Publicidade

Estado de Minas HUMANOIDES

Isso é muito Black Mirror: robôs-humanoides já estão entre nós

Como na série da Netflix sobre futuro distópico, startup de tecnologia russa lança robôs com rostos customizáveis que podem parecer com qualquer humano


postado em 03/10/2019 04:00 / atualizado em 03/10/2019 15:22

 
 
A expressão “isso é muito Black Mirror” nunca foi tão real. Quem acompanha a série televisiva britânica sobre tecnologia – que se passa em um futuro distópico – deve se lembrar do primeiro episódio da segunda temporada. Em Be right back, uma mulher que acaba de perder o marido descobre um serviço que pode comprar um robô customizado que imita o comportamento do companheiro que se foi. Agora, qualquer pessoa poderá ter um robô com aparência mais humana.

A empresa russa Promobot, fabricante de robôs de serviços autônomos, lançou recentemente as vendas de robôs com aparência humana. O Android Robo-C pode ser tanto um robô companheiro como também ser um atendente integrável em vários processos de negócios que exigem atendimento das pessoas nos locais físicos.
 
Robô-humanoide ao lado de seu criador, Aleksei Iuzhakov, CEO da Promobot. Material usado imita a textura da pele humana (foto: promobot/divulgação )
Robô-humanoide ao lado de seu criador, Aleksei Iuzhakov, CEO da Promobot. Material usado imita a textura da pele humana (foto: promobot/divulgação )
 
 
Mantendo a conversa e respondendo às perguntas, o robô copia expressões faciais humanas: pode mover seus olhos, sobrancelhas, lábios e outros "músculos". A tecnologia desenvolvida pela Promobot, bem como seu próprio design patenteado, tem mais de 600 expressões faciais que permitem ao robô imitar os humanos.

A empresa acredita que um robô como esse é capaz de remover a barreira na interação homem-máquina e substituir funcionários em locais como atendente em feiras, recepcionistas em agências de correios, bancos e instituições municipais.

"Estamos abrindo um enorme mercado em serviços, educação e entretenimento. Imagine uma réplica de Michael Jordan vendendo uniformes de basquete ou William Shakespeare lendo seus próprios textos em um museu?”diz Aleksei Iuzhakov, presidente do Conselho de Administração da Promobot.

A empresa Promobot foi fundada em 2015 e fabrica robôs de serviço autônomo no Norte e Leste da Europa. Os chamados promobots “trabalham” em 35 países como administradores, promotores, consultores, guias e concierges. Eles podem ser encontrados no metrô de Moscou, no aeroporto de Baltimore, no Dubai Mall, nas lojas da IKEA e em outros locais movimentados.

No Brasil 

A Umbô, representante da Promobot no Brasil, pretende implementar em breve os robôs-humanoides aqui no país. Vanessa de Lima Bezerra, diretora de marketing da empresa brasileira, aposta na ideia de unir eficiência de atendimento com experiência e emoção para fidelizar o cliente ao longo do seu contato com a marca numa loja ou num ponto físico. “Em operação há um ano, a startup realizou mais de 20 projetos variados na área de saúde, educação, varejo e eventos. Atualmente, estamos com dois modelos de robôs (não humanoides) no Rio Grande do Sul.  Lá, construímos um modelo linguístico baseado nas frases populares da região, como o famoso tchê gaúcho. Assim, geramos melhor interação como o público”, explica Vanessa.

Os clientes interessados podem alugar (por dia, mês ou ano) ou comprar um robô-humanoide. A empresa oferece assistência técnica e suporte operacional. 


Publicidade