SIGA O EM

Idosa que vivia há 88 anos em Paracatu conta como escapou da morte após tragédia

Hoje ela foi até a arena Mariana para receber doações

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/11/2015 14:24 / atualizado em 10/11/2015 12:19

Estado de Minas

Jair Amaral/EM/D.A press
Basta dar uma pequena volta pela arena de Mariana, na Região Central de Minas Gerais, para encontrar histórias emocionantes de moradores desabrigados por conta da tragédia da última quinta-feira. Efigênia Bento Gonçalves, que vivia há 88 anos no distrito de Paracatu, foi hoje ao local para buscar roupas e sapatos.

“A lama levou tudo. Só deu tempo de subir o morro correndo. Eu sou viúva e moro sozinha, mas minha filha me puxou pelo braço e me ajudou a sair quando aconteceu o desastre”, disse.

Ela contou ainda como os moradores do distrito conseguiram deixar o local após o mar de lama destruir os imóveis. “O helicóptero dos bombeiros pousou e avisou todo mundo para deixar o distrito em cinco minutos. Só deu tempo de pegar a bolsa com documentos. Foi a conta de o helicóptero levantar voo”, contou.

O neto de dona Efigênia, Marcelo Lima, de 16 anos, pegou um par de tênis, pois também ficou apenas com a roupa do corpo. “Até pensei em levar a TV ou o som, mas não deu tempo. Todo mundo conseguiu sair, mas as criações ficaram para trás”, lamentou o jovem lembrando que sua mãe criava 70 galinhas e comercializava ovos.

Com informações de Sandra Kiefer/EM/D.A press

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600