Publicidade

Estado de Minas

Eletrônico são os mais procurados pelos mineiros em sites de comparação de preço


postado em 29/08/2014 06:52 / atualizado em 29/08/2014 07:01

Celulares, TVs e notebooks são os produtos mais procurados por mineiros em um site de comparação de preços, segundo levantamento feito com base no rol de consumidores com clientes de Belo Horizonte. Os três aparelhos eletrônicos ocupam as primeiras posições do ranking de buscas do Zoom, com tablets na sexta posição. A posição se justifica pela grande diferença de preços entre um mesmo item em duas lojas diferentes. Em busca de valores mais acessíveis, antes de fechar a compra, o consumidor obedece uma regra básica para quem busca economia e compara os preços, conseguindo economizar quase R$ 1 mil em um smartphone, por exemplo.

O celular mais procurado no site tem variação de 18% nos sites pesquisados. O valor vai de R$ 679 a R$ 799. A discrepância é ainda maior no caso do segundo colocado das pesquisas, com variação de R$ 1.685 a R$ 2.599, com o maior preço 54% mais alto que o menor. A economia na pesquisa é de quase R$ 1 mil. O valor poderia ser usado na compra de um TV LED de 32 polegadas, que, na pesquisa, custa entre R$ 949 e R$ 1.405. “Os eletrônicos são uma tendência no Brasil. A cada ano as empresas lançam um novo modelo e as pessoas querem comprá-lo”, afirma o diretor executivo do site, Thiago Flores, que cita que o país dispõe de mais de um aparelho por habitante.

Pesquisas mostram que o e-commerce no Brasil deve encerrar o ano com 130 milhões de pedidos. A previsão é que 13 bilhões de visitas às lojas virtuais sejam feitas no período, ou seja, a cada 1 mil visitas é confirmada uma venda. O universitário Tayrone Rodrigues afirma que primeiro consulta os valores em sites do exterior, depois acessa a internet para comparar com os preços nacionais. Caso considere o preço aceitável, ele pode finalizar a compra. Mas o jovem diz gostar mais das compras presenciais: “Apesar de comprar na internet, prefiro só comparar o preço na internet e ir até a loja física. Se a diferença da compra for maior que 10%, volto e compro na internet”, afirma Rodrigues.

O mesmo acontece com o estudante Bruno Grossi. O último aparelho celular que ele comprou foi pela internet. Antes de fechar o negócio, no entanto, ele diz ter o costume de pesquisar, “sempre na internet”. E não é só para celular. O jovem pesquisa o preço de todos os eletrônicos.

O levantamento feito no ano anterior tinha o celular no topo dos mais buscados, mas o segundo lugar ficava com notebooks, que, devido à Copa do Mundo, caiu para terceiro, dando aos televisores a segunda colocação.

A lista dos 10 mais buscados inclui ainda três eletrodomésticos. Geladeira, lavadora de roupas e fogão estão entre os mais pesquisados, segundo o Zoom, o que também pode se justificar pelos preços mais elevados e a busca mais criteriosa em função disso. De olho em melhores condições, os consumidores, em vez de irem às lojas para comparar, percorrem diversos concorrentes sem sair de casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade