Publicidade

Estado de Minas

China construirá o maior acelerador de partículas do mundo

Concepção do projeto deverá terminar antes de 2016. Instalação deverá permitir aos cientistas conhecer melhor o funcionamento do universo


postado em 29/10/2015 09:52 / atualizado em 29/10/2015 10:08

Gráfico mostra colisão de partículas em experiência do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN). Nova instalação poderá ser, no mínimo, duas vezes mais rápida(foto: AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI)
Gráfico mostra colisão de partículas em experiência do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN). Nova instalação poderá ser, no mínimo, duas vezes mais rápida (foto: AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI)

A China vai construir entre 2020 e 2025 o maior acelerador de partículas do mundo, e que deverá permitir aos cientistas conhecer melhor o funcionamento do universo. "A concepção estará terminada antes de 2016", declarou ao jornal China Daily Wang Yifang, diretor do Instituto de Física e Altas Energias, subordinado à Academia de Ciências chinesa.


Se o projeto chinês vingar, será no mínimo duas vezes maior que o Grande Colisor de Hadróns (LHC) do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), instalado na fronteira entre a França e a Suíca. Em 2012, o LHC permitiu confirmar a existência do chamado Bóson de Higgs, a partícula elemental considerada chave na estrutura fundamental da matéria.


Segundo Wang Yifang, "o LHC gera bósons de Higgs junto a inúmeras outras partículas, mas no futuro o colisor chinês criará um ambiente extremadamente puro que só produzirá Bósons de Higgs". A nova instalação poderá gerar até sete vezes mais energia que o CERN, que acba de quase dobrar sua potência.


A China, ao contrário de muitos países ocidentais que reduziram seus orçamentos em pesquisa, está investindo maciçamente em pesquisa fundamental e aplicada para converter-se no líder mundial das ciências.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade