Publicidade

Estado de Minas

Uso de jogos para solução de problemas pode ser adotado em todos os setores

Soluções em formato de games comprovam que a 'gameficação' é forte tendência no mercado corporativo


postado em 18/09/2014 11:23 / atualizado em 18/09/2014 11:24

Ivan Lobato, da empresa Gaz Games, explica que cresce a procura por jogos para empresas como forma de apresentar produtos ao público(foto: Silas Scalione/EM/D.A PRESS)
Ivan Lobato, da empresa Gaz Games, explica que cresce a procura por jogos para empresas como forma de apresentar produtos ao público (foto: Silas Scalione/EM/D.A PRESS)
 

A Solvian, empresa brasileira especializada em soluções para gestão de operações em tempo real, apresentou há poucos dias a primeira plataforma em formato de game para controlar atividades de equipes de campo em marketing de varejo do país. Chamada de Trade Rally, ela foi desenvolvida em oito meses em parceria com a Opusphere, empresa que trabalha com ‘gameficação’. O software funciona como um aplicativo para smartphones e remete a um game ou a uma rede social, transformando tarefas diárias de equipes de campo em desafios e missões que levam ao acúmulo de pontos. Posteriormente, aqueles que se destacam no ranking da equipe recebem prêmios, sendo que as tarefas e pontuações podem ser personalizadas de acordo com a preferência da empresa contratante.

A solução apresentada pela Solvian é mais uma comprovação de que a ‘gameficação’ é uma forte tendência no mercado corporativo. Estudos sobre o tema mostram que, até 2020, 85% das grandes organizações mundiais terão elementos de ‘gameficação’ em suas operações. Estima-se que o investimento em ‘gameficação’ corporativa atingirá cerca de US$ 5 bilhões até 2018.

‘Gameficação’ corporativa pode ser também entendida como serious games, ou jogos sérios, que, segundo Ivan Lobato, diretor da empresa mineira Gaz Games, são jogos desenvolvidos com um objetivo específico que não apenas o do puro entretenimento. “Muitas vezes, eles são, sim, divertidos, mas seu principal foco é educar, treinar, informar, divulgar, resolver problemas, entre outras aplicações. O conceito de serious games é relativamente amplo e inclui não só simulações e automatizações de processos, mas também jogos educacionais, jogos de estratégia e até jogos com conteúdo social, político e religioso”, explica.

Projetos personalizados

A linguagem utilizada no desenvolvimento de serious games varia de acordo com as necessidades de cada projeto. Lobato informa que trabalha principalmente com a Unity 3D, para programação, e com a Blender para a modelagem 3D dos elementos. “Além do jogo em si, muitas vezes é necessário ter um sistema computacional de suporte que inclua, por exemplo, banco de dados e páginas web. Para os sistemas de suporte, usamos PHP, C#, além dos bancos de dados MySQL e SqlServer. Tão importantes quanto as linguagens citadas são as ferramentas próprias, desenvolvidas para automatizar e facilitar o processo de desenvolvimento”, afirma.

Ele conta que em três anos de Gaz Games (a empresa foi criada com o objetivo de transformar processos tradicionais em ações interativas e lúdicas) já foram desenvolvidos mais de 50 projetos de jogos sérios sobre variados assuntos. “Alguns projetos que merecem destaque são o Simulador de Carregador de Navios com objetos em modelagem 3D, feito para a mineradora Vale; o tour virtual criado para o Museu das Minas e do Metal; o Caminho do Minério, desenvolvido para a Anglo American, também do ramo de minérios; o Iveco Hi-way, solução para lançamento do caminhão extrapesado da Iveco; e o Copa de Roteiros, feito para a Localiza com o uso de tecnologia de detecção de movimentos, como ocorre com o sensor Kinect, do console Xbox”, revela.

O empresário explica que, devido ao custo muitas vezes alto das produções, os clientes de jogos sérios são, em sua maioria, empresas de, no mínimo, porte médio. “Os jogos são normalmente utilizados para lançamento de novos produtos no mercado, para a divulgação de informações corporativas e para treinamento”, explica ele, ressaltando que em feiras os games são usados para atrair a atenção do público para determinados estandes devido ao apelo tecnológico das campanhas. Outro tipo de cliente busca aplicativos para dispositivos móveis que possam disponibilizar serviços da empresa de fácil acesso ao usuário final. Um projeto de serious games demanda pelo menos mil horas de dedicação de toda uma equipe, o que representa perto de quatro meses de trabalho.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade