Publicidade

Estado de Minas TECNOLOGIA

Veja como funciona a carteira digital do WhatsApp Pay

Entenda os cinco principais pontos da ferramenta que começou a ser disponibilizada no Brasil há cerca de uma semana


14/05/2021 08:24

Ferramenta que permite aos usuários fazer transações bancárias durante uma conversa está disponível no Brasil para pessoas físicas(foto: Wikimedia/Creative commons)
Ferramenta que permite aos usuários fazer transações bancárias durante uma conversa está disponível no Brasil para pessoas físicas (foto: Wikimedia/Creative commons)
As empresas do conglomerado Facebook Inc. estão cada vez mais próximas de um grande centro comercial online. Um novo passo nessa direção, a função WhatsApp Pay está disponível para os brasileiros há pouco mais de uma semana.

Similar a outras carteiras virtuais já existentes por aqui, a ferramenta não é um banco digital, mas uma espécie de intermediário entre o usuário e a instituição financeira da qual ele já é cliente. A vantagem, segundo a empresa, é a facilidade de transferir valores para um contato sem precisar sair do aplicativo de conversas ou abrir o sistema do banco, por exemplo.

Aprovada pelo Banco Central em 30 de março e lançada oficialmente no país no último dia 4 de maio, a carteira virtual estará disponível para toda a base de usuários gradativamente através de atualizações do aplicativo pelas lojas oficiais dos smartphones. Entretanto, a empresa ainda precisa de autorização do BC para incluir a funcionalidade no aplicativo direcionado a empresas. Até lá, as transações só poderão ser feitas entre pessoas físicas. Mas, afinal, como funcionará o WhatsApp Pay? Confira os cinco principais pontos do sistema.

Como fazer uma transação?

Primeiro, será preciso que o usuário crie uma conta no Facebook Pay e selecione uma senha de seis dígitos que será usada em movimentações tanto no Facebook quanto no WhatsApp e Instagram. Depois, é preciso inserir os dados de um cartão ou conta bancária das instituições parceiras — Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú Unibanco, Nubank, Mercado Pago e Sicredi.

Como será feita a comprovação do pagamento?

Tudo ficará registrado no histórico da conversa ou na aba de pagamentos do aplicativo. O usuário poderá ver o andamento das transferências através de rótulos como “efetuado”, “solicitado”, “processando”, “pendente”, “não efetuado” e “expirado”. O cliente ainda poderá receber uma mensagem que solicita que ele se informe com o próprio banco, caso algo dê errado.

Existem limites para a transação?

A princípio, cada usuário pode movimentar até R$ 5 mil por mês, entre dinheiro enviado e recebido. O número de transferências também é limitado: 20 por dia. Além disso, cada movimentação só cobrirá até R$ 1 mil. Apesar disso, a instituição financeira da qual o usuário é cliente pode estabelecer tetos diferentes.

Interação com o PIX

Até o momento, o WhatsApp Pay não deve integrar pagamentos feitos pelo sistema PIX. Apesar disso, a empresa informou que está em contato com o BC para que os sistemas possam interagir “em um futuro próximo”.

Segurança

Diferente das conversas trocadas pelo aplicativo, para as quais a empresa garante criptografia de ponta a ponta, os pagamentos pelo WhatsApp dependem de interação com o sistema de terceiros — isso é, das instituições financeiras e bancos. Assim, a proteção dos dados bancários será feita em um local separado no servidor do aplicativo.

Para garantir que não existam fraudes ou furtos, a orientação é que os consumidores não compartilhem o código PIN com outras pessoas e ativem opções de segurança adicionais, como biometria. Em caso de suspeita, o usuário ainda poderá contar com um centro de atendimento ao cliente específico para o sistema de pagamentos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade