Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Kaysar Dadour: do BBB para as novelas


postado em 28/04/2019 05:09

Em Órfãos da terra, Kaysar (d), vive o capanga Fauze e contracena com Herson Capri (Aziz) (foto: Paulo Belote/Globo)
Em Órfãos da terra, Kaysar (d), vive o capanga Fauze e contracena com Herson Capri (Aziz) (foto: Paulo Belote/Globo)


Kaysar Dadour ficou nacionalmente conhecido após participar do Big Brother Brasil, na Globo. Vice-campeão da edição passada do programa, ele conseguiu trazer sua família da Síria para o Brasil e abraçou a oportunidade de se tornar ator. Em Órfãos da terra, novela das 18h da emissora, ele dá vida a Fauze, capanga do sheik Aziz (Herson Capri). Natural de Aleppo, o intérprete do vilão vê de perto a trama trazendo um pouco da sua trajetória de vida, afinal teve que sair fugido da Síria para a Ucrânia e, depois, seguiu até o Brasil.

“É uma loucura. Estou bem animado, o coração está batendo muito forte. Essa novela traz uma mensagem incrível por conta da questão da guerra, do amor, de tudo. Contei um pouco da minha história (para os outros atores). Um ajuda o outro, sabe? Eu os auxilio com o árabe e eles me ajudam com o português”, conta.

Na trama, Fauze foi com Aziz até o campo de refugiados, no Líbano, onde Laila (Julia Dalavia) estava. Mesmo sendo apenas cenográfico, o espaço construído em uma área de 15 mil metros quadrados, no Bairro de Santa Cruz, na zona oeste do Rio, impressionou Kaysar. Ao ver o local com 300 figurantes, e tendas reais de operações humanitárias, ele enfrentou um fantasma do passado. “Quando fui ao campo de refugiados, fiquei três dias com dor de cabeça. Foi muito pesado pra mim, mas é bom enfrentar o medo, nos fortalecer. Fiquei bastante emocionado, pensei que nunca ia ver essas coisas, mas vi. Graças a Deus era só cenário”, confessa

Por ter saído do Big Brother Brasil para uma novela, Kaysar sabe que poderia ter sofrido preconceito dos outros atores, como foi o caso de Grazi Massafera, por exemplo. No entanto, o intérprete de Fauze ressalta que foi bem recebido pelos companheiros de elenco. “Herson Capri me ajudou bastante. O Renato (Góes), a Alice (Wegmann) e a Julia (Dalavia) também são sempre muito carinhosos comigo”, afirma.

EMPATIA

Na novela de Thelma Guedes e Duca Rachid, Fauze leva ao extremo sua lealdade ao patrão. E também faz maldades, como quando dedurou a relação de Hussein (Bruno Cabrerizo) e Soraia (Letícia Sabatella) para Aziz. Porém, ao contrário do personagem, Kaysar prefere enaltecer o amor e pedir mais empatia.  “A palavra-chave da novela é empatia. Se cada um pensasse um pouquinho antes de agir de forma ruim, o mundo seria maravilhoso. A minha terra era linda, até agora na minha cabeça é muito bonita, e vai continuar assim. O Brasil também é lindo. Mas a guerra... Não gosto nem de falar dessas coisas. Perdi um grande amor na guerra, mas não quero falar sobre isso. É um assunto difícil, pesado...”. (Estadão Conteúdo)


Publicidade