Publicidade

Estado de Minas

Criador do Facebook dispensa botão 'não curtir'

Empresa pensa em aplicar conceito à rede social de uma maneira positiva, afirmou Zuckerberg em reunião realizada na quinta-feira. Modificação é uma das maiores exigências dos usuários do Face


postado em 13/12/2014 09:05 / atualizado em 13/12/2014 09:38

''Queremos usar a ferramenta como uma força para o bem, e não para o mal'', afirmou Zuckerberg em conversa (foto: REUTERS/Robert Galbraith/Files)
''Queremos usar a ferramenta como uma força para o bem, e não para o mal'', afirmou Zuckerberg em conversa (foto: REUTERS/Robert Galbraith/Files)

E se internautas pudessem expressar seu descontentamento por frases, imagens e vídeos compartilhados por seus pares no Facebook? Pois o botão 'não curtir', o exato oposto da famosa 'mãozinha' da rede social mais famosa do mundo pode estar longe de sair do papel.

Pelo menos é o que afirma o criador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg. “Algumas pessoas já perguntaram do botão 'não curtir' antes. Eles querem ter o poder de dizer que algo não é bom, e isso é algo que consideramos não ser benéfico para o mundo'', afirmou o bilionário ao ser questionado sobre a ferramenta em uma conferência realizada na sede da empresa na última quinta-feira, 11.

(foto: Facebook / Reprodução)
(foto: Facebook / Reprodução)
  ''Então, não vamos elaborar isso. Não acho necessário haver um mecanismo de votação no Facebook, que decida se algo é bom ou ruim. Não acho esse conceito valioso ou bom para a comunidade, em um nível social”, continuou.

A ideia, contudo, não foi completamente descartada por Zuckerberg e companhia. "Precisamos encontrar a maneira certa de fazê-lo, para que (a ferramenta) seja uma força para o bem, não para o mal", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade