Publicidade

Estado de Minas

Acidentes graves em BRs que cortam Minas reforçam alerta no retorno das férias

Acidente com quatro mortos da mesma família próximo a Curvelo chama a atenção para agravamento dos desastres nas BRs e aumenta a preocupação com o fim do recesso escolar


postado em 27/07/2017 06:00 / atualizado em 27/07/2017 07:24

Colisão frontal deixou dois veículos destruídos e matou todos os ocupantes de um deles(foto: Reprodução/Whatsapp)
Colisão frontal deixou dois veículos destruídos e matou todos os ocupantes de um deles (foto: Reprodução/Whatsapp)

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
O acidente entre dois carros que matou quatro pessoas de uma mesma família ontem, na BR-135, em Curvelo, na Região Central de Minas Gerais, acende o alerta para os riscos nas rodovias no fim das férias escolares. Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostram que as colisões nas estradas sob jurisdição da corporação se agravaram de janeiro a 17 de julho deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado. Apesar da diminuição no número de acidentes, a quantidade de mortes aumentou 8,1%. Especialistas ressaltam que a irresponsabilidade dos motoristas, revelada em atitudes como transitar em alta velocidade, pode ser uma das explicações para a alta.

Os números da PRF mostram que do início do ano até o último dia 17 foram registrados 6.428 acidentes nas estradas federais mineiras, menos que as 7.120 ocorrências de igual período do ano passado. A quantidade de vítimas graves também caiu: foram 1.688 em 2016 e 1.343 neste ano. O número de feridos teve alta de 5.272 para 5.296 nos últimos sete meses. Já as mortes saltaram de 405 para 438.

O crescimento no número de óbitos indica que os acidentes vêm se tornando mais letais, e eleva a preocupação das autoridades diante do retorno das férias escolares, período de aumento do fluxo de veículos nas estradas. Levantamento do Estado de Minas mostra que o alerta tem justificativa. Somente neste mês, pelo menos 31 pessoas perderam a vida em BRs que cortam o estado (veja abaixo as ocorrências mais graves).

O professor de engenharia Márcio Aguiar, especialista em transporte e trânsito, diz que a maioria dos acidentes tem ligação com a imprudência. “Está relacionado ao aumento de velocidade. As concessionárias (das vias privatizadas) têm notado um número menor de veículos nas rodovias, devido à recessão no país. Com isso, a estrada fica mais vazia e a velocidade aumenta. Nas rodovias concessionadas há bom estado do asfalto, e isso também faz os condutores seguirem viagem com velocidade elevada”, completou.

O policial rodoviário federal Fábio Jardim, assessor de imprensa da PRF, afirma que as estatísticas mostram que os acidentes estão mais violentos. “Percebemos um aumento de ocorrências com múltiplas vítimas, envolvendo ônibus e vans, e também com colisões frontais. A grande maioria é causada pela conduta do motorista. Têm havido, pontualmente, ocorrências devido ao sono na direção dos veículos. Vêm acontecendo também acidentes em retas, com tempo bom e pista seca, sem chuva,  onde veículos colidem frontalmente e, consequentemente, ocorrem as mortes”, afirma.

Essa é exatamente uma das possibilidades levantadas para o grave acidente na BR-135, em Curvelo, na Região Central de Minas Gerais, ontem, por volta das 6h40. Testemunhas contaram aos policiais que um carro invadiu a contramão e atingiu o outro, que seguia no sentido contrário. “Um Ford Fiesta seguia no sentido Curvelo/Belo Horizonte, quando a condutora, segundo informações de testemunhas, cochilou ao volante e invadiu a pista contrária. Em seguida, atingiu de frente um Up”, explicou o tenente César Brito, da Polícia Militar Rodoviária (PMRv).

Com o impacto, as quatro pessoas que estavam no Fiesta, com placa de Betim, morreram na hora. Segundo a PMRv, as vítimas eram da mesma família. No Up de Belo Horizonte, quatro pessoas foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e encaminhadas para o Hospital Imaculada Conceição, em Curvelo. “O veículo tinha saído de Lagoa Santa e seguia em direção a Pirapora. Nele estavam um casal, a filha adolescente e uma amiga”, informou o militar.

Também ontem, o motorista de um Duster morreu no Km 151 da BR-459, na zona rural de Piranguinho, no Sul de Minas, ao perder o controle do carro na saída de uma curva. De acordo com os primeiros levantamentos, o condutor invadiu a contramão e bateu de frente com um caminhão. Três pessoas ficaram feridas. Em Caeté, na BR-381, a colisão entre duas carretas no início da noite de causou outra morte.

VOLTA DAS FÉRIAS Neste último fim de semana de julho, a previsão é de estradas cheias por causa do fim do recesso escolar. Por isso, a PRF alerta os motoristas para terem atenção nas rodovias. “Tenham paciência, atenção com os congestionamentos e outras interdições nas rodovias. Façam o planejamento com antecedência, para que durmam bem antes de viajar, verifiquem a parte mecânica do veículo e dirijam com responsabilidade. Além disso, prestem atenção à conduta dos outros”, sugeriu o agente Fábio Jardim.

O professor Márcio Aguiar acrescenta que os condutores devem evitar a ansiedade de tentar chegar rapidamente em casa. “A velha história de todo final de férias é que tem uma tendência de as pessoas quererem chegar rápido e, por isso, cometerem infrações. Mas é preciso atenção, pois as rodovias brasileiras, de forma geral, não têm um estado muito bom. O volume de veículos de carga é muito grande. Então, é importante avaliar o horário de saída. Evitar viajar à noite, que é mais perigoso, devido à sinalização precária, prestar atenção à chuva e à neblina. E, em viagens mais longas, procurar fazer paradas a cada duas horas para se alimentar e ingerir líquidos”, completou.

Cinco acidentes graves

2 de julho
Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, um i30 invadiu a contramão no km 769 e bateu de frente com um Celta. Com o impacto, o primeiro veículo caiu em uma ribanceira. Nele estavam quatro pessoas, sendo que três morreram. Somente o condutor sobreviveu. Já no Celta estavam cinco pessoas, sendo uma grávida. Três morreram, além do feto. A Polícia Civil apura se o condutor do i30 participava de um racha no momento da batida.

2 de julho
Acidente entre um carro e um caminhão matou duas pessoas no km 577 da BR-040, em Itabirito, na Região Central. Imagens das câmeras de segurança da praça de pedágio mostraram o momento em que um Ford Ka se aproximou. A porta traseira do lado do motorista se abriu e fechou rapidamente. O motorista, então, fez o retorno e, alguns metros à frente, bateu numa carreta. Os ocupantes do veículo de passeio morreram.

14 de julho
Um acidente entre uma carreta e uma moto na BR-381, na altura de Nova Era, matou duas pessoas. Segundo o Corpo de Bombeiros, testemunhas relataram que o condutor da motocicleta perdeu o controle em uma curva e caiu na via com o garupa. Logo atrás do veículo vinha uma carreta de transporte do Sedex, que não conseguiu parar a tempo e atropelou as duas vítimas, que morreram.

16 de julho
Acidente que envolveu moto, carreta e carro matou sete pessoas. Segundo a versão do condutor da carreta à Polícia Rodoviária Federal, ele seguia em direção a Governador Valadares quando foi surpreendido pela moto desgovernada no sentido contrário da BR-116, na contramão de direção. Ele teria tentado evitar a batida, mas não conseguiu e acertou uma Parati que também estava no sentido contrário, em direção a Teófilo Otoni.

26 de julho
Dois carros bateram de frente próximo ao km 640 da BR-135, em Curvelo, por volta das 6h40, e quatro pessoas morreram. Testemunhas contaram à Polícia Militar Rodoviária (PMRv) que um Ford Fiesta que seguia no sentido Curvelo/Belo Horizonte invadiu a contramão e atingiu um Up, que seguia no sentido contrário. Testemunhas contaram que a motorista do Fiesta pode ter cochilado ao volante.

26 de julho
Três pessoas ficaram feridas e uma morreu na batida entre um carro e um caminhão no km 151 da BR-459, na zona rural de Piranguinho, no Sul de Minas. De acordo com os primeiros levantamentos, o motorista da Renault Duster perdeu o controle numa saída de curva, invadiu a contramão e bateu de frente com o veículo de carga. O condutor morreu. Também ontem, batida entre carretas na BR-381 deixou um morto.

Cargas são outro pesadelo


Além dos riscos de acidentes, os motoristas devem se preocupar com outra situação recorrentes nas estradas mineiras. Ontem, pela sexta vez neste ano, um acidente com veículo carregado com produtos perigosos provocou o fechamento de uma rodovia por horas, levando transtornos aos condutores. Uma carreta carregada com um tanque de oxigênio tombou ontem na BR-356, na Serra de Itabirito, na Região Central do estado. Por causa do risco de explosão, a rodovia foi totalmente interditada por aproximadamente cinco horas. O congestionamento chegou a cinco quilômetros em ambos os sentidos.

O acidente aconteceu por volta das 12h30. O caminhão seguia no sentido Itabirito/Belo Horizonte quando o motorista perdeu o controle da direção. “O motorista alegou problemas no sistema de frenagem. Ele sofreu ferimentos leves e foi levado a uma unidade de saúde de Itabirito pelo Corpo de Bombeiros. Já recebeu alta”, explicou o sargento Cristian Mendes, da Polícia Militar Rodoviária (PMRv).

No sexto episódio do tipo no ano, carreta com tanque de oxigênio tombou e tráfego parou por cinco horas(foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação)
No sexto episódio do tipo no ano, carreta com tanque de oxigênio tombou e tráfego parou por cinco horas (foto: Polícia Militar Rodoviária/Divulgação)
A carreta, a serviço da empresa White Martins, tombou fora da pista, em uma área de terra. Mas a interdição ocorreu por motivo de segurança. “O oxigênio, em contato com combustível, gasolina ou diesel, pode ocasionar explosões. Por isso, para efeito de segurança, fizemos o isolamento como determina a ficha técnica de emergência”, afirmou o militar. A área do tombamento foi isolada em 100 metros.

A empresa responsável pelo veículo, com auxílio do Corpo de Bombeiros, conseguiu fazer a retirada do material sem riscos. Segundo os militares, no acidente, foi feita a abertura repentina de uma válvula de alívio que vazou e, por pouco, não atingiu o óleo derramado, o que geraria uma reação explosiva. Depois das providências de segurança a pista foi liberada por volta das 17h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade