Publicidade

Estado de Minas

Foguete da Orbital Science explode durante lançamento


postado em 29/10/2014 08:18 / atualizado em 29/10/2014 11:14

(foto: AFP PHOTO / HANDOUT / NASA / Joel Kowsky )
(foto: AFP PHOTO / HANDOUT / NASA / Joel Kowsky )
 

Um foguete não tripulado da companhia Orbital Science explodiu, nesta terça-feira, seis segundos após o lançamento da missão de reabastecimento da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), informou a Nasa.

"O foguete Antares sofreu um acidente logo após a decolagem", reportou o centro de controle da missão da Nasa, em Houston, no Texas.

"Não há feridos e não falta ninguém do pessoal da base", informou o site da Nasa.

Chamas foram vistas na plataforma de lançamento costeira, depois que o foguete decolou na Ilha Wallops, Virgínia, no pôr-do-sol, às 18h22 locais (20h22 de Brasília).

As causas da explosão ainda não estão claras.

O controle da missão da Nasa informou que o acidente aconteceu logo depois que a nave de carga não tripulada Cygnus foi lançada rumo à ISS, transportando quase 2,3 toneladas de provisões para os seis astronautas a bordo da estação orbital.

Em um breve comunicado publicado na Internet, a Nasa disse "que um problema ocorreu logo após a decolagem", e prometeu difundir novas informações assim que possível.

A agência espacial destacou que está trabalhando "junto a Orbital para reunir todos os dados sobre o fracasso desta operação".

Segundo a Orbital, "houve um problema no lançador" da nave.

"Algo não foi bem e terminou no que pudemos ver", disse o vice-presidente da Orbital, Frank Culbertson, que anunciou uma investigação em curso.

A contagem regressiva ocorreu sem problemas e em condições meteorológicas praticamente ideais.

Este foi o primeiro lançamento noturno do foguete Antares, recordou a Orbital.

A missão, conhecida como CRS-3, era a quarta viagem da Orbital para a ISS, contando com o voo de demonstração.

Na segunda-feira, o lançamento foi adiado por 24 horas, devido à presença de um navio no Atlântico, dentro do perímetro de segurança determinado para a operação.

A Cygnus deveria se acoplar à ISS em 2 de novembro. Quase um terço da carga (cerca de 700 toneladas) correspondia a material para experimentos científicos.

Um desses experimentos é sobre a irrigação do cérebro e do coração quando na ausência de gravidade. Os resultados dessa experiência podem ter efeitos no tratamento de doenças neurológicas, como o Mal de Alzheimer.

A missão que deveria iniciar nesta terça era a terceira prevista no contrato de US$ 1,9 bilhão firmado pela Nasa com a Orbital Sciences Corporation para o abastecimento da ISS.

A Orbital utilizou cápsulas Cygnus nas entregas feitas em janeiro e julho deste ano.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade