Publicidade

Estado de Minas BASQUETE

Após pacto, NBA retoma partidas


29/08/2020 04:00

Depois de três dias de boicote nos EUA, compromissos antirracistas e de engajamento cívico selaram retorno(foto: KIM KLEMENT/AFP)
Depois de três dias de boicote nos EUA, compromissos antirracistas e de engajamento cívico selaram retorno (foto: KIM KLEMENT/AFP)

 

Com uma série de compromissos firmados, a NBA vai retomar hoje os jogos dos playoffs, após três dias de paralisação devido ao boicote como protesto contra o racismo e a brutalidade da polícia nos Estados Unidos. No domingo, Jacob Blake, um homem negro, foi baleado com sete disparos pelas costas por um policial, em Kenosha, no Wisconsin.

 

A principal liga de basquete do mundo primeiro anunciou a volta dos treinamentos das 13 equipes participantes e, depois, emitiu nota oficial confirmando o retorno dos jogos, mas sem divulgar as rodadas. Desde quarta-feira, com o boicote dos jogadores, 11 partidas foram adiadas.

 

Em nota assinada pelo comissário Adam Silver e por Michele Roberts, diretora executiva da Associação de Jogadores da NBA, alguns pontos acordados foram apresentados. "A NBA e seus jogadores concordaram em estabelecer imediatamente um pacto pela justiça social, com representantes dos atletas, técnicos e administradores das franquias, que se concentrará numa ampla gama de pontos, incluindo ampliar o acesso ao voto, a promoção do engajamento cívico e a defesa de uma reforma significativa da polícia e da justiça criminal."

 

A NBA e os jogadores vão buscar parceiros "para criar e incluir anúncios em cada jogo dos playoffs da NBA, dedicados a estimular e promover maior engajamento cívico nas eleições nacionais e locais, a fim de aumentar a conscientização sobre o acesso e as oportunidades dos eleitores."

 

ELEIÇÃO A preocupação para que um grande número de cidadãos vote nas eleições presidenciais de 3 de novembro – o voto nos Estados Unidos é opcional –, levantada pelo astro LeBron James, vai fazer com que "em todas as cidades onde as franquias da liga possuem e controlam suas arenas, os administradores continuarão a trabalhar com autoridades eleitorais locais para disponibilizar suas instalações como locais de votação para as eleições gerais de 2020, permitindo assim uma opção de voto pessoal seguro para comunidades vulneráveis à COVID-19.

 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade