para respaldar a sua candidatura presidencial, a situação não requer pressa na definição. “Não temos um nome natural em Minas”, afirma Marcus Pestana, lembrando que aqueles colocados dependerão fortemente do apoio e do aval de Anastasia e Aécio. “Nosso calendário tem duas referências: o ritmo do Aécio nacionalmente e o ritmo do governo de Minas”, afirma Pestana. “Temos de ter sabedoria para conciliar os calendários. Vamos ter de administrar o timing”, afirma.

No momento, os três principais pré-candidatos da base do governo se movimentam com discrição. O primeiro deles, Dinis Pinheiro, inclusive, nega ser candidato. Mas a verdade é que seu nome hoje está posto. Corre por fora, porque, entre todos, é o que menos tem intimidade com a cúpula do PSDB e com Aécio. Entretanto, o seu perfil popular – foi nas duas últimas eleições o deputado estadual mais votado no estado – o torna o candidato mais apto a enfrentar no terreno petista uma candidatura como a de Pimentel. O mais vermelho dos tucanos, Dinis ganhou a simpatia de várias lideranças do PT na Assembleia, pela abertura que deu, como presidente, a temas caros aos petistas – pobreza e saúde. Se parece o mais capaz de causar dissensões no campo petista, Dinis é aquele que provavelmente mais gera preocupação no campo tucano, pois defecções que podem ocorrer com Pedro podem também com Paulo.

PRÓS E CONTRAS Outro forte nome, Marcus Pestana tem sido o porta-voz do PSDB, fazendo o debate público com a oposição. Além de bom analista e excelente polemista, Pestana tem a seu favor o trânsito com o tucanato nacional de alta plumagem. Sua maior vantagem é a ligação direta com Aécio, sendo, inclusive, considerado um quadro de sua confiança. Sua fragilidade é a penetração popular. Mas o deputado tucano sabe que, assim como Anastasia, o que conta, no momento eleitoral, é o carimbo de Aécio e a máquina do governo mineiro.

Pelo cargo que ocupa, e pela posição privilegiada nas articulações futuras – afinal, poderá se tornar governador no ano que vem, caso Anastasia se desincompatibilize em abril do ano que vem para concorrer ao Senado Federal –, Alberto Pinto Coelho é o nome mais forte dos três. Mas o vice-governador não tem tanta penetração popular quanto Dinis nem a proximidade com Aécio que tem Pestana. O fato de Alberto ser do PP, contudo, poderá dar ao PSDB, na hipótese de sua indicação, uma boa moeda de troca para a negociação no plano nacional: se não a adesão da legenda à candidatura presidencial de Aécio, pelo menos a sua neutralidade, tirando tempo de televisão de Dilma Rousseff. Embora esteja à frente do cobiçado Ministério das Cidades com Aguinaldo Ribeiro, o PP em Minas é apoio ao PSDB de primeira hora e é comandado nacionalmente por antigo aliado e amigo de Aécio, o senador Francisco Dornelles (RJ).

Três cargos e três nomes seriam uma facilidade para Aécio montar sua chapa mineira. Mas os três mosqueteiros do senador, como no livro, são na verdade quatro, pois Anastasia terá de ser acomodado nessa equação. Com a palavra o senador.
Tags: celular

Esta matéria tem: (13) comentários

Autor: Sebastiao Antonio Bitencourt
QUANDO VAMOS RENOVAR A POLITICA BRASILEIRA SEMPRE SÃO AS MESMAS CARAS, NUNCA MUDA, PRECISAMOS ACABAR COM A REELEIÇÃO NO LEGISLTIVO (NO MAXIMO 2)MG TEM 53 DEPUTADOS FEDERAIS E 77 DEPUTADOS ESTADUAIS E 3 SENADORES, EM 2014 VAMOS RENOVAR VOTE EM POLITICOS NOVOS | Denuncie |

Autor: Italo Junior
Pura especulação para saber a opinião do povo. O candidato natural ao Governo de Minas, pelo PSDB, é o Aécio, que não será bobo em colocar o nome para enfrentar a máquina administrativa do governo federal. | Denuncie |

Autor: Joanito Fonseca
De todos esses nomes o mais preparado e o do secretário de ciencia e tecnologia Nárcio Rodrigues, ele tem transito em todos os setores, e tem habilidade politica pra aglutinar forças em torno do seu nome, além de tudo é uma pessoa de muita visão e vontade de fazer acontecer o que Minas precisa | Denuncie |

Autor: Jose Augusto JB
ESTES POLITICOS SAFADOS, SEM COMPROMISSO COM O ELEITOR DEVERIA PREOCUPAR COM A SAÚDE, A EDUCAÇÃO, A SEGURANÇA, A JUSTIÇA, OS POBRES, ETC. MAS ESTÃO PREOCUPADOS COM AS ELEIÇÕES, O JOGO SUJO, A MARACUTAIA, SEUS INTERESSES E DE SEUS COMPARSAS. DE UM BASTA NESTA CAMBADA DESOCUPADOS, CORRUPTOS. NÃO VOTE.. | Denuncie |

Autor: Jose Augusto JB
OS BOBOS DOS ELEITORES QUE SOFRE AS CONSEQUÊNCIAS DESTES VIGARISTAS, ENGANADORES DA POPULAÇÃO. NÃO FAZ NADA PARA MUDAR ESTA POLITICA BANDIDA QUE EXISTE NO BRASIL E EM MINAS. TODOS ENVOLVIDOS NA MARACUTAIA, NO JOGO SUJO, NA CALADA DA NOITE PARA SE DAR BEM E FICAR ROUBANDO A POPULAÇÃO SOFRIDA. | Denuncie |

Autor: Jose Augusto JB
ESTE AÉCIO CARIOCA, ANAPARALIZIA, LACERDA, CELZIO ROUBA FÁCIL, ESTE PINHEIRO E OUTROS SAFADOS ANTIGOS DA POLITICA, TEM SER BANIDOS DO CENÁRIO POLITICO, TEM SER PRESOS E ENFORCADOS EM PRAÇA PÚBLICA PARA DAR EXEMPLO A OUTROS CORRUPTOS E COMEDORES DE VERBAS PÚBLICAS. ELEITORES NÃO VOTE E SE DEFENDA. | Denuncie |

Autor: Jose Augusto JB
NÓS ELEITORES DE MINAS E DO BRASIL TEMOS A OBRIGAÇÃO DE VETAR ESSES CANALHAS QUE SE DIZ POLITICOS DO POVO. CABADA SAFADOS CORRUPTOS E SEM VERGONHA NA CARA. VAMOS FAZER UMA REDE DE ELEITORES CONCIENTES ELIMANAR ESSES PICARETAS LOGO. NÃO DEIXE ELES PROLIFERAR E CRESCER QUE UMA RATAZANA SEM CONTROLE. | Denuncie |

Autor: Edmilso Ramalho
Viva a liberdade de expressão. Mais de um ano antes da definição de candidaturas, meras especulações na linha de favorecer algum pré-candidato. Sobre o fisiologismo...... sem comentários......tucano é um animal em extinção. | Denuncie |

Autor: SERGIO DOURADO
Os caras já n fazem nada,só se locupletam e ainda discutem como dividirão o queijo futuro! | Denuncie |

Autor: SERGIO DOURADO
Os ratos já estão disputando o queijo q nem existe!Fazem negociatas sujas entre si e depois coloca parente aqui e ali pra manterem a "família" rica.... | Denuncie |

Autor: arnaldo silva
Estou alegre pois tenho possibilidade de dar cinco votos contra tucanos em 2014. Imaginei um contra aecim carioca e outro contra anestesia, agora anestsia no senado abre outro pra governador assim são cinco, estou ainda mais satisfeto. | Denuncie |

Autor: elias amorim santos
esses politicos não tem tempo de trabalhar é só eleição mas eleição tem que fazer logo essa reforma politica e eleição de 5ou6 anos de 2/2anos não dá ano que não tem ficam brigando escolhendo candidatos e o povo ô q se dane vão trabalhar seus vaga respeite seus votos. Mas na prox. serão reeleitos?? | Denuncie |

Autor: mário rafael soares
"Conciliar calendários" Significa conciliar interesses, nem sempre legítimos.Os nomes colocados, tanto de oposição quanto de governo dará ao estado um continuísmo se ganha a situação, e um fisiologismo se ganha a oposição. "se ficar.... se correr..." LAMENTÁVEL! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.