SIGA O EM
 col-xs-12

Por que eles vestem a camisa

Condições de trabalho e incentivos à progressão de carreira são ingredientes essenciais do ambiente das melhores empresas, de acordo com os próprios empregados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 815141, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Ramon Lisboa/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'Cleuber Oliveira valoriza a estrutura oferecida pela empresa para que os profissionais assumam os desafios propostos', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/03/15/627580/20150314213850685652a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 815142, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'beto novaes/em/d.a press - 26/2/15', 'link': '', 'legenda': '"H\xe1 uma realiza\xe7\xe3o pessoal no fato de estar sendo \xfatil ao cidad\xe3o" - Ronaldo Roggini, superintendente regional da caixa', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/03/15/627580/20150315113301779720u.jpeg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 15/03/2015 06:03 / atualizado em 15/03/2015 13:12

Estado de Minas

Ramon Lisboa/EM/D.A Press
Um bom salário, expectativa de crescimento profissional, estabilidade no emprego, bom ambiente ou autorrealização. Afinal, o que faz um funcionário se sentir bem no trabalho? “Aqui, há uma segurança muito grande, estrutura para trabalhar, condições de novos desafios e de crescer na carreira”, responde Cleuber Oliveira, engenheiro master da mineradora Vale. A companhia é a melhor para se trabalhar, segundo a pesquisa Marcas Mais Prestigiadas em Minas, e também levou a medalha de ouro entre as 10 Primeiras em Ambiente de Trabalho.

Nascida em Itabira, em 1942, na Região Central do estado, a Vale emprega 56 mil trabalhadores próprios e terceirizados em Minas, representando 39% do seu quadro efetivo no Brasil. Para o gerente de Recursos Humanos da empresa, João Carlos Teixeira, a colocação no levantamento é reconhecimento da capacidade que a mineradora tem de atrair muitos profissionais, das mais variadas áreas. Além do ranking de Melhores Empresas para se Trabalhar, a Vale se destacou no ranking geral de Prestígio e Reputação, alcançando o terceiro lugar.

A mineradora figura, ainda, na lista das Melhores Empresas para se Investir; aparece em primeiro no ranking de Melhores em Responsabilidade Social e Ambiental e está entre as 10 mais Admiradas e Confiáveis, as 10 mais Reconhecidas em Inovação e as 10 mais Reconhecidas pela História e Evolução. O destaque alcançado pela empresa na pesquisa do Estado de Minas tem se repetido nos últmos anos. Em 2012, por exemplo, a Vale estava em sétimo lugar no ranking de Melhores em Responsabilidade Social e Ambiental. Em 2013, foi a vencedora do pódio e, neste ano, repetiu o feito.

“As pessoas querem trabalhar conosco porque nos reconhecem como uma empresa sólida, bem-sucedida e com presença global, que assume um papel de liderança na indústria e oferece oportunidades de carreira por meio de um trabalho desafiador e dinâmico”, diz João Teixeira. O gerente de RH da Vale observa que outros dois fatores influenciam, o cuidado com o meio ambiente e a promoção do desenvolvimento das comunidades onde atua. Como contrapartida à expectativa dos trabalhadores, a empresa investe no desenvolvimento de seu pessoal. “Assim, criamos um ambiente que valoriza o talento, o trabalho conjunto e permite que todos possam contribuir para os objetivos da empresa”, afirma o executivo.

No perfil traçado pela pesquisa com os mais de 3 mil entrevistados, a Vale está em primeiro lugar entre as marcas de prestígio em Minas para os moradores da capital, que correspondem a 48,9% dos participantes. A empresa tem a preferência do público masculino, ficando em terceiro lugar na relação das marcas citadas pelos homens e em sexto nas citações das mulheres. Eles correspondem a 56,7% dos entrevistados, e elas, a 43,3% da amostra. Foi também mais lembrada entre os mais jovens, com idade abaixo de 34 anos., que são 41% dos entrevistados. Para esse público, ela ficou em segundo lugar; já para aqueles com 35 anos ou mais, a empresa ficou em quarto. Para aqueles que ganham acima de quatro salários mínimos, o que representa 48,5% dos entrevistados (na época da pesquisa, o salário mínimo era de R$ 724), a mineradora está em primeiro lugar.

Para quem trabalha na mineradora, os destaques não são uma surpresa. O engenheiro Cleuber Oliveira, há quatro anos na empresa, valoriza a segurança e a progressão na carreira, além do plano de saúde da Vale. “Se o empregado quiser estudar, ele tem benefícios. Tudo isso agrega valor para o profissional e justifica as colocações da mineradora nos rankings. Esse ambiente torna mais fácil para o empregado assumir os desafios propostos. E aqui, existem oportunidades”, define.

PALAVRA DE ESPECIALISTA

 

Chapa quente ou introvertidos?

 

Eduardo Ferraz - consultor em gestão de pessoas

 

“Um bom lugar para se trabalhar tem que ter bom ambiente, o que varia de acordo com os valores do empregado. Há pessoas que são adeptas da cultura ‘chapa quente’, ou seja, se dão bem trabalhando sob pressão por metas e recebem e-mails de madrugada, entre outras formas de atuar. Se o funcionário for introvertido, no entnato, ele não vai gostar de trabalhar. Vai preferir aquele emprego com regras claras, que pode, inclusive, oferecer remuneração abaixo da média, mas não o pressiona. Depende do perfil de cada um. Em uma lista de moedas de troca que fazem um local se tornar bom para se trabalhar, a primeira delas tem a ver com dinheiro, bônus e benefícios na participação dos resultados. A segunda é a segurança, fator de estabilidade da empresa, pagamento correto, sem mudar o funcionário de um dia para o outro de cidade. O terceiro item é o motivador. Há empresas que não pagam muito bem, não dão estabilidade, mas são quase escolas. O dono treina seus funcionários e eles têm a possibilidade de aprender. O quarto ponto é reconhecimento, que vai desde um elogio até a promoção da pessoa. O quinto é a autorrealização, quem trabalha se realiza e sente que esta ajudando. Destacar-se em uma pesquisa dessas é um ótimo negócio para as empresas, uma vez que, com o resultado, o lugar passa a ser procurado por quem quer atuar ali e há , com isso, uma oferta maior de mao de obra.”

Contrapartidas na cobrança de metas

A realização profissional é, também, enfatizada pela assistente de agência Drielly Catrina Silva de Oliveira, de 25 anos. Há quatro anos trabalhando na Caixa, ela diz que está feliz e realizada. O banco aparece em quinto lugar no ranking de Melhores Empresas Para se Trabalhar, em quarto entre as 10 Primeiras em Ambiente de Trabalho e no ranking geral de Prestígio e Reputação, além da presença entre outras avaliações do levantamento. Para o superintendente regional da instituição, Ronaldo Roggini, os destaques servem de estímulo aos funcionários. “O diferencial de quem atua aqui é o de dever cumprido, e há uma realização pessoal no fato de estar sendo útil ao cidadão”, comenta.

A Caixa também fez história na pesquisa e, com o passar dos anos, vem subindo degraus. Em 2013, por exemplo, o banco federal estava em quarto lugar no ranking de Melhores em Responsabilidade Social e Ambiental. Nesta pesquisa, chegou ao segundo no pódio. Ainda em 2013, ocupava a sexta posição do ranking geral de Prestígio e Reputação. Entre as 10 Mais Reconhecidas em Inovação, estava no oitavo lugar em 2013. No ranking das 10 Mais Reconhecidas pela História e Evolução, subiu do quinto lugar, em 2013, para o segundo em 2014. Entre as 10 Primeiras em Ambiente de Trabalho, estava no sexto lugar em 2012 e também 2013.

Para Drielly Catrina, a evolução tem muitas explicações. Ela conta que, antes de fazer o concurso da Caixa, imagina que trabalhar em agências bancárias implicaria uma constante pressão por metas. “É claro que há essa cobrança, mas, além de a empresa nos dar condições e estrutura para o serviço, há muitos benefícios quando se trabalha aqui.”

A assistente de agência da Caixa cita como bons exemplos a concessão de bolsas para graduações e pós-graduações, além de cursos de idiomas. Na pesquisa, a Caixa foi mais citada no interior, ficando em terceiro lugar, e em quarto na capital. Está em segundo lugar nas avaliações do público feminino e em quarto para o masculino. Foi mais lembrada entre os entrevistados com 35 anos ou mais, chegando ao terceiro lugar para essa faixa etária. Aqueles que ganham até quatro salários mínimos citaram mais vezes a Caixa, deixando a estatal em segundo lugar, e em sétimo entre aqueles que ganham acima de quatro salários mínimos.

beto novaes/em/d.a press - 26/2/15


OS DESTAQUES

 

As 20 melhores para se trabalhar

1º Vale
2º Banco do Brasil
3º Nestlé
4º Cemig
5º Caixa
6º Toyota
7º Itaú
8º Fiat
9º Ford
10º Hyundai
11º Correios
12º Volkswagen
13º Usiminas
14º Bradesco
15º Honda
16º Audi
17º Gerdau
18º Votorantim Metais
19º Gm
20º Puc Minas

As 10 primeiras em ambiente de trabalho

1º Vale
2º Banco do Brasil
3º Nestlé
4º Caixa
5º Cemig
6º Fiat
7º Toyota
8º Correios
9º Itaú
10º Volkswagen

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600