SIGA O EM

Minas Gerais deve ter chuva forte só em dezembro, diz meteorologia

Ruibran dos Reis afirma que esta é uma das piores estiagens dos últimos 100 anos e que apenas no final de 2014 é possível que as águas abasteçam os lençóis freáticos e recuperem as nascentes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/09/2014 12:14 / atualizado em 29/09/2014 13:05

Cristiane Silva

Leandro Couri/EM/DA Press


A longa estiagem que afeta Minas Gerais já secou nascentes, reduziu a extensão de rios e córregos, e vem causando grandes incêndios, alguns com duração de vários dias. Segundo o boletim da Defesa Civil estadual, 149 municípios decretaram situação de emergência desde janeiro. Para o meteorologista Ruibran dos Reis, do Instituto Climatempo, esta é uma das maiores estiagens dos últimos 100 anos e a previsão é de que o estado tenha chuva forte somente no fim de 2014.


A primavera começou no dia 22, mas a expectativa é de uma estação quente, apesar de tradicionalmente o período ser marcado pelo início das chuvas. Em função das altas temperaturas, segundo o meteorologista, ainda haverá registros de queimadas durante o mês, podendo ser até com maior frequência que as registradas no momento. Nesta semana, há possibilidade de chuvas isoladas até quarta-feira nas regiões do Triângulo Mineiro, Oeste e Sul. As chances são menores na Grande BH, que só no domingo registrou 12 focos de incêndio.

Ainda conforme o meteorologista, há uma massa de ar seco estacionada sobre Minas Gerais fazendo um bloqueio para a entrada da frente fria, que já atinge o Sul do país. Além disso, a ação do El Niño bloqueou a chuva na mesma região. “O início do período chuvoso é agora em outubro, mas nesse ano ele vai começar bem mais tarde. Haverá pancadas no final do outubro e início de novembro, mas a chuva para fazer voltar as nascentes, abastecendo os lençóis freáticos, é mais para dezembro”, afirma.

Ruibran dos Reis explica que Minas Gerais está no terceiro ano consecutivo com poucas chuvas, e houve estiagem em pleno período chuvoso. “Normalmente nós tínhamos uma seca. A estiagem normal começava em maio e terminava em setembro, mas tinha um tempo chuvoso bom. Só que desde o ano passado não chove no Norte de Minas. No Sul de Minas nós tivemos praticamente 35% do volume esperado para a estação chuvosa”, diz.

O meteorologista ainda complementa. “Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, uma das consequências do aquecimento global é a variabilidade do clima, um ano com muita chuva, outro com seca severa”.

A situação dos rios no estado já está mobilizando as autoridades, que buscam medidas emergenciais para conter o avanço da seca. Na semana passada, imagens da seca na nascente do Rio São Francisco chamaram a atenção de todo o país. Amanhã , a Câmara Consultiva Regional do Alto São Francisco, integrante do comitê federal do São Francisco, vai se reunir em Belo Horizonte para discutir as medidas, especialmente em relação ao abastecimento humano.

Tags: