Publicidade

Estado de Minas SÉRIE A

Frustração alvinegra

Num jogo em que marcou mal e de baixa eficiência ofensiva, Atlético cai diante do Fortaleza na estreia.


30/05/2021 21:42 - atualizado 30/05/2021 22:31

De virada, time cearense bateu o Galo por 2 a 1 no Mineirão: faltou consistência tática ao time, mas Cuca promete reação contra o Sport(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
De virada, time cearense bateu o Galo por 2 a 1 no Mineirão: faltou consistência tática ao time, mas Cuca promete reação contra o Sport (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Surpreendido pelo Fortaleza na estreia do Campeonato Brasileiro, o Atlético tenta tirar lições da derrota por 2 a 1, de virada, ontem, no Mineirão. O time teve comportamento razoável no primeiro tempo, quando fez 1 a 0 com Hulk cobrando pênalti, mas se perdeu completamente no segundo e sofreu dois gols de Yago Pikachu, o último já nos acréscimos.

“No primeiro tempo, o jogo foi intenso de lado a lado, mas merecemos a vitória parcial. Já no segundo, ficamos muito abaixo em todos os sentidos, físico, técnico, tático, e merecemos perder. Ainda tivemos a bola do jogo aos 47min, mas dois minutos depois tomamos o gol da virada. Por mais doloroso que seja, temos de reconhecer que foi um placar justo pelo que o Fortaleza fez no segundo tempo”, argumentou o técnico do Galo, Cuca.

Ele enfatizou méritos do rival, mas também erros atleticanos – de saída de bola a tomada de decisões e posicionamento. Já os jogadores foram ainda mais incisivos na autocrítica. Afinal, viram quebrada sequência de 19 jogos de invencibilidade como mandante. E foi a primeira estreia com revés em casa desde 2003, na série de pontos corridos.

Cuca promete reação

“A gente fica frustrado em perder em casa, mas temos de entender as derrotas e tirar lições. Os jogadores precisam entender que não vamos ganhar todas, que perder é pior que empatar, que não podemos tomar um contra-ataque aos 48min. Mas acontece. Domingo que vem vai ser diferente”, garantiu o treinador.

Ontem, o Atlético começou bem. Com 12 minutos o goleiro Felipe Alves, do Fortaleza, já tinha trabalhado duas vezes. Aos 8min, Allan roubou bola na saída de bola do adversário e tentou surpreender, mas o camisa 1 se recuperou. Quatro minutos depois, ele se esticou todo para espalmar finalização de Guilherme Arana de fora da área.

O Fortaleza também mostrou estar vivo, como na finalização de Robson, dentro da área, aos 18min, mas sem direção. A melhor chance viria aos 35min, em linha de passe entre Nacho Fernández, Savarino e Hulk, tudo de primeira. Porém, o atacante chutou por cima.
Pouco depois, Hulk disputou bola com Titi na área e, deslocado com o braço, caiu: pênalti. O próprio atacante cobrou com categoria, abrindo o placar. Aos 44min, Felipe arriscou de fora e fez Everson se esticar todo para desviar ela linha de fundo.

MUDANÇA DETERMINANTE
O Fortaleza voltou para o segundo tempo com Yago Pikachu no lugar de Daniel Guedes, o que mudou completamente o panorama. Com 1min, Matheus Vargas teve chance na área, mas finalizou mal. Já aos 14min Yago Pikachu não desperdiçou. Após passe de Róbson, executou Everson com chute cruzado de dentro da área.

O alvinegro colocou de Sávio e Zaracho e reequilibrou as ações. Mas o Fortaleza trocou a dupla de ataque, entrando Romarinho e David. O jogo ficou mais disputado no meio-campo. Assim, a emoção só voltou aos 43min, em cobrança de falta de Hulk, que Felipe Alves desviou. Já no minuto seguinte, Tinga interceptou finalização certeira de Vargas de dentro da área. Praticamente no último lance, aos 49min, os cearenses viraram. David puxou contra-ataque e acionou Yago Pikachu, que avançou e bateu forte da entrada da área, decretando a derrota atleticana.


O América, do meia Bruno Nazário, teve muitos erros defensivos e perdeu por 1 a 0 para o Athletico na Arena da Baixada(foto: ESTEVÃO GERMANO/AMÉRICA)
O América, do meia Bruno Nazário, teve muitos erros defensivos e perdeu por 1 a 0 para o Athletico na Arena da Baixada (foto: ESTEVÃO GERMANO/AMÉRICA)

Coelho castigado com gol no fim


O América começou a trajetória na Série A do Brasileiro com uma derrota difícil de ser digerida. O Coelho encarou o Athletico na Arena da Baixada, na noite de ontem, e fez um jogo equilibrado, com chances para os dois lados. Entretanto, aos 41min da etapa final, em vacilo de marcação, Carlos Eduardo marcou para o Furacão e decretou o revés dos mineiros por 1 a 0.

O alviverde já estava até satisfeito com o que seria um ponto como visitante. Mas pagou caro por erro do sistema defensivo, inseguro em Curitiba. O time volta a campo no Brasileirão no domingo, recebendo o Corinthians, no Independência. Antes, terá compromisso pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Abrirá o confronto com o Criciúma, quarta-feira, em Belo Horizonte.
Mesmo fora de casa, o América não facilitou para o Furacão no primeiro tempo. O rubro-negro tomou a iniciativa e mostrou ímpeto, pressionando a saída de bola dos visitantes. Mas as chances de gol foram escassas, pois faltou efetividade ofensiva dos dois lados. Christian soltou uma bomba que assustou Matheus Cavichioli. A bola explodiu na trave.

O Athletico quase aproveitou vacilo de Anderson, que falhou e deixou a bola com Renato Kayser. O atacante concluiu para defesa de Cavichioli. O Furacão teve mais posse, mas, a partir dos 30 minutos, o Coelho se posicionou melhor e até se arriscou mais. Rodolfo obrigou Santos a trabalhar, enquanto Felipe Azevedo teve a melhor chance dos mineiros, só que também parou no goleiro.

O segundo tempo começou com os times mais ligados. O Furacão chegou com Khellven, que cruzou e Renato Kayzer cabeceou em cima de Cavichioli. Pelo Coelho, a resposta veio com Felipe Azevedo, que completou cruzamento de Juninho, mas a bola foi nas mãos de Santos.

Os treinadores promoveram mudanças, mas erros nos passes prejudicavam as equipes. Lisca trocou Bruno Nazário e Felipe Azevedo por Geovane e Ramon, respectivamente. O Coelho chegou a ter o volante Zé Ricardo expulso após falta dura, mas o cartão foi retirado na checagem do VAR, com o árbitro optando pelo amarelo. Nikão arriscou e Cavichioli, destaque mineiro, se virou para evitar o gol.

Depois dos 30 minutos, Lisca colocou Ademir, apostando na velocidade. Rodolfo foi sacado, com cãibras. E num lance inusitado, o Coelho foi castigado. Aos 41min, o Athletico marcou com Carlos Alberto. Ele cruzou para Matheus Babi e a bola entrou direto nas redes de Matheus Cavichioli: 1 a 0. Castigo para o Coelho no retorno à elite.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade