Publicidade

Estado de Minas

Mortes de macacos por febre amarela ligam o alerta no interior de Minas

A Prefeitura de Além Paraíba, na Região da Zona da Mata, intensificou a vacinação e realizou a limpeza de alguns pontos da cidade após o encontro de macacos mortos


postado em 18/08/2017 18:39 / atualizado em 18/08/2017 18:46

A doença foi confirmada em dois primatas encontrados mortos(foto: Prefeitura de Além Paraíba / Divulgação)
A doença foi confirmada em dois primatas encontrados mortos (foto: Prefeitura de Além Paraíba / Divulgação)
A febre amarela voltou a assustar moradores mineiros depois de passar pela pior epidemia da enfermidade desde os anos 1980. A Prefeitura de Além Paraíba, na Região da Zona da Mata, intensificou a vacinação e realizou a limpeza de alguns pontos da cidade depois que seis macacos foram encontrados mortos. Exames realizados na Fundação Ezequiel Dias (Funed) confirmaram a doença em dois dos primatas. O município está em alerta por causa da circulação do vírus em seus limites.

Os primatas foram encontrados mortos nos últimos dois meses. Eles foram encaminhados para análise da Funed e nos últimos dias o resultado deu positivo para a doença em dois deles, que estavam no Bairro Sítio Branco. “Recebemos a notificação da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e começamos a tomar as medidas previstas nos protocolos do Ministério da Saúde e da SES”, explicou Betânia Reis de Souza Gracioli, secretaria de saúde do município. Os outros quatro macacos não estavam infectados.

Com a comprovação da circulação do vírus na cidade, a prefeitura tomou as medidas para impedir a contaminação dos moradores. “Fizemos uma limpeza na área onde os macacos foram encontrados e reforçamos a vacinação. Amanhã (sábado), estamos abrindo um posto central onde vamos vacinar a população que não conseguiu a imunização desde terça-feira. Também passamos em algumas casas no Bairro Sítio Branco para conferir o cartão de vacinação”, completou a secretaria.

Antes dos casos da doença estabilizarem em Minas Gerais, Além Paraíba já tomava medidas para evitar a chegada do vírus no município. Isso, porque, em Leopoldina, cidade vizinha, já tinha a confirmação de mortes de primatas por febre amarela. Agora, medidas mais urgentes foram tomadas. “A gente fica em alerta, mas já sabendo que já aplicamos 15 mil doses de vacina. Até por isso, a população não está tão eufórica como estava há meses”, disse Betânia Gracioli.

Epidemia

A febre amarela se espalhou rapidamente no início deste ano e até atingiu outras cidades do país. Mas, foi em Minas Gerais que ela fez mais vítimas. O último balanço da Secretaria de Estado de Saúde (SES) foi divulgado em 26 de junho deste ano. Até aquele dia, foram registradas 1.147 notificações da forma silvestre da doença. Do total, 446 foram confirmados. Já em relação às mortes, foram 209 registros, sendo que 159 foram confirmados. No último caso confirmado, o paciente teve o início dos sintomas em abril. Depois disso houve o registro de outro caso, mas importado do estado do Mato Grosso. Essa pessoa teve início dos sintomas em maio.

O em.com.br entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) para pedir dados atualizados da febre amarela. Porém, a pasta informou que os números só serão atualizados na próxima segunda-feira. Também não se posicionou sobre a morte de macacos em Além Paraíba, o que deve acontecer, segundo a secretaria, na próxima semana. Nenhuma fonte foi disponibilizada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade