SIGA O EM

Imagens de satélite mostram Bento Rodrigues antes e depois de tragédia

Fotos divulgadas pela Digital Globe mostram a devastação provocada pela lama de rejeitos que desceu de duas barragens que cederam em Mariana, na Região Central

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/11/2015 11:02 / atualizado em 12/11/2015 17:28

João Henrique do Vale

Digital Globe / Divulgação Digital Globe / Divulgação

A combinação de água com rejeitos de mineração que se juntaram com o rompimento das barragens de Fundão e Santarém, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, causou uma devastação em vários distritos. Bento Rodrigues foi o mais atingido. Imagens de satélite divulgadas pela Digital Globe mostram a comunidade antes e depois da tragédia. As fotos foram registradas em 21 de julho e em 10 de novembro pelo satélite WorldView 2.

Digital Globe / Divulgação Digital Globe / Divulgação


Na primeira imagem, mais aberta, as barragens aparecem no canto esquerdo, intactas. No lao direito, onde está a comunidade de Bento Rodrigues, é possível notar as casas e a vegetação esverdeada. Na foto seguinte, que mostra depois do rompimento, o cenário é triste e desolador. As minas aparecem vazias e o verde é tomado pela cor marrom, por causa da lama que desceu. Quase não dá para ver nenhum imóvel da comunidade.

Digital Globe / Divulgação Digital Globe / Divulgação


À medida que as imagens ficam mais próximas, dá para notar o estrago provocado pela avalanche de lama. Nas fotos registradas em 21 de julho, é possível ver claramente os telhados das casas sem nenhuma destruição. Já em 10 de novembro, pouco mais de 20 casas aparecem. O restante está coberto pela lama que desceu das barragens.

Uma semana depois da tragédia, as buscas continuam para encontrar os moradores desaparecidos. Ao todo, são 19. Já foram confirmadas as mortes de seis pessoas. Outros dois corpos seguem no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte e no necrotério de Mariana para serem identificados.

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Carlos
Carlos - 30 de Novembro às 22:55
REVITALIZAÇÃO IMEDIATA: sendo NECESSÁRIO PUNIR COM MULTAS ALTÍSSIMAS PARA TODAS; AS INDÚSTRIAS E CIDADES Já começaram a UTILIZA-LO o Rio Doce COMO REDE DE ESGOTO E DEJETOS Indústrias. Com o MOME Novo TIETÊ do Rio Doce, o qual ESTÁ MORTO. A solução COMEÇAR A PLANTAR arvores nativas DE CADA REGIÃO, HÁ 100 metros das 2(duas margens) em 943km de Bento Rodrigues-(MG) á cidade REGÊNÇIA-(ES) do termino Rio Doce; O Mar de Lama com Resido Toxica CAMADA MUITO FINA: Entra na Areia. Com parceira DE TODAS ÀS COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS TAMBÉM COM AJUDA DE TODOS OS FAZENDEIROS E DA EMATER.