Publicidade

Estado de Minas

Apple e Samsung são acionadas na Justiça por memória menor nos celulares e tablets

Proteste entra com ação civil pública contra gigantes da tecnologia por propaganda considerada enganosa


postado em 21/10/2015 15:57 / atualizado em 21/10/2015 17:07

(foto: Reprodução/YouTube )
(foto: Reprodução/YouTube )
A Associação Brasileia de Defesa do Consumidor (Proteste) entrou com ação contra as gigantes da tecnologia Apple e Samsung alegando 'propaganda enganosa'. De acordo com a Proteste, elas teriam anunciado tablets e smartphones com uma memória interna maior do que realmente têm. A Proteste pede uma mudança imediata dos anúncios publicitários, por considerar que os consumidores estão sendo lesados. 
 
A ação civil pública foi instaurada no Foro Central Cível de São Paulo contra a Apple e a Samsung, com a solicitação de pagamento de uma indenização por perdas e danos correspondente ao valor de cada GB de memória livre não entregue. 

Os valores serão revertidos para o Fundo criado pela Lei de Ação Civil Pública. Em ação individual, o consumidor pode pedir o dinheiro de volta ou o abatimento proporcional do preço, além de perdas e danos.

Embasada em vários artigos do Código de Defesa do Consumidor, a ação pede o cumprimento à oferta, e configura o problema da memória inferior à anunciada como vício oculto. 

 

O próprio sistema operacional do aparelho e os aplicativos a ele incorporados ocupam espaço na memória interna, gerando menor espaço disponível do que o original instalado e que, apesar disso, é anunciado como existente para uso do consumidor. E os aplicativos não são removíveis. 

 
No caso do iPad Air de 16GB, o consumidor tem à disposição apenas 12,13GB para uso. No caso do Samsung Galaxy Tab S 8.4, anunciado com 16GB, na verdade tem 10,08 de espaço disponível. 
 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade