Publicidade

Estado de Minas

EUA se preparam para invasão de cigarras


postado em 15/05/2013 09:47

(foto: REUTERS/Chris T. Maier/Connecticut Agricultural Experiment Station/Handout)
(foto: REUTERS/Chris T. Maier/Connecticut Agricultural Experiment Station/Handout)
WASHINGTON - Uma invasão de cigarras é iminente nos Estados Unidos, onde milhões de insetos se preparam para deixar o subsolo da terra após 17 anos de espera.

As primeiras cigarras das muitas que deverão cobrir a costa leste americana já foram avistadas na Carolina do Norte e em Nova Jersey.

"Começou a emergência da Ninhada II!", comemorou nesta segunda-feira o site cicadamania.com, onde os fãs dos insetos podem registrar suas experiências.

Mas o ataque começa de verdade este mês, assim que a temperatura média no solo atingir 17 graus Celsius.

Neste pico, pode haver enxames de um a dois mil insetos por metro quadrado.

Embora as cigarras sejam comuns em todo o mundo, este fenômeno cíclico só acontece nos Estados Unidos.

A cada 17 anos, estas "cigarras periódicas" amadurecem, se acasalam, depositam ovos e morrem em uma sinfonia ensurdecedora.

Suas crias, que ficarão sem serem vistas novamente por outros 17 anos, se refugiam debaixo da terra, a 20 centímetros de profundidade, onde elas se alimentarão da seiva de raízes até que chegue seu dia de buscar um lugar ao sol.

As ninhadas - há 15 delas - são classificadas por algarismos romanos. A maioria cumpre um ciclo de 17 anos, embora três se reproduzam a cada 13 anos. Mas nem todas são iguais e a "Ninhada II" é das grandes.

Nas próximas semanas, as cigarras emergirão e darão início a uma orgia reprodutiva, quando as larvas sairão dos ovos e amadurecerão para a fase adulta, explicou Michael Raupp, entomologista da Universidade de Maryland.

"Elas vão lutar numa disputa pelos topos das árvores. Os machos começarão a cortejar as fêmeas e os insetos vão copular", acrescentou.

O jogo de sedução será barulhento. Os machos costumam cantar para as fêmeas em um canto de acasalamento criado em seu timbal, uma membrana no abdômen. Aos milhares, o gorjeio único vira um ronco ensurdecedor.

Após o acasalamento, as fêmeas vão "depositar seus ovos, os ovos vão chocar e cair no solo, onde se alimentarão por outros 17 anos", explicou Raupp.

Os insetos, que pertencem à ordem científica 'Hemiptera', medem de dois a três centímetros.

São pretos, têm olhos vermelhos e asas translúcidas com veios alaranjados. Eles não picam e só representam uma ameaça para as árvores jovens, das quais sugam a seiva.

A maioria das cigarras vai morrer rapidamente, devorados por aves e pequenos mamíferos, incluindo camundongos e inclusive cães.

"As cigarras adultas são uma grande fonte de alimento para vários animais", explicou Andrew Liebhold, entomologista do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

"São uma excelente fonte de nutrição e sustentam a reprodução de várias espécies de aves e mamíferos", acrescentou.

Raupp observou que outros mamíferos maiores, como os humanos de algumas culturas, também têm apreciado a iguaria.

"Têm mais proteína e menos gordura do que um bife", disse Raupp.

Para aqueles que viram o nariz a experimentar insetos, a bióloga Jenna Jadin, que escreveu um curto manual sobre o tema quando era estudante da Universidade de Maryland, sugere que as cigarras sejam preparadas como seus parentes artrópodes, como os caranguejos e as lagostas.

Após cozinhá-los em água quente por quatro ou cinco minutos, ela sugere servir "cigarras de Maryland" acompanhadas de cebolas, batatas e milho, ou "cigarras de Xangai" com molho de soja, alho e nabos; ou ainda "pizza à cigarra", com manjericão, azeitonas e cebolas.


Publicidade