17°/ 29°
Belo Horizonte,
23/OUT/2014
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Bebê escapa de ataque de pit bull em Montes Claros Para a avó da criança, a cachorra vira-lata da família foi quem salvou a menina, sacrificando a própria vida

Luiz Ribeiro

Publicação: 11/09/2012 21:35 Atualização:

Ambulante Nilza Freitas exibe foto da neta (Luiz Ribeiro/EM/D.A.Press/)
Ambulante Nilza Freitas exibe foto da neta
Uma cadela da raça pit bull invadiu o quintal de uma casa, no bairro Alto Boa Vista, em Montes Claros, onde se encontrava a menina Gabriele, de 2 anos e 8 meses, na manhã desta terça-feira. No mesmo local, se encontrava uma cachorrinha vira-lata, que atendia pelo nome de “Sem-Terra”. Ela foi atacada pela pit bull e acabou sendo morta. Para a avó de Gabriele, a ambulante Nilza Freitas, de 59 anos, mesmo tendo sido morta, Sem-Terra salvou a criança.

“Se a cachorra não estivesse no quintal, certamente a pit bull teria matado a minha netinha”, disse Nilza, que também estava no local quando sua casa foi invadida pelo perigoso animal. A ambulante conta que abriu a porta de sua casa para sair à rua, quando foi surpreendida pela cadela pit bull, que, logo em seguida, começou a atacar a sua cachorrinha de estimação.

Nilza conta que, preocupada com a neta Gabriele, apanhou um pedaço de madeira e deu uma golpe na pit bull, “que parece não ter sentido nada”, disse. Ela ressaltou ainda que um rapaz que passava pelo local jogou a moto que pilotava contra a pitt bull, que não se intimidou. 

A ambulante conta ainda que a cadela pit bull, depois de matar seu animal de animação, saiu pela rua e arrancou a orelha de outro cachorro, além de ter matado pelo menos três galinhas. A vida no bairro somente voltou ao normal quando o dono da cadela conseguiu laçá-la na rua. A Polícia Militar foi acionada e registrou ocorrência, mas a pit bull não foi apreendida. Os policiais alegaram que o animal já estava amarrado na casa do seu proprietário e que a PM so poderia entrar no domicílio com o mandado de busca e apreensão. 

Ainda muito assustada, Nilza Freitas passou a maior parte do tempo contando a história para vizinhos, parentes e curiosos que foram até sua casa para conhecer a história da cachorrinha, que, segundo ela, morreu ao salvar sua neta. A menina Gabriele frequentou normalmente as atividades de uma escola infantil no bairro Santo Antonio após o ocorrido.

A reportagem foi até a casa do proprietário da cadela pit bull, também situada no bairro Alto Boa  Vista. Na residência foram encontrados apenas alguns pedreiros que trabalhavam numa obra. Eles disseram que o perigoso animal estava amarrado no quintal da casa, mas que não existia ninguém ali que poderia falar sobre o caso.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Livi Carolina
Sinto muito pela 'sem-teto' e pelos outros animais que foram atacados, mas pior do que o animal foi a infelicidade deste jornalista que não soube usar a imparcialidade tão discutida nas faculdades. É por causa de profissionais assim que a população tem uma visão errada dos cães de grande porte. "Peri | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.