Publicidade

Estado de Minas

Brasil e Argentina se associam em projeto astronômico


postado em 08/07/2014 10:57

BUENOS AIRES - Brasil e Argentina instalarão uma antena de 12 metros de diâmetro destinada a pesquisas astronômica sem Salta, 1.600 km a noroeste de Buenos Aires, informou nesta segunda-feira o governo da província homônima.

Trata-se do projeto LLAMA, que implica um investimento total de 15 a 20 milhões de dólares, segundo a secretaria de Ciência e Tecnologia local.

A antena paraboloide será instalada em Altos de Chorrillo, na puna (planalto da Cordilheira dos Andes), 4.825 metros acima do nível do mar, e permitirá estudar física solar e buracos negros, entre outros fenômenos do Universo.

"Este telescópio significará um salto maiúsculo para as pesquisas em radioastronomia e, por sua vez, promoverá um grande impulso tecnológico", explicou Soledad Vicente, titular da pasta mencionada.

A antena está estrategicamente situada para poder fazer pesquisas coordenadas com uma rede de 60 antenas instaladas, no âmbito do projeto ALMA, do lado chileno do deserto do Atacama, por Estados Unidos, Canadá, Japão, Taiwan e países europeus.

Quando a antena do projeto LLAMA operar em conjunto com uma rede que está do outro lado da Cordilheira, será como ter um telescópio de quase 200 km de diâmetro, acrescentou a fonte.

As autoridades não revelaram uma data de conclusão das obras.

No projeto, o Brasil se comprometeu em comprar o radiotelescópio, enquanto a Argentina se encarregará de desenvolver caminhos, instalações e toda a infraestrutura necessária em Salta para operar o telescópio.

O centro brasileiro-argentino de Astronomia (ABRAS) será construído sobre o cordão do monte Macón, a 4.650 m de altitude e a 360 km da cidade de Salta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade