16°/ 26°
Belo Horizonte,
22/OUT/2014
  • (13) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Nova mineradora investirá em Minas Recurso de US$ 2,8 bilhões será destinado ao projeto para explorar ferro em Morro do Pilar e Santa Maria do Itabira

Marta Vieira

Publicação: 21/06/2012 06:00 Atualização: 21/06/2012 06:46

Executivos da Manabi Holding – mineradora criada no ano passado por ex-executivos da Vale e da MMX e investidores canadenses e americanos – se reuniram ontem com técnicos do governo de Minas para discutir detalhes finais de um acordo que apoia o investimento bilionário preparado pela companhia no estado. A Manabi adquiriu em 2011 reservas de minério de ferro de Morro do Pilar e Santa Maria do Itabira, na Região Central mineira. Segundo uma fonte do setor que acompanha as negociações com o governo estadual, o orçamento do projeto está dimensionado em US$ 4,1 bilhões, dos quais cerca de US$ 2,8 bilhões serão destinados ao complexo de mineração em Minas.

O empreendimento deverá ser formalizado em julho, por meio de protocolo de intenção do investimento a ser firmado no Palácio Tiradentes. Na segunda-feira, a mineradora enviou comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando sobre entendimentos com o governo do Espírito Santo para a construção de terminal portuário próprio no município de Linhares, que terá como principal carga o minério de ferro que a Manabi vai explorar nas jazidas mineiras, além de granéis sólidos e líquidos de terceiros.

A empresa informou que não vai se pronunciar sobre o projeto em razão das imposições da CVM. Para viabilizar o seu projeto no Brasil, a companhia enviou ao órgão regulador do mercado de capitais pedido de análise para oferta pública de ações. O complexo para a extração e beneficiamento de minério de ferro contempla uma produção estimada em 31 milhões de toneladas anuais a partir de 2016, sendo 25 milhões de toneladas na mina de Morro do Pilar e outros 6 milhões de toneladas na reserva de Morro Escuro, em Santa Maria do Itabira.

O projeto é um dos maiores em volume no estado, superior aos 26,5 milhões de toneladas do complexo Minas-Rio da multinacional Anglo American em fase de obras no município de Conceição do Mato Dentro. A Manabi iniciou em abril o licenciamento ambiental de seu projeto e firmou com a mineradora Vale entendimentos para negociar o escoamento do minério pelos trilhos da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) até o litoral capixaba.

A logística estudada pela Manabi considera a construção de um mineroduto de cerca de 150 quilômetros ligando a mina de Morro do Pilar a Ipatinga, no Vale do Aço, de onde o insumo seguiria por ferrovia até o Espírito Santo. O trajeto em direção ao porto de Linhares seria complementado por um ramal ferroviário de 90km.

Todo o minério de Morro do Pilar terá como destino a exportação, enquanto a reserva de Morro Escuro atenderá o mercado interno. A expectativa é de que o projeto abra 2 mil empregos diretos nas operações, sendo 1,5 mil no complexo minerador. A despeito da crise na Europa e do crescimento menor na China e nos Estados Unidos, a Manabi, ainda segundo a fonte ouvida pelo Estado de Minas, se ampara em boas perspectivas de vendas, tendo em vista a qualidade considerada premium de suas reservas. Depois de passar pela etapa de processamento, o minério de ferro sairá das minas com teores de 68% de ferro, ideais para uso direto nos altos-fornos da indústria siderúrgica.
Tags: celular

Esta matéria tem: (13) comentários

Autor: francisco viegas
Pobrezinhos do Morro e Sta Maria do Itabira. É só visitar Conceição e horrorizar com a degradação social e ambiental da cidade. Morro tão pequenina e bonita. Que pena! Socorro! | Denuncie |

Autor: Prime Time 85
Não sou ambientagaylista, mas pelo menos deveriam pagar royalties ao estado, como fazem no RJ. A diferença é que lá o impacto paisagístico é ZERO, já que a matéria(petróleo) é retirada do fundo do mar. | Denuncie |

Autor: Paulo Barbosa
Só seremos 1º Mundo, quando produzirmos mais aço e exportar menos minério de ferro. O criador da sigla Brics disse isso "n" vezes, mas as autoridades fingem que não ouvem. Não faz sentido exportar minério de ferro e depois importar aço , de matéria prima do Brasil. Minério não dá duas safras! | Denuncie |

Autor: Thomaz Turbahndo
Ô MPM, vc chegou a essa brilhante conclusão sozinho ou o google te ajudou? | Denuncie |

Autor: jose silva
Esse Full deve achar que a Coca Cola fabrica a água que ele bebe, operadores de maquinas e motoristas de caminhão que tem trabalhar dia e noite de segunda a segunda não é emprego de qualidade. | Denuncie |

Autor: VAN DER GRAAF
Milhões de toneladas de água, sei... Água, agora, tem sua medida em quilos, não mais em litros. E uma anta dessa ainda vem aqui dar uma de entendido. É mole? | Denuncie |

Autor: Geddy Lee
Quais são os absurdos, ô Mpm? Vc poderia identificar e justificar? Pára de falar besteira, sua anta! Mais um que ouve o galo cantar, mas não sabe onde. Que mala, meu. | Denuncie |

Autor: Guy Evans
Como fala abobrinha esse Mpm. | Denuncie |

Autor: Full Metal Jacket
Como sempre, os comentários dos ecochatos e pseudos ambientalistas a criticar mais um empreendimento que vai gerar emprego, renda e desenvolvimento em troco de alguns cortes em montanhas e matos, que é o que mais tem neste estado. Que dureza... | Denuncie |

Autor: Mpm Assessoramento E Repres.ltda
...da palavra "sustentabilidade". O pior é constatar, amis tarde, que nossos órgãos reguladores do meio ambiente, ligados ao Governo de MG, concedem todas as licenças ambientais a um absurdo destes. Porque será? interesses eleitoreiros? | Denuncie |

Autor: Mpm Assessoramento E Repres.ltda
Falar em mineroduto, que consome milhões de toneladas de água por ano, desertificando as áreas adjacentes da mineradora, é algo insólito e até ofensivo enquanto, em paralelo rola a Rio 20. Que incoerência, parece que os tais "executivos", focados no capital e no lucro, desconhecem o significado...... | Denuncie |

Autor: Lucio Nome
Não chamo isso de investimento. Essas mineradoras degradam e muito o nosso território. Investimento seria se produzíssemos não apenas matéria prima, coisa que acontece no Brasil desde os primórdios, ou seja, apenas o início da cadeia de produção, ou seja, o mais barato. | Denuncie |

Autor: jose silva
Investimento em extração não traz nenhum beneficio ao Estado, é temporário e so deixa os danos ambientais, se fosse assim Itabira seria uma metropole, ganho esta nas siderurgicas que nem estão no estado; | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.