SIGA O EM

Monte Carmelo cancela carnaval e Itapeva reduz apoio financeiro para diminuir gastos

MPMG recomendou que cidades não destinem recursos financeiros para festas. Até o momento, pelo menos 26 municípios eliminaram ou diminuíram aporte

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 26/01/2016 19:25 / atualizado em 26/01/2016 23:33

Estado de Minas

Atendendo à recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a Prefeitura de Monte Carmelo cancelou o Carnamonte 2016. O evento contava com a programação gratuita de quatro dias de shows de bandas locais, além de desfile de escolas de samba e blocos.

O MPMG recomendou que a cidade “abstenha-se de realizar quaisquer despesas públicas com as festividades do feriado do carnaval 2016, incluindo a contratação de artistas, de bandas, de serviços de bufê ou similares e a montagem de estruturas, de palcos ou afins”.


Para o prefeito  da cidade, Fausto Nogueira, as justificativas apresentadas não procedem, mas ele decidiu acatar a recomendação. “O Ministério Público alega que Monte Carmelo deve seguir o exemplo das cidades que vão usar o recurso do carnaval para outras áreas e nós vamos fazer isso, mas é importante lembrar que, ao longo de 2015, fizemos cortes significativos na máquina administrativa para garantir serviços na Saúde, na Educação, em Obras e também para proporcionar essa alegria para o povo, que é o carnaval”, disse.


O município de Itapeva é mais um que teve o orçamento do carnaval de 2016 reduzido devido à crise financeira. A prefeitura acatou em parte recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) alertando para redução de gastos com a folia, tendo-se em vista o período de crise. A recomendação também foi feita ao município de Camanducaia, também no Sul de Minas.

A orientação veio do promotor de Justiça Emmanuel Levenhagen Pelegrini que recomendou que "nenhum recurso do erário municipal seja destinado para custear eventos carnavalescos, diante da crise econômico-financeira enfrentada pelo país". O promotor de Justiça destaca que os recursos devem ser destinados à implementação de direitos sociais prioritários, como saúde e educação.

A recomendação não impede o poder público de fomentar e auxiliar manifestações culturais, bem como disponibilizar espaços públicos para a realização de eventos carnavalescos, desde que patrocinados exclusivamente pela iniciativa privada.

A prefeita de Itapeva, Cláudia Viveane de Moraes (PMDB), afirmou que o aviso do MPMG chegou em cima da hora para cancelar as atividades, mas o município reduzirá os gastos em 40%. "Seriam cinco dias de festa na cidade, agora serão somente três: sábado, domingo e segunda", afirma a prefeita que suspendeu a farra na sexta e na terça-feira. Uma escola de samba que viria da cidade de Brangança para agitar os foliões também teve sua apresentação cancelada. Assim, a festa ficará por conta de uma banda local e blocos organizados pela população.

A equipe do em.com.br não conseguiu contato com a Prefeitura de Camanducaia. Já são pelo menos 11 municípios que cancelaram as festas por falta de recurso e outras 16 cidades que terão a folia de Momo reduzida.

Freio na folia


Cidades que já cancelaram o carnaval em 2016

Alpinópolis

Bom Despacho

Cássia

Cláudio

Formiga

Fortaleza de Minas

Lavras

Monte Carmelo

Pará de Minas

São João Batista do Glória

São Tomás de Aquino

Cidades que vão diminuir a festa

Abaeté

Arcos

Carmo da Mata

Diamantina

Iguatama

Itapeva

Itambé do Mato Dentro

Mariana

Moema

Ouro Preto

Passa Tempo

Prados

Santo Antônio do Rio Abaixo

São João del-Rei

Tiradentes

Visconde do Rio Branco
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600