SIGA O EM

Homem procura centro espírita fazendo se passar por sobrevivente da tragédia de Mariana

Ele chega a dizer que toda a família morreu soterrada, o que não aconteceu em nenhum dos distritos afetados pelo rompimento da barragem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 04/03/2016 14:28 / atualizado em 04/03/2016 15:26

Estado de Minas

Um homem aparentando 30 anos, claro e de estatura média, foi flagrado em um centro espírita da Região Centro-Sul de Belo Horizonte tentando se passar por uma das vítimas da tragédia ocorrida em Mariana, em 5 de novembro, com o rompimento da Barragem de Fundão, da mineradora Samarco, que deixou 17 mortos, dois desaparecidos, comunidades desvastadas e um rastro de destruição ao longo da Bacia do Rio Doce.

Segundo uma senhora do centro esprírita, que prefere não se identificar, o primeiro contato foi por telefone, quando ele disse que estava em situação complicada e que toda a família tinha morrido soterrada em Mariana. Detalhe: apesar da dimensão da tragédia, não há registros de nenhuma família inteira (ou em parte) que tenha sido soterrada. Os mortos e desaparecidos no desastre não tinham essa relação de parentesco.

Depois de contar a história, o rapaz pediu para visitar o centro, dizendo que gostaria de fazer contato com um ente querido. A mulher concordou. No entanto, ao vê-lo, ela reconheceu o rapaz, que há cerca de um ano já tinha aparecido no mesmo lugar, contando uma história diferente: "Da primeira vez, ele disse que era de São Paulo e que havia sido criado pelo pai, no Amazonas, contou uma história impressionante. Na época, tentamos ajudá-lo. Chegamos a ir à rodoviária e comprar uma passagem pra ele".

Desta vez, ao ser reconhecido, ele foi embora. A senhora, no entanto, alerta para o provável golpe. "Ele está sempre muito limpinho, é educado, fala manso, diz que não tem muita cultura, e carrega um livro espírita nas mãos". A mulher não fez ocorrência. Mesmo assim, a reportagem entrou em contato com a Polícia Militar que disse, até o momento, não ter recebido nenhuma ocorrência desse tipo de golpe.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600