Publicidade

Estado de Minas

Agência Espacial divulga primeira fotografia tirada em cometa

Pela primeira vez na história, robô aterrissou sobre superfície de cometa


postado em 13/11/2014 13:20

Fotografia mostra superfície rochosa e uma das três pernas do robô(foto: ESA/AFP)
Fotografia mostra superfície rochosa e uma das três pernas do robô (foto: ESA/AFP)
 

Berlim, 13 - A Agência Espacial Europeia divulgou nesta quinta-feira a primeira imagem tirada da superfície de um cometa e disse que o robô Philae ainda está "estável", apesar da falha dos arpões que prenderiam o artefato ao terreno rochoso do cometa. O robô fez história na quarta-feira ao se tornar o primeira artefato a pousar no cometa conhecido como 67P/Churyumov-Gerasimenko, após uma jornada de uma década e 6,4 bilhões de quilômetros pelo espaço a bordo da sonda espacial Rosetta.

A alegria dos cientistas foi levemente prejudicada porque os arpões que deveriam ancorar o robô à superfície do cometa não foram acionados, fazendo com que o artefato chacoalhasse duas vezes antes do pouso nos quatro quilômetros de extensão do corpo celeste, também chamado de núcleo.

"O Philae está estável sobre o núcleo e produzindo dados", disse à Associated Press Gerhard Schwehm, cientista da missão Rosetta. "O robô está em bom estado", ressaltou Schwehm. A fotografia enviada para a Terra mostra uma superfície rochosa e uma das três pernas do robô.

Os cientistas ainda analisam o efeito dos dois saltos sobre a estrutura da nave e pretendem divulgar mais detalhes durante uma coletiva de imprensa marcada para as 11h (de Brasília). A comunicação com o robô é lenta e os sinais levam mais de 28 minutos para viajar os cerca de 500 milhões de quilômetros entre a Terra e a sonda Rosetta. Schwehm disse que ainda pode ser possível disparar os arpões, mas isso só será feito se não houver risco para o Philae.

Outra questão importante é se a broca do robô poderá ser usada para extrair amostras debaixo da superfície do cometa sem empurrar do Philae para o espaço. A gravidade no cometa é apenas 1/100.000 da gravidade terrestre, o que significa que o artefato, do tamanho de uma máquina de lavar roupas, pesa apenas 1 grama no local.

O Philae e a sonda Rosetta usarão 21 instrumentos para analisar o cometa nos próximos meses. Cientistas esperam que o projeto, de 13, bilhão de euros (US$ 1,6 bilhão) os ajude a entender melhor os cometas e outros objetos celestiais, assim como responder perguntas a respeito da origem da vida na Terra.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade