SIGA O EM

Inscrições para Vestibular Uemg 2016 têm curso inédito de medicina

São 6 mil vagas em 21 unidades da universidade em Minas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 22/09/2015 07:25 / atualizado em 22/09/2015 07:28

Estado de Minas

As inscrições para o vestibular 2016 da Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg) estão abertas até 8 de novembro para 6 mil vagas em 21 unidades no estado. A novidade é o curso de medicina, no câmpus de Passos, no Sul mineiro. Este é o primeiro processo seletivo unificado da universidade estadual e o manual do candidato e inscrições podem ser acessados no site www.uemg.br/vestibular.

Financiado pelo governo estadual, o curso de medicina foi aprovado com nota 4 pelos órgãos responsáveis pela abertura e fiscalização de bacharelados na área. O processo seletivo para medicina, assim como para as outras graduações, será realizado em etapa única em 6 de dezembro. Os candidatos farão provas gerais objetivas de disciplinas correntes no ensino médio, além de uma prova de língua estrangeira e uma questão de redação.

Somente os cursos oferecidos pela Escola de Música e pela Escola Guignard, em Belo Horizonte, têm etapa eliminatória anterior de provas de habilidades específicas. As obras literárias indicadas para a realização das provas do vestibular da Uemg são Olhos d’água, livro de contos de Conceição Evaristo, e Crônicas para ler na escola, crônicas de Zuenir Ventura.

Para os candidatos que participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015, há também a possibilidade de concorrer a vagas pelo Sistema de Seleção Unificado (Sisu). Serão oferecidas nessa modalidade 50% das vagas disponíveis para graduação. As inscrições para o Sisu ainda serão definidas pelo Ministério da Educação, mas a previsão é que ocorram nos primeiros meses de 2016.

Em ambas as modalidades (vestibular e Sisu), a Uemg usa o sistema de reserva de vagas, chamado Procan, no qual 45% do total são destinadas a candidatos carentes afrodescendentes (20%), egressos de escola pública (20%), portadores de deficiência e indígenas (5%). Para concorrer pela reserva de vagas, o candidato deverá encaminhar documentos exigidos em edital, que comprovam sua situação socioeconômica em um dos grupos listados.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
sebastiao
sebastiao - 22 de Setembro às 08:19
O lula arrebentou com as escolas públicas superior, onde se viu isso, reservar vagas para pessoas carentes, negros, índios, isso só cabe na cabeça de pessoas que sofre das faculdades mentais, porque não melhorou a qualidade das escolas públicas, condicionando os professores com justos salários e melhores condições de trabalho, quem estuda numa escola particular, mesmo sendo de qualidade, concorrer com 5% das vagas, é desumano para os alunos, que precisam acertar 80% das questões, devido a concorrência desleal, mesmo o candidato melhor preparado corre-se o risco de não ser aprovado.